Tóquio

Da Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para a navegação Ir para a pesquisa
Disambiguation note.svg Desambiguação - "Tóquio" se refere aqui. Se você estiver procurando por outros significados, veja Tokio (desambiguação) .
Disambiguation note.svg Desambiguação - Se você estiver procurando por outros significados, consulte Tóquio (desambiguação) .
Tóquio
Metrópole
東京 都
Tōkyō-to
Tóquio - Brasão de Armas Tóquio - Bandeira
Tóquio - Ver
Vista da Torre de Tóquio e edifícios ao redor
Localização
Estado Japão Japão
região Kantō
Administração
Governador Yuriko Koike de 01/08/2016
Línguas oficiais idioma japonês

(標準 語 original)

Data de Estabelecimento 1943
Território
Coordenadas 35 ° 41'22,22 "N 139 ° 41'30,12" E / 35,689506 ° N 139,6917 ° E 35,689506; 139,6917 (Tóquio) Coordenadas : 35 ° 41'22,22 "N 139 ° 41'30,12" E / 35,689506 ° N 139,6917 ° E 35,689506; 139,6917 ( Tóquio )
Altitude 40 m de altitude
Superfície 2 187,66 km²
Habitantes 13 951 636 (1 de janeiro de 2020)
Densidade 6 377,42 habitantes / km²
Subprefeituras 4
Distritos 1
Município 62
Outra informação
Código postal 100-0000
Prefixo +81
Jet lag UTC + 9
ISO 3166-2 JP-13
Nomeie os habitantes edochiani, [1] tokyoti [2]
Cartografia
Tóquio - Localização
Tóquio - Mapa
Mapa da prefeitura de Tóquio; os bairros especiais da metrópole são destacados em roxo.
Site institucional
Símbolos de Tóquio
Pássaro gaivota comum Chroicocephalus ridibundus
Árvore Ginkgo biloba
Flor flor de cerejeira ( Prunus serrulata )

Tóquio ( AFI : / ˈtɔkjo / [3] ; em japonês東京Tōkyō ? [Toːkjoː] , literalmente capital oriental , estando a leste da capital anterior, Kyoto ), em italiano também Tóquio ou, raramente, Tochio , [4] é a capital de Japão , localizado na região de Kantō, no lado sudeste da principal ilha japonesa, Honshu , e também incluindo as ilhas de Izu e Ogasawara . [5] Abriga o imperador do Japão e o governo japonês .

Originalmente uma pequena vila de pescadores chamada Edo (江 戸? ) , A cidade se tornou um importante centro político do Japão quando Shōgun Tokugawa Ieyasu fez da cidade sua sede em 1603. Quando o imperador Meiji mudou a sede imperial de Kyoto em 1868, Edo foi rebatizada de Tóquio, literalmente "a capital oriental". [6]

Embora a cidade propriamente dita tenha 13 857 443 habitantes, a décima primeira cidade do mundo, segundo o sistema administrativo japonês é uma metrópole (to ? ) E uma megalópole de mais de 40 milhões de habitantes: a atual área metropolitana de Tóquio (東京都Tōkyō-to ? ) É o resultado da fusão, ocorrida em 1943, entre a prefeitura de Tóquio (東京 府Tōkyō-fu ? ) E sua capital, a cidade de Tóquio (東京 市Tōkyō-shi ? ) . [7] Após essa fusão, as duas entidades foram suprimidas e o nome Tōkyō hoje indica uma das quarenta e sete prefeituras do Japão , já que é na verdade uma grande área na qual existem várias cidades independentes que se fundiram em uma única conurbação .

A área mais populosa, aquela com vista para a baía de Tóquio a leste, corresponde à da cidade extinta e foi dividida em 23 distritos especiais (特別 区tokubetsuku ? ) . A parte ocidental, chamada de área Tama (多 摩 地域Tamajiki ? ) , É dividida em vinte e seis cidades (shi ? ) E um distrito que compreende três cidades (chō ? Ou machi ? ) e uma aldeia (mura ? ou também filho ? ) Também fazem parte da divisão administrativa de Tóquio o arquipélago Izu e as distantes Ilhas Ogasawara , que se estendem pelo Oceano Pacífico . [8]

A Tóquio moderna é classificada como uma cidade alfa + pela Globalization and World Cities Research Network . Com uma população de quase 14 milhões, ou 12% dos habitantes do Japão, é a mais populosa e densamente povoada das prefeituras do país, bem como a segunda maior capital do mundo em população depois de Pequim . [9] A expansão urbana do pós-guerra criou uma megalópole , chamada de " Área da Grande Tóquio ", que se estende por cerca de 13 500 km² e também inclui uma grande parte das prefeituras vizinhas de Chiba , Kanagawa e Saitama . Esta é uma grande aglomeração urbana . A região metropolitana é a mais populosa do mundo, com mais de 40 milhões de habitantes [10] , bem como a maior economia de aglomeração urbana do mundo. Em 2011, Tóquio abrigava 51 empresas da Fortune Global 500 , o maior número de qualquer cidade do mundo naquela época. [11] A cidade ficou em sexto lugar no Índice de Centros Financeiros Globais de 2019. [12] Junto com uma economia avançada, Tóquio costuma ficar em primeiro lugar entre as cidades mais caras para expatriados.

As instituições mais importantes do país estão localizadas na área de bairros especiais. No distrito de Chiyoda estão a sede do parlamento nacional e do governo japonês , bem como a residência do imperador , o palácio imperial de Tóquio . O governo metropolitano é confiado a uma assembleia eleita que escolhe o governador e tem sede no distrito de Shinjuku .

