Esporte na Itália

Da Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para a navegação Ir para a pesquisa
Esporte na Itália
Mennea roma74.jpg
Pietro Mennea vence a corrida de 100 metros no Campeonato Europeu de Atletismo de 1974 em Roma
Dados
país Itália Itália
Corpo Comitê Olímpico Nacional Italiano
Praticantes 4.500.327 [1] (em 2013)
Clube 64 829 [1] (em 2013)
Competições internacionais
Jogos Olímpicos de Verão
Jogos Olímpicos de Inverno
Jogos do Mediterrâneo
Competições de clube
Situação atualizada em 2 de março de 2015

A tradição esportiva italiana é quase tão longa quanto sua história: em quase todos os esportes, individuais e coletivos, a Itália pode se orgulhar de muitos sucessos. No entanto, quase todas as vitórias em esportes coletivos continuam sendo prerrogativas dos homens, com exceção do vôlei , pólo aquático e esgrima .

O contexto social do esporte na Itália

Esporte na Itália

O esporte na Itália é muito popular: há três jornais nacionais que tratam exclusivamente do esporte ( La Gazzetta dello Sport - facilmente reconhecível porque é impresso em papel rosa - Il Corriere dello Sport-Stadio e Tuttosport ) e muitos programas de televisão e rádio, diários ou semanalmente, são dedicados a temas esportivos (o programa mais popular é La Domenica Sportiva ).

Além do futebol , é muito popular o ciclismo , que tem o seu evento mais famoso no Giro d'Italia , uma etapa que atravessa toda a península e se realiza todos os anos entre o final de maio e os primeiros dias de junho. Nesta competição participam não só atletas italianos, mas também ciclistas de todo o mundo.

Outra paixão dos italianos é o automobilismo. Na verdade, o campeonato mundial de Fórmula 1 é muito popular, geralmente ao vivo pela televisão. Neste campeonato, as Ferraris, chamadas de "vermelhas" de Maranello (uma pequena cidade na província de Modena, onde esses famosos carros de corrida são construídos). Populares como o ciclismo e o automobilismo, recentemente se tornaram esqui, basquete, vôlei ou tênis, que são muito populares, especialmente entre os jovens. Menos populares do que estes são outros esportes, como pólo aquático, esgrima, atletismo, equitação, remo e tiro ao prato, ainda que os atletas italianos, os azzurri, alcancem resultados notáveis ​​no campo internacional justamente nessas modalidades, especialmente no ocasião das Olimpíadas.

Dados do ISTAT sobre prática esportiva na Itália

Em 2015, estimava-se que mais de 20 milhões de pessoas com três anos ou mais praticavam um ou mais esportes de forma contínua (24,4%) ou ocasional (9,8%). A incidência de praticantes na população com 3 anos ou mais é de 34,3%.

Entre os homens, 29,5% praticam esportes continuamente e 11,7% ocasionalmente. Para as mulheres, os percentuais são menores, respectivamente 19,6% e 8,1%. A prática esportiva contínua cresce com o tempo para ambos os sexos e em todas as idades: de 15,9% em 1995 para 22,4% em 2010 até 24,5% em 2015.

A prática de esportes é maior na faixa etária de 11 a 14 anos (70,3%, dos quais 61% continuamente e 9,3% ocasionalmente) e tende a diminuir com a idade.

As diferenças em relação ao nível de escolaridade são significativas: 51,4% dos licenciados praticam desporto, 36,8% dos licenciados, 21,2% dos que têm o ensino secundário e apenas 7,3% dos que têm o ensino básico ou não têm qualificação .

Entre os esportes mais praticados estão ginástica, aeróbica, preparo físico e cultura física (25,2% dos esportistas, igual a 5.097.000 pessoas), futebol (23%, 4.642.000 pessoas) e esportes aquáticos (21,1%, 4.265.000 pessoas). A natação é o esporte mais praticado por crianças de até 10 anos (43,1%), futebol entre menores de 35 anos (33,6%), ginástica, aeróbica, preparo físico e cultura física entre adultos de até 59 anos e maiores de 60 (27,4%).

A categoria de excursões e caminhadas de pelo menos 2 km, levantada explicitamente pela primeira vez em 2015, é praticada por mais de 1.173.000 pessoas.

