Willy Rampf

Da Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para a navegação Ir para a pesquisa

Willy Rampf ( Maria Talheim , 20 de junho de 1953 ) é um engenheiro alemão . Ele foi o diretor técnico da equipe BMW Sauber, que mais tarde se tornou a Sauber F1 Team. Ele atualmente trabalha para Williams como consultor.

Biografia

Graduado em Engenharia pela Universidade de Munique, em 1979 começou a trabalhar como engenheiro de desenvolvimento para a BMW. Em 1989, Rampf mudou-se, novamente em nome da BMW, para a África do Sul, onde descobriu a engenharia aplicada ao mundo da Fórmula 1.

Sauber F1

Ele fez sua estreia na Fórmula 1 no Grande Prêmio da África do Sul de 1993 com a equipe Sauber; seis meses depois, ele assinou seu primeiro contrato com a equipe, tornando-se engenheiro de pista. Durante sua gestão na Sauber , ele foi designado para Heinz-Harald Frentzen por três anos. Durante a temporada de Fórmula 1 de 1997, ele foi engenheiro de pista de Nicola Larini , Norberto Fontana e Gianni Morbidelli . No final de 1999, Rampf voltou a colaborar com a Sauber F1 Team, onde, em 1 de abril de 2000, tornou-se o diretor técnico da equipe. Para a equipe, ele projetou o BMW Sauber F1.08, que venceu o Grande Prêmio do Canadá em 2008. No início de 2010, ele deixou o cargo de diretor técnico da Sauber e foi substituído por James Key.

Rally Dakar (BMW)

No final da temporada de 1997, ele voltou para a BMW para liderar o design de motocicletas para o Dakar. Ele trabalhou para o motociclista Richard Sainct , que conseguiu se afirmar na importante incursão.

Volskwagen

De 2011 a 2016 ocupou o cargo de Diretor Técnico da Volkswagen Motorsport , onde foi o principal responsável pelo desenvolvimento de carros WRC . O VW Polo R WRC conquistou o título do Campeonato Mundial de Rally com o piloto Sébastien Ogier e o co-piloto Julien Ingrassia entre 2013 e 2016. Ao mesmo tempo, a Volkswagen garantiu o título de fabricante ao longo dos anos. Willy Rampf voltou à Volkswagen como consultor técnico em 2018.

Voltar para a Fórmula 1

Em 26 de março de 2021, ele voltou à Fórmula 1 como consultor da Williams , encontrando Jost Capito e François-Xavier Demaison com quem havia trabalhado na Wolkswagen.