Geografia física

Território

A cidade vista via satélite : das várias manchas verdes do centro, a maior é a do palácio imperial; ao sul, o rio Tama separa Tóquio da prefeitura de Kanagawa

Tóquio está localizada nas coordenadas geográficas 35 ° 41'N 139 ° 36'E / 35,683333 ° N 139,6 ° E 35,683333; 139,6 , quase a mesma latitude de Los Angeles e Teerã , e é a capital mais oriental da Ásia . Faz fronteira com a baía de Tóquio e a prefeitura de Chiba ao leste, Yamanashi ao oeste, Kanagawa ao sul e Saitama ao norte.

A capital está localizada na região de Kantō , na ilha de Honshū . A área dos bairros especiais, os mais populosos, domina a baía de Tóquio , onde fluem os três rios que correm pela capital, nomeadamente o Tama , o Edo e o Sumida . A aglomeração urbana continuou a se expandir na planície de Kanto , a maior do país, chegando a abranger muitas cidades e vilas. A maior parte da área metropolitana é composta de numerosos núcleos territoriais geralmente desenvolvidos em torno de uma estação ferroviária , o que torna Tóquio um vasto conjunto de distritos urbanos, cada um com seu próprio centro. Portanto, múltiplos pólos de entretenimento e atração social, cultural e comercial se desenvolveram.

O lado oeste das alas especiais, a área de Tama , está localizada em um leque de abatimento chamado terraço Musashino . É um terraço fluvial que se inclina suavemente para nascente. Nesta área, nas últimas décadas, tem havido uma expansão significativa das instalações dedicadas ao ensino universitário, indústria e investigação, com o consequente aumento da população e respectivos edifícios residenciais.

A parte ocidental da área de Tama eleva-se em direção às montanhas e inclui o cume da montanha Ishione , que se estende nas cadeias de montanhas Okuchichibu e Okutama . No ponto onde os três picos se encontram fica o Monte Kumotori , o pico mais alto de Tóquio com seus 2 017 m , que marca a fronteira com as prefeituras de Saitama e Yamanashi .

Esta área, rica em lagos, rios e áreas verdes, possui uma menor concentração urbana e isso levou o governo metropolitano a realizar diversos planos de desenvolvimento na área. O impacto ambiental que este desenvolvimento acarreta suscita várias preocupações e críticas. [8] O território inclui parte dos parques naturais Chichibu Tama Kai e Fuji-Hakone-Izu e todos os parques Meiji no Mori Takao , Akikawa Kyūryō , Hamura Kusabana Kyūryō , Sayama , Takao Jinba , Takiyama e Tama Kyūryō .

A área da ilha que está sob jurisdição metropolitana é composta pelos arquipélagos Izu e Ogasawara e outras ilhas, que se estendem da Baía de Tóquio até o Oceano Pacífico . A ilha mais distante, Minami Torishima , fica a aprox. 1 850 km de Tóquio.

Clima

Tóquio tem um clima temperado , com umidade relativa de 63%. Cerca de 45% dos dias do ano são chuvosos, 40% nublados, 10% dias claros e no resto dos dias neva. A temperatura média no inverno é 5 ° C e no verão 27 ° C A temperatura média anual é 14,7 ° C A precipitação geralmente ocorre na forma de chuva e atinge i 1 520 mm por ano. A precipitação máxima foi registrada em um único dia em 2003, com 171 mm . O número médio de horas de sol por ano é 1894.

Dados meteorológicos [13] [14] [15] Meses Temporadas Ano
Jan Fev Mar Abr Mag Abaixo Jul Atrás Definir Out 11 de novembro Dez Inv Pri leste Aut
T. máx. meioC ) 9,6 10,4 13,6 19,0 22,9 25,5 29,2 30,8 26,9 21,5 16,3 11,9 10,6 18,5 28,5 21,6 19,8
T. médiaC ) 5,2 5,7 8,7 13,9 18,2 21,4 25,0 26,4 22,8 17,5 12,1 7,6 6,2 13,6 24,3 17,5 15,4
T. min. meioC ) 0.9 1,7 4,4 9,4 14,0 18,0 21,8 23,0 19,7 14,2 8,3 3,5 2.0 9,3 20,9 14,1 11,6
Precipitação ( mm ) 52,3 56,1 117,5 124,5 137,8 167,7 153,5 168,2 209,9 197,8 92,5 51,0 159,4 379,8 489,4 500,2 1 528,8
Dias chuvosos 5 6 11 11 11 13 12 9 12 11 8 5 16 33 34 31 114
Queda de neve ( cm ) 5 5 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 10 1 0 0 11
Dias de neve 2,8 3,7 2,2 0,2 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,8 7,3 2,4 0,0 0,0 9,7
Umidade relativa média (%) 52 53 56 62 69 75 77 73 75 68 65 56 53,7 62,3 75 69,3 65,1

História

A fundação da Edo

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Edo (cidade) .

Na pequena vila de Edo , o antigo nome de Tóquio, um senhor feudal local, o daimyō Ōta Dōkan , construiu o Castelo de Edo (江 戸 城Edo-jō ? ) Em 1457 .

No final do século XVI, Tokugawa Ieyasu , um dos arquitetos da reunificação do país, que se tornou o daimyo das oito províncias de Kanto , começou a construir a cidade de Edo , que se tornou o centro mais importante do território que controlava. Em 1603 o imperador investiu-lo com o título de shōgun , um título hereditário que representou o mais alto cargo militar, com o qual Ieyasu assumiu o controle do Japão (o imperador estava praticamente privados de energia), a partir do shogunato ea era Tokugawa , também chamado do Período Edo . Ele mudou sua sede para Edo, transformando-a na capital de fato do país, enquanto Kyoto permaneceu a capital oficial e a residência do imperador.