26,5% da população não pratica desporto mas pratica actividade física, como fazer longas caminhadas ou andar de bicicleta, jardinagem, etc. (15.640.000 pessoas).

Os sedentários, ou seja, aqueles que declaram não praticar nenhum esporte ou atividade física no tempo livre, são mais de 23 milhões (39,1% da população) e aumentam com a idade para atingir quase metade da população com 65 anos ou mais.

Gênova ( Liguria ) o time de futebol mais antigo da Itália e um dos mais escalados do início da Série A.
A seleção nacional de pólo aquático é premiada após a vitória nos Jogos de Roma de 1960

Disciplinas esportivas

Atletismo

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Atletismo na Itália .

Futebol americano

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Futebol na Itália .
Jogo no Estádio Allianz , o estádio da Juventus, o time mais popular da Itália

O futebol ocupa o primeiro lugar na Itália em termos de fãs e entusiastas. A seleção italiana de futebol está entre as mais bem-sucedidas do mundo, perdendo apenas para a brasileira e no mesmo nível da alemã , tendo vencido 4 Campeonatos Mundiais em 1934 , 1938 , 1982 e 2006 , dois Campeonatos Europeus em 1968 e 2020 , uma medalha de ouro nas Olimpíadas de Berlim de 1936 e duas de bronze (com suas equipes juvenis), nas Olimpíadas de Amsterdã de 1928 e nas Olimpíadas de Atenas de 2004 . As seleções juvenis também são altamente condecoradas: a seleção nacional Sub-21 detém o maior número de sucessos, 5 em igualdade com a Espanha , na categoria europeia ocorrida em 1992 , 1994 , 1996 , 2000 e 2004 . Já a Seleção Sub-19 tem apenas um triunfo na categoria europeia ocorrido em 2003 .

Vários times de futebol italianos ganharam vários troféus em nível confederal e interconfederal , dando visibilidade internacional ao futebol italiano. São principalmente Milan , Juventus - o clube mais famoso do país - e Inter que, em outubro de 2018, juntos conquistaram 38 títulos internacionais (18, 11 e 9 respectivamente) e que são considerados pelo ' IFFHS , entidade estatística reconhecida por FIFA , entre os dez melhores clubes europeus do século XX .

O campeonato italiano desde o ano passado enviou 4 times e 3 times da Europa para a Champions League (incluindo o vencedor da Copa da Itália).

O atual artilheiro da seleção italiana de futebol é Gigi Riva , com 35 gols. Entre os futebolistas italianos de renome internacional, lembramos: Roberto Baggio , Franco Baresi , Giuseppe Bergomi , Gianluigi Buffon , Antonio Cabrini , Fabio Cannavaro , Alessandro Del Piero , Giacinto Facchetti , Claudio Gentile , Paolo Maldini , Sandro Mazzola , Valentino Mazzola , Alessandro Nesta , Andrea Pirlo , Gianni Rivera , Paolo Rossi , Gaetano Scirea , Marco Tardelli , Francesco Totti e Dino Zoff . Entre os treinadores de renome internacional: Carlo Ancelotti , Fabio Capello , Marcello Lippi , Vittorio Pozzo , Claudio Ranieri , Nereo Rocco , Arrigo Sacchi e Giovanni Trapattoni .

Esportes motorizados

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Italiano de Super Touring e Campeonato Italiano de Velocidade .
Entrada da fábrica da Ferrari em Maranello

A Itália possui excelentes tradições em esportes motorizados. Famosos no mundo são os autódromos de Monza e Imola (dedicado a Enzo Ferrari e seu filho mais velho Dino ), o circuito de Mugello e Misano Adriatico (dedicado ao motociclista Marco Simoncelli ).

Automobilismo

No automobilismo , o segundo esporte do país em número de torcedores, igualmente importante são os palmarés de marcas e pilotos italianos, da Fórmula 1 às corridas de enduro e aos ralis. Em velocidade, desde as primeiras corridas do século 20, Fiat , Alfa Romeo , Maserati (o único fabricante italiano a vencer as 500 milhas de Indianápolis duas vezes), Ferrari , Abarth e Lancia , venceram nas corridas mais importantes ( Targa Florio , Rally d 'Italia , Mille Miglia , 24 Horas de Le Mans , Nürburgring , Carrera Panamericana ) e conquistou títulos mundiais e continentais em todas as categorias.