Com o fim das centenárias guerras civis japonesas, iniciou-se um período de grande estabilidade. Edo se tornou a maior cidade do Japão e desenvolveu uma estrutura urbana muito rígida, dividida em três categorias: os bairros populares, os dos templos e os dos aristocratas (reservados ao daimyo). [16] O sistema sankin kotai foi estabelecido, de acordo com o qual todos os daimios deveriam possuir edifícios em Tóquio. Normalmente, um daimyo tinha três residências: uma para ele e sua família e duas para sua comitiva. Sua esposa e primogênito deveriam morar em Edo. Cada daimyo tinha que ficar em Edo por um período, a cada dois anos. Essa política tornou absoluto o controle do shogun sobre os senhores feudais e ajudou a aumentar a população da capital. Com a multiplicação dos imigrantes em Tóquio, o termo Edokko ( filho de Edo ) foi cunhado, ainda em uso hoje, para distinguir os nativos dos recém-chegados.

A população aumentou rapidamente e em 1720 Edo se tornou a maior cidade do mundo, com um milhão de habitantes; [17] assim permaneceria até o século XIX , quando foi ultrapassada por Londres .

'Kidai Shoran', rolo de mão japonês c. 1805.jpg
Kidai Shōran (熈 代 勝 覧? ) , 1805. Ilustra cenas do período Edo ocorrendo ao longo da rua principal Nihonbashi em Tóquio.

Do século 19 ao 20

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Renovação Meiji e Grande Terremoto Kantō .

Em 1867 , com o fim do shogunato, o poder da casa imperial foi restaurado. O governante Meiji mudou a capital de Kyoto para Edo , que recebeu o nome de Tóquio (Capital Oriental). Em 1868 o imperador também se mudou para Tōkyō e a partir de 1869 ele se estabeleceu no castelo onde o shogun residia anteriormente, no atual distrito de Chiyoda . Com a grande renovação que se seguiu à Restauração Meiji, a cidade cresceu cada vez mais, tornando-se o maior centro político, econômico e cultural do Japão. A prefeitura foi dividida em distritos.

Em 1923, um terrível terremoto tirou a vida de 70.000 residentes de Tóquio, causando severa destruição. A cidade foi reconstruída com transformações significativas.

Em 1943 , a cidade de Tóquio juntou-se à prefeitura de Tóquio para formar a "Prefeitura Metropolitana" de Tóquio. Desde então, o Governo Metropolitano de Tóquio tem sido o governo da prefeitura de Tóquio e a administração das Alas Especiais de Tóquio para o que antes era a cidade de Tóquio.

Tóquio na era moderna

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: ataque aéreo e bombardeio de Tóquio na Segunda Guerra Mundial .

Na Segunda Guerra Mundial, Tóquio sofreu graves bombardeios, dos quais o mais intenso foi o de 10 de março de 1945 , que teve um efeito comparável ao das bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki . Vastas áreas da cidade foram arrasadas. Praticamente nenhum traço visível de tal devastação permanece hoje.

Após a guerra, Tóquio foi reconstruída com um sistema ferroviário e de metrô de última geração, que foi exibido ao mundo quando a capital sediou as Olimpíadas de 1964 . Os anos setenta trouxeram um novo desenvolvimento e a população cresceu para onze milhões de habitantes e em 1978 foi inaugurado o Aeroporto Internacional de Narita , cuja construção gerou grandes protestos entre os ambientalistas. Na década de 1980, o preço da terra atingiu preços exorbitantes e muitos enriqueceram rapidamente, mas na década seguinte estourou uma grave crise econômica e muitas empresas, bancos e proprietários faliram devido ao colapso do preço da terra. Seguiu-se uma recessão que transformou os anos 90 na chamada "década perdida" do Japão.

Em 20 de março de 1995 houve um gravíssimo atentado ao metrô da cidade, perpetrado por uma seita de fanáticos que usava gás nervoso : doze pessoas morreram e milhares ficaram feridos, que ainda sofrem com os efeitos do gás.

Tóquio contemporânea

Tokyo Sky Tree , é a torre mais alta do Japão.

Tóquio é uma cidade em constante mudança, onde são feitos planos de desenvolvimento urbano e renovação. Projetos recentes incluem obras importantes, incluindo Ebisu Garden Place, Tennozu Isle, Shiodome, Roppongi Hills , Shinagawa (agora uma estação de trem de alta velocidade shinkansen ) e a Estação de Tóquio (no lado de Marunouchi). Os projetos de recuperação da terra do mar acontecem há séculos. O principal deles é o construído na região de Odaiba , que se tornou um importante centro de comércio e entretenimento. Em 2012 foi inaugurada a Tokyo Sky Tree , que com seus 634 metros de altura detém o recorde de segunda estrutura artificial mais alta do mundo, depois do Burj Khalifa, em Dubai . Este enorme desenvolvimento urbano lhe rendeu uma importante estreia: hoje Tóquio é de fato considerada a capital mundial do desenvolvimento tecnológico. [18]

Plano de dez anos

Em 2006 o governo metropolitano lançou um plano de renovação decenal que, para além de promover o desenvolvimento das infraestruturas urbanas, visa aumentar o nível de determinados setores como o ambiente, segurança, assistência, cultura, turismo, indústria e desporto. Este plano é baseado nos seguintes pontos: [19]

  • a conclusão de três circulares e outras artérias rodoviárias, projetadas para descongestionar o tráfego pesado da área da Grande Tóquio ;
  • promover o desenvolvimento urbano em harmonia com as necessidades dos cidadãos por uma melhor qualidade de vida ;
  • embelezar Tóquio e torná-la mais segura, em particular reduzindo o risco sísmico .

A administração indicou em tecnologia, em um novo tipo de desenvolvimento de recursos humanos e em cooperação com outros países asiáticos, as ferramentas a serem utilizadas para alcançar o planejado. [20] O programa executivo lançado em 2010 para atingir os objetivos do plano decenal, identificou várias iniciativas práticas a serem adotadas, incluindo o aumento de áreas verdes públicas, a redução da poluição, a instalação de dispositivos anti-sísmicos em edifícios públicos e privados, o desenvolvimento da construção de assistência social a favor dos idosos e famílias pobres com crianças. [21]

Paisagem urbana

A arquitetura de Tóquio foi amplamente moldada por sua história. Duas vezes na história recente, a metrópole ficou em ruínas: primeiro no grande terremoto Kantō de 1923 e depois após extensos bombardeios na Segunda Guerra Mundial. [22] Por esta razão, a paisagem urbana de Tóquio consiste principalmente de arquitetura moderna e contemporânea, e os edifícios mais antigos são escassos. [22] Tóquio apresenta muitas formas de arquitetura moderna de renome internacional, incluindo o Fórum Internacional de Tóquio , Asahi Beer Hall , a Torre Mode Gakuen Cocoon , o Edifício NTT Docomo Yoyogi e a Ponte Arco - Íris . Tóquio também possui duas torres distintas: a Torre de Tóquio e a nova Tokyo Sky Tree , que é a torre mais alta do Japão e do mundo, e a segunda estrutura mais alta do mundo depois do Burj Khalifa em Dubai. [23] Mori Building Co começou a trabalhar no novo edifício mais alto de Tóquio, que deve ser concluído em março de 2023. O projeto custará 580 bilhões de ienes ($ 5,5 bilhões). [24]

Tóquio também contém vários parques e jardins. Existem quatro parques nacionais na Prefeitura de Tóquio, incluindo o Parque Nacional Fuji-Hakone-Izu , que abrange todas as Ilhas Izu .

Tóquio do topo da SkyTree (recortado) .JPG
Vista panorâmica de Tóquio da Tokyo Sky Tree

Sociedade

Evolução demográfica

Habitantes (milhares) [25]

A área total da metrópole é de aprox. 2 188 km² . Em 2009, a população era de quase treze milhões, tornando Tóquio a mais populosa das prefeituras do Japão . [9]

O fenômeno crescente de urbanização que atingiu Tóquio nas últimas décadas em 2009 levou a população de distritos especiais a ultrapassar 8,2 milhões de habitantes; [9] Isto resultou num grande desenvolvimento da construção, do sistema de transportes públicos (com numerosas linhas ferroviárias e subterrâneas) e da rede rodoviária. O tráfego cada vez mais congestionado e as multidões crescentes geraram um debate sobre a possibilidade de realocar a capital para outro lugar.

Apesar de estar em um território de alto risco sísmico, Tóquio continua crescendo, com novos habitantes vindos de todos os cantos do Japão e do exterior. Foi formada uma comunidade multiétnica de estrangeiros que, em 1º de outubro de 2009, tinha 417.000 residentes. [9] A área de Tama , que se estende até 1 169,49 km² na parte oeste da metrópole, em 2009 tinha um total de 4,16 milhões de habitantes [9] concentrados principalmente no leste. A parte ocidental de Tama está localizada em uma área montanhosa e menos populosa. A população da área da ilha de Tóquio está constantemente diminuindo e em 2009 contava com 28.000 habitantes espalhados 406 km² , para uma densidade de 68 hab / km² . [9]

Mais de oito milhões de habitantes vivem nos vinte e três bairros especiais e, durante o dia, a população aumenta para 10,5 milhões, com trabalhadores e estudantes se deslocando de prefeituras próximas. Os residentes dos três distritos centrais de Chiyoda , Chūō e Minato são 300.000, mas durante o dia a área é rotineiramente frequentada por dois milhões de passageiros e habitantes locais. Tóquio tem a maior concentração de sedes multinacionais, instituições financeiras, universidades , escolas , museus , teatros , lojas e locais de entretenimento do país.

Área da Grande Tóquio

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Área da Grande Tóquio .

A área da Grande Tóquio inclui, além do campo, uma grande parte das prefeituras de Chiba , Kanagawa e Saitama . Cobre uma área de 13 555 km² e é habitada por cerca de trinta e cinco milhões de habitantes, o que representa 28% da população do país. [8]

Cultura

Templos

Existem mais templos e santuários antigos.

Universidade

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Universidade Imperial de Tóquio , Instituto de Tecnologia de Tóquio , Universidade de Artes de Tóquio , Universidade Waseda , Universidade Keio , Universidade Meiji , Universidade Fuji de Tóquio e Universidade das Nações Unidas .
O Auditório Yasuda da Universidade de Tóquio em Bunkyō

Tóquio tem muitas universidades, faculdades e escolas vocacionais. Muitas das universidades de maior prestígio do Japão estão localizadas na cidade de Tóquio, incluindo a Universidade de Tóquio, a Universidade Hitotsubashi , o Instituto de Tecnologia de Tóquio , a Universidade Waseda , a Universidade de Ciência de Tóquio , a Universidade Sophia e a Universidade Keio . [26]

Existe apenas uma universidade pública não nacional: a Tokyo Metropolitan University . Existem também algumas universidades conhecidas por suas palestras de inglês e ensino da língua japonesa, incluindo a Escola de Pós-Graduação em Administração da Globis University , a International Christian University , a Sophia University e a Waseda University .

Bibliotecas e arquivos

Tóquio é o lar da sede da Biblioteca Nacional da Dieta do Japão , a única biblioteca nacional do Japão .

O Arquivo do Estado contém documentos governamentais do período Edo .

Museus

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: museus de Tóquio .

Tóquio é o lar de muitos museus:

Outros museus são o museu de arte moderna, localizado perto do palácio imperial no distrito especial de Chiyoda; o Museu Edo-Tokyo no distrito de Sumida , perto do rio Sumida ; e o Museu de Arte Nezu em Aoyama .