Na Fórmula 1 , a Scuderia Ferrari detém o recorde de títulos para pilotos e construtores, de vitórias em corridas individuais e de presença ininterrupta desde o estabelecimento do campeonato mundial em 1950 . Desde suas origens, os motoristas mais representativos são: Nazzaro, Cagno, Lancia , Antonio Ascari , Campari , Brilli-Peri , Borzacchini , Fagioli , Bordino , Masetti , Materazzi, Nuvolari , Varzi , Biondetti , Alberto Ascari , Villoresi , Taruffi , Musso , Castellotti , Baghetti , Bandini , Scarfiotti , Luciano Bianchi, Merzario , Alboreto , Patrese , Baldi , Trulli , Fisichella , Pirro , Capelli e Rinaldo Capello (este último em provas de enduro)

Nas corridas de rua, a Targa Florio , a Mille Miglia , a Coppa Acerbo e o Giro di Sicilia estão entre as corridas mais antigas e famosas da história. Nos ralis, Lancia (com as inesquecíveis Fulvia HF , Stratos , 037 e Delta ) e Fiat ( 124 spyder , 131-Abarth ), ostentam inúmeros títulos mundiais , fabricantes e pilotos ( Munari , Biasion , Alessandro Fiorio , Alessandro Fassina ), e títulos continental (Pinto, Munari, Verini, Carello, Vudafieri, "Tony" Fassina , Biasion, Capone, Tabaton, Cerrato, Liatti, Bertone, Navarra, Andreucci, Travaglia e Basso, campeão de 2006 com o Fiat Grande Punto ).

Motociclismo

No motociclismo , os grandes campeões do passado, como Arcangeli, Masetti , Ubbiali , Provini e Giacomo Agostini , o piloto de maior sucesso da história do Mundial [2] , (15 vezes campeão mundial nas classes 350 e 500 cc com 10 vitórias no Troféu Turístico) são merecidamente seguidos pelos campeões da actualidade, Max Biaggi , Loris Capirossi e Valentino Rossi , nove vezes campeão do mundo nas várias classes. As marcas Bianchi , Aprilia , Beta Motor , Cagiva , Gilera , Guzzi , MV Agusta , TM Racing , Benelli e Ducati venceram as corridas de maior prestígio e venceram campeonatos mundiais em todas as categorias.

Tony Cairoli é o italiano mais titulado no Motocross, enquanto na categoria feminina (WMX) Kiara Fontanesi é a mais titulada do mundo, com 6 campeonatos conquistados, 4 dos quais consecutivos.

Powerboating

A Motonáutica tem uma longa história ligada ao país italiano. Com a fundação da Federação Italiana de Barcos a Motor em 1923, cujo presidente era Ferdinando di Savoia , este esporte atraiu imediatamente personalidades proeminentes da época com frequentadores dos primeiros grandes eventos, incluindo Guglielmo Marconi , Benito Mussolini , D'Annunzio . O esporte na Itália cresceu em particular a partir dos anos 70 e conta com Angelo Moratti e posteriormente Massimo Moratti entre os presidentes de sua federação. Em 1929 nasceu o Pavia-Venice Raid, a maior corrida de lanchas a motor do mundo na época. Na década de 1930, Gabbriele D'Annunzio ofereceu a Coppa dell'Oltranza para as competições de Gardone . Os principais centros da Força de Força italiana instalaram-se na região da Lombardia e, em particular, em Como , Milão . [3]

Renato Molinari é certamente um dos maiores do powerboating italiano, um piloto com habilidades excepcionais, múltiplo campeão mundial na Fórmula 1 e em muitas outras categorias internacionais. Mais recentemente, um campeão produzido pela lancha italiana é Guido Cappellini, que na classe internacional mais importante, a Fórmula 1 , ganhou mais campeonatos mundiais do que qualquer outro na história. [4] Alex Carella (quatro vezes campeão mundial) e Francesco Cantando ainda competem hoje entre os blues proeminentes no powerboating moderno. Além da lancha Fórmula 1, o Campeonato Mundial Aquabike (jet ski ) foi realizado nas águas do Piemonte, Lombardia, Puglia e Sardenha .

Beisebol

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Liga Italiana de Beisebol , Liga Italiana de Beisebol e História do Beisebol na Itália .