Teatros e outras salas de concerto

Tóquio tem muitos teatros onde apresentações contemporâneas e formas tradicionais de teatro japonês, como Noh e Kabuki, são realizadas. Tali strutture vengono utilizzate anche per concerti di orchestre sinfoniche, che eseguono musica occidentale o anche musica tradizionale giapponese. Tokyo ospita anche concerti di musica pop e rock di artisti giapponesi e occidentali sia in club di piccole dimensioni generalmente chiamati live houses or stage houses, sia in strutture appositamente dedicate come il famoso e capiente palazzo dello sport del Nippon Budokan . Nuovo teatro nazionale di Tokyo è la più importante sala per spettacoli del Giappone : vi si rappresentano, fra l'altro, opere liriche , balleti , spettacoli di danza contemporanea , pièces di prosa .

Tra gli artisti di maggior rilievo ad aver preso parte a festival musicali esteri, va ricordata Yumiko Ashikawa (芦川祐美子), di 8 anni (30 agosto 1989), che partecipò alla 40sima edizione dello Zecchino d'Oro (1997) interpretando un brano da lei stessa scritto e composto, La pioggia , avvenimento unico nella storia della trasmissione [28] [29] [30] .

Eventi

Vista del Ponte dell'Arcobaleno e panorama di Tokyo di notte

Tokyo propone molti luoghi interessanti per i turisti provenienti da tutto il mondo sia in ambito culturale, sia sportivo ed è sede di molti eventi culturali dalle molte sfumature. Nell'arco dell'anno la città ospita innumerevoli festival, eventi mondani e sfilate di moda. A Tokyo sono presenti molti templi, teatri, musei e si organizzano concerti di importanza internazionale.

Matsuri

Sanja matsuri ad Asakusa

Di grande richiamo sono i matsuri , i tradizionali festival shintoisti . I tre più importanti, ai quali presenziano migliaia di spettatori, sono:

  • il Sannō matsuri , che si svolge ogni 15 giugno al santuario di Hie , nel quartiere speciale di Chiyoda;
  • il Sanja matsuri , che si tiene durante il terzo fine settimana di maggio al santuario di Asakusa , nell'omonimo circondario di Asakusa , che fa parte del quartiere speciale di Taitō;
  • il Kanda matsuri , che si tiene nel santuario di Kanda , situato a Chiyoda, ogni due anni nel fine settimana più vicino al 15 di maggio. Il festival si caratterizza per le sfilate di sacri palanchini riccamente decorati, chiamati mikoshi (神輿 o 御輿? ) , e di carri allegorici circondati da una fitta folla.

Fuochi artificiali

Ogni anno nell'ultimo sabato di luglio si svolge lungo il fiume Sumida un grande spettacolo pirotecnico che ha oltre un milione di spettatori.

Hanami

In primavera , in tutto il Giappone, milioni di persone si muovono per ammirare i fiori dei ciliegi giapponesi (sakura ? ) , una tradizione chiamata hanami (花見? letteralmente hana , cioè "fiori", mentre mi significa "vedere") . Secondo quest'usanza si organizza un picnic sotto tali alberi. A questo proposito gli abitanti di Tokyo si riuniscono nei vari parchi cittadini, tra i quali il parco di Ueno , il parco Inokashira e il Shinjuku Gyoen .

Cucina

La cucina di Tokyo è apprezzata a livello internazionale. Nel novembre 2007, la Michelin ha pubblicato la sua prima guida per una cucina raffinata a Tokyo, assegnando 191 stelle in totale, circa il doppio rispetto al concorrente più vicino di Tokyo, Parigi. A partire dal 2017, 227 ristoranti a Tokyo sono stati premiati (92 a Parigi). Dodici stabilimenti hanno ottenuto il massimo di tre stelle (Parigi ne ha 10), 54 hanno ricevuto due stelle e 161 hanno guadagnato una stella. [31]

Quartiere

Geografia antropica

Suddivisioni amministrative

La distinzione tra l'area dei quartieri speciali, in giallo, e l'area di Tama, in verde

La metropoli di Tokyo si divide in tre aree aventi tipi di amministrazione diversi:

  • quartieri speciali di Tokyo – situati nell'area più popolata, dove sorgeva l'estinta città di Tokyo;
  • area di Tama – situata nell'area ad ovest dei 23 quartieri speciali;
  • area insulare – situata nel Pacifico e formata da due arcipelaghi e altre isole minori.

    Città conurbate
    ( Area di Tama )

Tokyo Metropolis Map.svg

    Quartieri speciali

Quartieri speciali

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Quartieri speciali di Tokyo .
I quartieri speciali di Tokyo

Il 1º ottobre 2009 l'area dei quartieri speciali di Tokyo aveva una popolazione di 8 802 000 abitanti, [9] distribuiti su una superficie di 621 km² . Tale territorio è suddiviso in ventitré quartieri speciali, le cui amministrazioni godono di poteri e funzioni simili a quelle delle altre municipalità del Giappone .

Sebbene abbiano un buon grado di autonomia e ognuno di essi abbia un proprio governo e un sindaco locale, i ventitré quartieri devono coordinarsi con il governo metropolitano di Tokyo, l'organo di governo equiparabile a quello delle normali prefetture giapponesi. A carico del governo metropolitano vi sono determinati servizi offerti nell'area dei ventitré quartieri, quali quelli relativi alla gestione delle acque e degli acquedotti, alle fognature ed alla lotta antincendio, che nelle altre municipalità del Paese sono a carico dell'amministrazione comunale.

I "tre quartieri centrali" di Tokyo - Chiyoda, Chūō e Minato - sono il centro degli affari della città, con una popolazione diurna più di sette volte superiore alla loro popolazione notturna. [33] Chiyoda Ward è unico in quanto si trova nel cuore della ex città di Tokyo, ma è uno dei quartieri meno popolati. È occupato da molte importanti compagnie giapponesi ed è anche sede del governo nazionale e dell' imperatore giapponese . Viene spesso chiamato il "centro politico" del paese. [34] Akihabara si trova anche a Chiyoda.

I quartieri sono quelli di:

Area di Tama

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Tama (area) .
Una mappa delle città nella parte occidentale di Tokyo. Confina con i tre reparti speciali più occidentali nella mappa in alto.

Gli attuali quartieri speciali formavano la città di Tokyo, mentre la parte a ovest della ex-prefettura, di cui l'estinta città di Tokyo era il capoluogo , corrisponde all' area di Tama . Tale zona, in cui vivono oltre quattro milioni di abitanti, comprende ventisei città e il montuoso distretto di Nishitama , l'unico distretto del territorio metropolitano, formato dal villaggio di Hinohara e dalle cittadine di Hinode , Mizuho ed Okutama .

Area insulare

Sotto la giurisdizione metropolitana ricadono anche diverse isole del Pacifico, la cui superficie totale è di 473 km² .

Isole Izu
Localizzazione delle isole Izu
Localizzazione delle Isole Ogasawara

L' arcipelago delle Izu si estende a partire dalla baia di Tokyo . Le sue isole maggiori sono Izu Ōshima , Toshima , Nii-jima , Shikinejima , Kōzushima , Miyakejima , Mikurajima , Hachijojima , e Aogashima . Tali isole sono ripartite amministrativamente in tre sottoprefetture:

Isole Ogasawara

Il più lontano arcipelago delle Ogasawara comprende le isole di Chichi jima , Nishinoshima , Haha-jima , Kita Iwo Jima , Iwo Jima , e Minami Iwo Jima . La sottoprefettura di Ogasawara , l'unica di questo arcipelago, amministra anche le disabitate isole di Minami Torishima , lontana circa 1 850 km da Tokyo, e di Okino Torishima , il punto più a sud del Giappone.

Economia

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Borsa di Tokyo .
Sede della Banca del Giappone a Chuo, Tokyo

Tokyo ha la più grande economia metropolitana del mondo. Secondo uno studio condotto da PricewaterhouseCoopers , la Grande Area di Tokyo (Tokyo-Yokohama) di 38 milioni di persone aveva un PIL totale di $ 2 trilioni nel 2012 (a Parità di potere d'acquisto ), in cima a tale elenco.

Tokyo è un importante centro finanziario internazionale; [35] che ospita la sede di molte delle più grandi Banca d'investimento e compagnie assicurative del mondo e funge da hub per i settori dei trasporti, dell'editoria, dell' elettronica e della radiodiffusione in Giappone. Durante la crescita centralizzata dell'economia giapponese dopo la Seconda guerra mondiale , molte grandi aziende hanno spostato le loro sedi da città come Osaka (la storica capitale commerciale) a Tokyo, nel tentativo di sfruttare un migliore accesso al governo. Questa tendenza ha iniziato a rallentare a causa della continua crescita della popolazione a Tokyo e dell'elevato costo della vita lì.

Tokyo è stata valutata dall' Economist Intelligence Unit come la città più costosa (il più alto costo della vita ) del mondo per 14 anni consecutivi, terminando nel 2006. [36]

È considerata una delle città guida dell'economia mondiale, insieme a New York e Londra. [37] La borsa di Tokyo , la sede centrale della Banca del Giappone e le maggiori istituzioni finanziarie del Paese si trovano nel distretto urbano di Nihonbashi , che fa parte del quartiere centrale di Chūō . [38]

Le tasse imposte dal governo metropolitano si basano principalmente sui redditi degli abitanti e sui profitti delle aziende. Altre forme di tassazione locale vengono raccolte dalle municipalità conurbate, mentre nell'area dei quartieri speciali, che pur godono di buoni margini di autonomia amministrativa, tali imposte vengono gestite direttamente dal governo metropolitano. Un'altra fonte di introito per l'amministrazione metropolitana è rappresentata dall'emissione di obbligazioni . [38]

Negli ultimi decenni si è assistito a fenomeni di degrado sociale dovuti alle varie crisi che hanno investito i Paesi più industrializzati. A Tokyo, come in molte altre parti del Giappone, uno dei riflessi più evidenti di tale crisi è rappresentato dal crescente numero dei disoccupati, dei lavoratori precari e dei senzatetto . Questi ultimi, secondo un'indagine del 2003, erano almeno 6 300. [39]

Infrastrutture e trasporti

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Trasporti in Giappone .

L' area metropolitana di Tokyo è la più popolata del pianeta ed è dotata di un'efficiente e fitta rete di trasporti ferroviari, aerei, stradali e marittimi.

Aeroporti

La metropoli è servita da due aeroporti maggiori:

Ferrovie

Il lato Marunouchi della stazione di Tokyo

È possibile orientarsi a Tokyo utilizzando le molte linee ferroviarie locali. Una delle principali è la linea Yamanote , che compie un percorso anulare attorno al centro storico metropolitano e muove quattro milioni di passeggeri al giorno. I trasporti ferroviari sono costituiti da molte linee metropolitane e suburbane gestite da diverse compagnie.

Strade

Hamazakibashi JCT nel Shuto Autostrada

Una fitta rete di strade ed autostrade collega i vari punti della metropoli tra loro e con il resto del Paese. Vi è un sensibile ritardo nell'approntamento di una rete stradale adeguata allo sviluppo urbano dei quartieri speciali. [8] Di particolare interesse è l' aqua-Line Baia di Tokyo , mirabile opera di ingegneria moderna. È la combinazione di un ponte e una galleria sulla baia di Tokyo. La galleria, che con una lunghezza di 5 km rappresenta il più lungo tunnel stradale subalveo del mondo, è seguita da un ponte della lunghezza di 4,4 km . La transizione tra ponte e galleria avviene sull'isola artificiale di Umi hotaru (海ほたる, letteralmente "lucciola di mare").

Trasporti marittimi

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Baia di Tokyo .

Amministrazione

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Governo metropolitano di Tokyo .
La sede del governo di Tōkyō

Dal punto di vista amministrativo Tokyo è una metropoli (to ? ) che, a seguito delle trasformazioni avvenute in passato, corrisponde oggi a una delle quarantasette prefetture del Giappone , avendo raggruppato nel tempo varie città indipendenti fusesi insieme in un'unica conurbazione .