O beisebol é praticado na Itália desde 1887 , mas a primeira federação foi formada na Itália apenas em 1948 . A seleção italiana tem um papel respeitado na Europa, ostenta aos europeus bem 10 ouros, 16 pratas e 3 bronzes, tornando-se a segunda potência do continente (atrás apenas da Holanda ). Já sediou o Campeonato da Europa 7 vezes (a última vez em 1999 ). Nunca conquistou medalha nem nas Olimpíadas nem no Mundial , o melhor resultado é, respectivamente, 6º ( nas Olimpíadas de Sydney e Atlanta ) e 4º (no Mundial de 1998 ). Já sediou o campeonato mundial 4 vezes (em 1978 , 1988 , 1998 e junto com outras nações europeias em 2009 ). No campeonato italiano a equipa mais bem sucedida é o Nettuno com 17 scudetti. Na Copa da Europa as seleções italianas quase sempre brilharam. A seleção italiana, assim como a seleção europeia, que mais conquistou Copas, é o Parma (com 13 vitórias). Outras equipas italianas que já conquistaram a Taça da Europa são o já referido Nettuno (com 5 vitórias), Rimini (com 4), Fortitudo Bologna (com 4), Milan (com 3) e Grosseto (com apenas uma vitória).

Basquetebol

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: campeonato italiano de basquete .

O basquete ou de basquete , para os italianos, é a segunda esportes de equipe , para os fãs e membros seguir [5] , depois do futebol (1,252,454 espectadores nas salas na temporada 2005 / 06 da Liga A ). Essa disciplina sempre foi mesquinha com troféus mundiais, dado o monopólio dos Estados Unidos , Soviete e Iugoslavo , mas nos anos 90 a seleção , assim como os clubes, passaram por um bom momento, graças a uma geração de campeões sem precedentes.

O saldo masculino italiano no Campeonato Europeu (hospedado 3 vezes: 1969 , 1979 e 1991 ) é de 10 troféus, em detalhe: 2 ouros ( 1983 , 1999 ), 4 pratas ( 1937 , 1946 , 1991 , 1997 ) e 4 bronzes ( 1971 , 1975 , 1985 , 2003 ). A Itália ainda não ganhou um Campeonato do Mundo , um evento que nunca foi organizado. Nas Olimpíadas , a seleção nacional conquistou duas medalhas de prata, em Moscou em 1980 e em Atenas em 2004 . Depois deste último sucesso, os Azzurri não brilharam mais.

O basquete feminino, monopólio da Rússia (22 vitórias em 30 edições), reservou um ouro ( 1938 ), uma prata ( 1995 ) e um bronze ( 1974 ) nos Campeonatos Europeus , mas sempre permaneceu seco na Copa do Mundo .

Voleibol

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Italiano de Voleibol Masculino e Campeonato Italiano de Voleibol Feminino .

O voleibol tem uma excelente tradição na Itália. A seleção masculina ostenta no Campeonato Europeu (sediado em 1948 e 2005 em Roma e em 1971 em Milão ) 6 ouros ( 1989 , 1993 , 1995 , 1999 , 2003 , 2005 ), 2 pratas ( 1991 , 2001 ) e 2 bronzes ( 1948 , 1997 ); na Copa do Mundo , porém, o orçamento diminui, mas permanece no nível mais alto: 3 ouros consecutivos ( 1990 , 1994 , 1998 ) e o quarto escapou justamente quando jogavam em Roma ( 1978 ): derrotado pelos russos, os azzurri também obteve a única medalha de prata mundial ( 1978 ). Curiosamente, faltam os bronzes do mundo. Em 2010 , porém, a Copa do Mundo voltará a Roma . A Itália também conquistou uma medalha de ouro na Copa do Mundo (não confundir com a Copa do Mundo ), uma medalha de prata e uma de bronze. A seleção italiana também foi reconhecida e premiada pela Federação Internacional de Voleibol ( FIVB ), como o time do século XX , e entre os jogadores a receber o laurel de jogador de vôlei do século estava Lorenzo Bernardi .

Já no vôlei feminino, na Copa do Mundo , as italianas conquistaram o primeiro ouro na edição alemã ( 2002 ) após uma partida extraordinária contra os EUA . No campo europeu , historicamente dominado primeiro pela União Soviética e depois pela Rússia (13 ouros em 26 edições), o ouro chega em 2007 e é adicionado às 2 pratas ( 2001 , 2005 ) e aos 2 bronzes ( 1989 , 1999 ) ao qual foi adicionada uma Copa do Mundo vencida em novembro de 2007.