L'amministrazione di questa entità è affidata al Governo metropolitano di Tokyo (東京都庁Tōkyōto-chō ? ) , formato da un governatore eletto dal popolo e da un'assemblea. L' edificio della sede centrale è ubicato nel quartiere speciale di Shinjuku . Il governo metropolitano amministra i 23 quartieri speciali di Tokyo (ciascuno governato come una città a sé stante), nonché le altre città grandi e piccole che costituiscono la prefettura. Con una popolazione di oltre 15 milioni di persone che vivono all'interno dei suoi confini, e molte altre che fanno le pendolari dalle prefetture vicine, il governo metropolitano esercita un significativo potere politico all'interno del Giappone.

Gemellaggi

A tutto il 2010 Tokyo era gemellata con le seguenti undici città e Stati: [40]

Sport

Ryōgoku Kokugikan arena di sumo wrestling

Tokyo ha organizzato la XVIII Olimpiade nel 1964 ed era stata scelta dal Comitato olimpico giapponese , il 30 agosto 2006 , come città candidata per i Giochi olimpici estivi del 2016 , poi assegnati a Rio de Janeiro . Il 7 settembre 2013 alla 125ª sessione plenaria del CIO , la capitale giapponese è stata scelta come città ospitante nel 2020 i Giochi della XXXII Olimpiade , sconfiggendo la candidature di Istanbul e Madrid ; tali Olimpiadi sono state poi posticipate nel 2021 a causa della Pandemia di COVID-19 .

La principale squadra di baseball cittadina è quella degli Yomiuri Giants , più volte laureatasi campione del Giappone, che disputa gli incontri casalinghi al moderno Tokyo Dome . Le maggiori compagini calcistiche sono il Football Club Tokyo e il Tokyo Verdy . Tra le altre principali strutture sportive ci sono i palazzi dello sport del Tokyo Metropolitan Gymnasium e del Nippon Budokan , nonché il National Stadium , tutti impianti che ospitarono i giochi olimpici del 1964.

Note

  1. ^ Edochiano , in Treccani.it – Vocabolario Treccani on line , Istituto dell'Enciclopedia Italiana. URL consultato l'8 marzo 2016 .
  2. ^ Wolfgang Schweickard, Derivati da nomi geografici: RZ , in Deonomasticon Italicum , vol. IV, Berlino, de Gruyter , 2013, p. 598, ISBN 978-3-11-026272-8 .
  3. ^ Luciano Canepari , Tokyo , in Il DiPI – Dizionario di pronuncia italiana , Zanichelli, 2009, ISBN 978-88-08-10511-0 .
  4. ^ Bruno Migliorini et al. , Scheda sul lemma "Tokyo" , in Dizionario d'ortografia e di pronunzia , Rai Eri, 2007, ISBN 978-88-397-1478-7 .
  5. ^ Nussbaum, Louis-Frédéric. (2005). "Tōkyō" in Japan Encyclopedia , pp. 981–982 . ; in "Kantō" p. 479 .
  6. ^ Edo was renamed Tokyo , su keywordswiki.com . URL consultato il 18 agosto 2019 ( archiviato il 18 agosto 2019) .
  7. ^ ( EN ) History of Tokyo , su Tokyo.jp . URL consultato il 18 febbraio 2019 (archiviato dall' url originale il 12 ottobre 2007) .
  8. ^ a b c d ( EN ) Geography of Tokyo , su Tokyo.jp . URL consultato il 18 febbraio 2019 (archiviato dall' url originale l'8 novembre 2011) .
  9. ^ a b c d e f g ( EN ) Population of Tokyo , su Tokyo.jp . URL consultato il 18 febbraio 2019 (archiviato dall' url originale il 10 agosto 2013) .
  10. ^ United Nations, The World's Cities in 2016 ( PDF ), su United Nations , 12 marzo 2017 ( archiviato il 12 gennaio 2017) .
  11. ^ Fortune , Global Fortune 500 by countries: Japan , CNN. URL consultato il 22 luglio 2011 ( archiviato il 18 luglio 2011) .
  12. ^ The Global Financial Centres Index 26 ( PDF ), su zyen.com , Long Finance, settembre 2019. URL consultato il 3 ottobre 2019 .
  13. ^ ( JA ) 東京 平年値(年・月ごとの値) 主な要素, su data.jma.go.jp , Agenzia meteorologica giapponese .
  14. ^ ( JA ) 平年値(年・月ごとの値, su data.jma.go.jp , Agenzia meteorologica giapponese .
  15. ^ ( JA ) 観測史上1~10位の値(年間を通じての値) , su data.jma.go.jp , Agenzia meteorologica giapponese .
  16. ^ Giorgio Piccinato, Un mondo di città .
  17. ^ Jared Diamond, Collasso , e Giorgio Piccinato, Un mondo di città .
  18. ^ Classifica delle 10 città più Tecnologiche del Mondo , travel365.it.
  19. ^ ( EN ) Tokyo's Big Change: The 10-Year plan , su metro.tokyo.jp (archiviato dall' url originale il 12 novembre 2012) .
  20. ^ ( EN ) [= https://web.archive.org/web/20120806222127/http://www.metro.tokyo.jp/ENGLISH/PROFILE/policy02.htm Three perspectives of the 10-Year Plan ], su metro.tokyo.jp (archiviato dall' url originale il 6 agosto 2012) .
  21. ^ ( EN ) Key Initiatives of the 2010 Action Program , su metro.tokyo.jp (archiviato dall' url originale il 17 aprile 2012) .
  22. ^ a b ( EN ) Hidenobu Jinnai, Tokyo: A Spatial Anthropology , University of California Press, 1995, pp. 1-3, ISBN 0-520-07135-2 . URL consultato il 14 marzo 2020 ( archiviato il 1º gennaio 2016) .
  23. ^ Tokyo – GoJapanGo , in Tokyo Attractions – Japanese Lifestyle , Mi Marketing Pty Ltd. URL consultato il 18 aprile 2012 (archiviato dall' url originale il 26 aprile 2012) .
  24. ^ ( EN ) Tokyo skyline reaches for new heights with $5.5 billion Mori project , in Reuters , 22 agosto 2019. URL consultato il 22 agosto 2019 ( archiviato il 22 agosto 2019) .
  25. ^ Population of Japan ( PDF ), su stat.go.jp , Ministero degli affari interni e delle comunicazioni .
  26. ^ QS University Rankings: Asia 2016 , su topuniversities.com , QS Quacquarelli Symonds Limited . URL consultato il 13 giugno 2016 ( archiviato il 16 giugno 2016) .
  27. ^ ( EN ) Art Museum, Crafts Gallery and National Film Center
  28. ^ https://zecchinodoro.org/edizione/40-edizione
  29. ^ https://zecchinodoro.org/artista/ashikawa-yumiko
  30. ^ https://www.stpauls.it/gio97/4597gi/4597giz3.htm
  31. ^ Tokyo 'top city for good eating' , in BBC News , 20 novembre 2007. URL consultato il 18 ottobre 2008 ( archiviato il 17 dicembre 2008) .
  32. ^ Chris Perry, Rebels on the Bridge: Subversion, Style, and the New Subculture ( SWF ), Self-published (Scribd), 25 aprile 2007. URL consultato il 4 dicembre 2007 ( archiviato il 14 ottobre 2007) .
  33. ^ ( EN ) The Population of Tokyo , su metro.tokyo.jp , Tokyo Metropolitan Government. URL consultato il 14 marzo 2020 (archiviato dall' url originale il 23 dicembre 2008) .
  34. ^ Pray For Tokyo: Chiyoda , su karisjapan.org , Karis Japan. URL consultato il 20 aprile 2015 (archiviato dall' url originale il 20 luglio 2014) .
  35. ^ Financial Centres, All shapes and sizes , in The Economist , 13 settembre 2007. URL consultato il 14 ottobre 2007 ( archiviato il 31 ottobre 2007) .
  36. ^ Top 3 Things to See & Do in Shibuya – Tokyo's Busiest District , 13 aprile 2017. URL consultato il 9 giugno 2017 ( archiviato il 5 febbraio 2019) .
  37. ^ Sassen, Saskia , The Global City: New York, London, Tokyo , 2ª ed., Princeton University Press, 2001, ISBN 0-691-07063-6 .
  38. ^ a b ( EN ) Tokyo's Finances , su metro.tokyo.jp (archiviato dall' url originale il 6 aprile 2012) .
  39. ^ ( EN ) Ishiwatari, Tamae: Homelessness in Japan Archiviato il 4 giugno 2009 in Internet Archive . su shareintl.org.
  40. ^ ( EN ) Sister Cities (States) of Tokyo , su metro.tokyo.jp (archiviato dall' url originale il 18 luglio 2014) .

Bibliografia

  • Dusan Simko, Einwohner und Umweltbelastung in Tokyo. Fallstudie: Die Nachbarschaft Ojima in Koto-ku. , Birkhäuser-Verlag, 1990. ISBN 3-7643-2539-9 .
  • Edward Seidensticker, Tokyo Rising: The City Since the Great Earthquake , Boston , Harvard University Press, 1991. ISBN 0-674-89461-8 .
  • Matthias Eichhorn, Pendlerverkehr in Tokyo. Probleme und Perspektiven , Holos, 1997. ISBN 3-86097-426-2 .
  • Martin Gostelow, Tokyo City Pack , Ed. Aguilar, 1998. ISBN 84-03-59830-0 .
  • Gottfried Wohlmannstetter, Finanzplatz Tokyo , Francoforte , Knapp, 1998. ISBN 3-7819-1167-5 .
  • Carlos Gispert, Tokyo , Ed. Océano, 2002. ISBN 84-95199-93-9 .
  • Giorgio Piccinato, Un mondo di città , Torino, Edizioni di Comunità, 2002. ISBN 88-245-0585-6 .
  • Ben Simmons, Johnny Hymas, Gozard Vilhar, Japanscapes , Tokyo, Kodansha International Ltd., 2002. ISBN 4-7700-2876-8 .
  • Martin Lutterjohann, Tokyo mit Yokohama und Kyoto , Reise Know-How Verlag Rump, 2004. ISBN 3-8317-1251-4 .
  • Evelyn Schulz, Stadt-Diskurse in den Aufzeichnungen über das Prosperieren von Tokyo , Iudicium, 2004. ISBN 3-89129-775-0 .
  • Jared Diamond, Collasso: come le società scelgono di morire o vivere , Torino Einaudi, 2005 [ed.italiana; titolo originale Collapse. How Societies Choose to Fail or Succeed ]. ISBN 978-88-06-18642-5 .
  • Elke Hayashi-Mähner, Tagelöhner und Obdachlose in Tokyo , Iudicium, 2005. ISBN 3-89129-181-7 .
  • Wendy Yanagihara, Tokyo de cerca , Barcellona, Ed. Geoplaneta, 2008. ISBN 978-84-08-06965-2 .

Voci correlate

Altri progetti

Collegamenti esterni

Controllo di autorità VIAF ( EN ) 140713831 · ISNI ( EN ) 0000 0004 1757 6305 · LCCN ( EN ) n79034998 · GND ( DE ) 4078337-6 · BNF ( FR ) cb11975700f (data) · NDL ( EN , JA ) 00280764 · WorldCat Identities ( EN ) lccn-n80017711
Giappone Portale Giappone : accedi alle voci di Wikipedia che parlano del Giappone