Rúgbi aos 15

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: o rugby de 15 jogadores na Itália .

Chegado à Itália na década de 10 do século XX da França , os principais centros da época eram Turim e Milão , teatros dos primeiros encontros demonstrativos. Após a Primeira Guerra Mundial, Stefano Bellandi , que já havia investido na divulgação do rúgbi antes do conflito, empreendeu diversas atividades de propaganda até que conseguiu convencer os diversos clubes a formarem um comitê promotor em 1927, a Federação Italiana de Rúgbi em 1928 e, em 1929 , a seleção nacional e o primeiro campeonato. Nos anos cinquenta, jogadores como Sergio Lanfranchi , Mario Battaglini e Paolo Rosi deram-se a conhecer no estrangeiro e as várias equipas de clubes italianos percorreram a França e a Inglaterra.

Em 1987, a seleção italiana participou da primeira Copa do Mundo e disputou a partida inaugural do torneio, sofrendo uma clara derrota para a Nova Zelândia; a primeira vitória contra a França , que aconteceu na final da Copa da Europa de 1997, e as subsequentes nas partidas-teste contra a Irlanda e a Escócia favoreceram a admissão da Itália nas Cinco Nações, que assim se tornaram Seis Nações a partir de 2000. Desde 2010, o A federação italiana tem duas franquias de clubes militantes em uma liga transnacional, a Pro14 , que também inclui times do País de Gales, Escócia, Irlanda e África do Sul.

Ciclismo

Arrows-folder-categorize.svg Os itens individuais estão listados na categoria: competições italianas de ciclismo

É praticado principalmente na estrada, enquanto a versão em pista tem marcado o ritmo nos últimos anos. As principais competições italianas são o Giro d'Italia , entre as corridas por etapas, que representa uma das três provas de ciclismo do Grande Giro , e o Milan-Sanremo , o Strade Bianche e o Giro di Lombardia entre as corridas de um dia. Além disso, também é disputada a Tirreno-Adriatico , uma importante corrida de curta duração no início da temporada. O ciclismo é o esporte mais popular na Itália desde o final do século XIX e ao longo da primeira metade do século XX. As estradas do Giro d'Italia estavam cheias de gente, como nos nossos dias, e o ciclismo foi o primeiro desporto nacional. Os nomes dos grandes ciclistas italianos da época são Girardengo , Brunero , Binda , Bottecchia , Guerra , Coppi e Bartali .

A partir dos anos 60, apesar de ainda ser um esporte muito popular, devido à disseminação do automóvel, o ciclismo sofreu uma grave crise, deixando aos poucos o futebol como destaque do esporte mais amado pelos italianos. Além disso, nos últimos anos, repetidos escândalos de doping reduziram ainda mais o interesse dos fãs por esse esporte. No entanto, o Giro d'Italia continua muito popular e nos vinte dias em que é realizado, o número de adeptos que acompanham esta competição nas ruas ou na televisão é ainda muito elevado.

Os grandes campeões italianos de ciclismo da "era moderna" são: Gastone Nencini , Felice Gimondi , Franco Bitossi , Vittorio Adorni , Francesco Moser , Giuseppe Saronni , Moreno Argentin , Maurizio Fondriest , Gianni Bugno , Claudio Franco Chiappucci , Paolo Chioccioli , Mario Cipoldelli , Paolo Savoldelli, , Ivan Gotti , Stefano Garzelli , Gilberto Simoni , Alessandro Petacchi , Paolo Bettini , Damiano Cunego , Ivan Basso , Alessandro Ballan e Vincenzo Nibali . Uma discussão separada merece o "pirata" Marco Pantani , que com suas façanhas em subidas reacendeu a paixão dos italianos pelo ciclismo como em tempos heróicos. É lembrado sobretudo por ter vencido o Giro d'Italia e o Tour de France em 1998, a prova de ciclismo mais importante do mundo, devolvendo às cores italianas a vitória no "grande Boucle" 33 anos após a vitória de Felice Gimondi. Pantani faleceu tragicamente em 14 de fevereiro de 2004.

Grilo

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Italiano de Críquete .

futebol americano

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Superbowl italiano e Liga italiana de futebol .

Floorball

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Italiano de Floorball .

Lacrosse

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Italiano de Lacrosse .

O lacrosse na Itália ainda é um esporte muito jovem e é praticado por alguns clubes sediados em várias cidades. O primeiro campeonato aconteceu em 2009-2010 e a equipe de maior sucesso são os Pellicani Bocconi do Milan. A seleção italiana é muito jovem e na Copa do Mundo de 2010 terminou em 19º entre 30 nações participantes.

Handebol

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Italiano de Handebol Masculino e Campeonato Italiano de Handebol Feminino .

As seleções nunca se destacaram, mas o campeonato ainda conta com uma boa adesão nas áreas onde é disputado.

Pólo aquático

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: campeonato italiano de pólo aquático .

No pólo aquático , a Itália possui uma excelente tradição. A seleção masculina (chamada Settebello ) ganhou o ouro olímpico em três ocasiões em Londres 1948 ( XIV Olimpíadas ), Roma 1960 ( XVII Olimpíadas ) e Barcelona 1992 ( XXV Olimpíadas ). Ele também ganhou 4 títulos mundiais (1978, 1994, 2011 e 2019), 3 títulos europeus (1947, 1993 e 1995) e 1 copa do mundo (1993). A seleção feminina (chamada Setterosa ) conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, bem como 2 títulos mundiais e 4 europeus.

Hóquei

Ícone da lupa mgx2.svg Mesmo tópico em detalhes: Campeonato Italiano de Hóquei no Gelo , Campeonato Italiano de Hóquei Luge , Campeonato Italiano de Hóquei em Campo , Campeonato Italiano de Hóquei em Patins e Campeonato Italiano de Hóquei em Linha .

Hockey no gelo

O hóquei no gelo italiano nasceu oficialmente em Milão em 1924, e nos primeiros anos o Milan Hockey Club dominou a liga, que por ordem do governo fascista em 1937 se fundiu com os outros milaneses do Diavoli Rossoneri e continua a se destacar. Dopo la seconda guerra mondiale l'hockey italiano esce dalla Federazione Italiana Sport Invernali e viene fondata la Federazione Italiana Hockey Ghiaccio, che nel 1952 viene sostituita dalla FISG. Dopo il conflitto tornano a separarsi le due squadre di Milano, e l'HC Milano vince la maggior parte degli scudetti. Problemi economici portano le due milanesi a riunirsi nel 1957 e due anni dopo ha momentaneamente fine il primato in Italia della città meneghina.

Il nuovo dominatore diventa il Cortina, che tra la fine degli anni cinquanta e la metà degli anni settanta vince 14 scudetti. Negli anni successivi si contendono lo scudetto l'Hockey Club Bolzano e l'Hockey Club Gardena fino alla fine degli anni ottanta, quando per alcuni anni tornano a vincere squadre lombarde, le milanesi Saima e Devils in particolare, e le squadre italiane in generale cominciano a ben figurare nelle competizioni europee per club. Nella seconda metà degli anni novanta l'hockey italiano entra in crisi e torna a primeggiare il Bolzano con 5 scudetti. Negli anni successivi nel duello tra Milano e Bolzano si inserisce l'Asiago, che tra il 2001 e il 2015 vince 5 titoli. Nel 2014 vince il primo titolo il Ritten Sport di Renon , che si ripeterà negli anni successivi. Nel 2016 scompare la massima serie del campionato italiano e le migliori otto squadre partecipano invece alla Alps Hockey League con squadre slovene e austriache; il titolo nazionale viene assegnato calcolando gli incontri della league tra squadre italiane.

Nuoto

Nel 1899 viene fondata la Federazione Italiana Rari Nantes (FIRN), dalle cui ceneri nasce nel 1930 la Federazione Italiana Nuoto (FIN). I primi nuotatori italiani a partecipare alle Olimpiadi furono Paolo Bussetti e Fabio Mainoni ai Giochi di Parigi 1900 , mentre la prima squadra azzurra ufficiale fu quella che prese parte all'edizione di Londra 1908 . Dai campionati Europei giunse la prima medaglia internazionale grazie a Giuseppe Perentin nell'edizione di Bologna 1927 , argento nei 1500 metri stile libero, mentre il primo successo fu quello di Paolo Pucci , vincitore nel 1958 dei 100 sl In quel periodo il CONI fa costruire i primi Centri di Addestramento al Nuoto. Nel gennaio 1966 vi fu la tragedia di Brema , incidente aereo nel quale persero la vita, tra gli altri, i nuotatori della Nazionale Bruno Bianchi , Amedeo Chimisso , Sergio De Gregorio , Dino Rora , Carmen Longo , Luciana Massenzi , Daniela Samuele, l'allenatore Paolo Costoli e il telecronista Nico Sapio , che si stavano recando a un meeting internazionale. [6]

I primi grandi successi internazionali arrivano negli anni settanta con Novella Calligaris , che si aggiudica una medaglia d'argento e due di bronzo alle Olimpiadi di Monaco del 1972 , e diventa campionessa e primatista mondiale dei 1500 stile libero alla prima edizione dei Mondiali, Belgrado 1973 . La staffetta 4x100 sl conquista la prima medaglia italiana ai campionati del mondo nel nuoto maschile aggiudicandosi il bronzo nell' edizione di Cali 1975 . Qualche anno dopo si affermano talenti come Stefano Battistelli , bronzo alle Olimpiadi nei 400 misti nel 1988 e nei 200 dorso nel 1992, Giorgio Lamberti , campione e primatista momdiale nei 200 stile libero nel 1991, e Luca Sacchi , bronzo olimpico nei 400 misti a Barcellona 1992. Negli anni successivi il movimento nazionale cresce e aiGiochi di Sydney 2000 arriva la prima medaglia d'oro olimpica italiana nel nuoto per merito di Domenico Fioravanti , che trionfa nei 100 rana, ripetendosi qualche giorno dopo nei 200. Nella stessa rassegna esplode anche Massimiliano Rosolino , oro nei 200 misti, argento nei 400 stile libero e bronzo nei 200 stile libero. Alle Olimpiadi di Atene 2004 emerge Federica Pellegrini con la medaglia d'argento nei 200 stile libero. Tra i grandi risultati che l'atleta veneta otterrà in seguito vi sono la medaglia d'oro alle Olimpiadi di Pechino 2008 , sempre nei 200 stile libero, 5 medaglie d'oro ai Mondiali (l'ultima nei 200 sl nell' edizione del 2017 ) e 7 agli Europei in vasca lunga, oltre a stabilire 9 record del mondo in vasca lunga e 2 in vasca corta. [6]

Alle Olimpiadi di Pechino arriva anche l'argento di Alessia Filippi negli 800 stile libero, che nella stessa specialità vince l'oro ai Mondiali di Roma 2009 . Tra il 2005 e il 2008, l'Italia conquista 18 medaglie ai campionati mondiali, di rilievo i due ori di Filippo Magnini nei 100 sl, e 42 medaglie europee. Nel 2008, i quasi sei milioni di italiani che praticano il nuoto testimoniano i progressi della disciplina nel Paese. Ai Mondiali romani del 2009, oltre a 2 ori della Pellegrini ea quello della Filippi, arriva anche la prima medaglia d'oro nel nuoto in acque libere per mano di Valerio Cleri , che vince la gara sui 25 km. Sulla stessa distanza vince l'oro ai Mondiali di Barcellona 2013 Martina Grimaldi , che era stata l'unica atleta italiana tra maschile e femminile ad andare sul podio alle Olimpiadi di Londra 2012 , conquistando il bronzo nella 10 km. Agli Europei del 2014 e del 2016, il nuoto azzurro raccoglie un totale di 16 ori, 16 argenti e 22 bronzi. Ai Mondiali del 2015 a Kazan gli azzurri si aggiudicano 14 medaglie tra le quali spicca quella d'oro nei 1500 sl di Gregorio Paltrinieri , che ripete l'impresa alle Olimpiadi di Rio del 2016 e ai Mondiali del 2017 . A Rio Gabriele Detti si aggiudica due bronzi nei 400 e nei 1500 stile libero, mentre trionfa negli 800 sl ai Mondiali del 2017. [6]

Slittino

In Italia lo slittino è diffuso quasi esclusivamente nella zona del Trentino-Alto Adige e tutti i più grandi campioni italiani provengono da quella regione. L'unico tracciato artificiale omologato per prove di livello internazionale è il Cesana Pariol , costruito per i XX Giochi olimpici invernali di Torino . A causa degli elevati costi di gestione questa pista, che ha ospitato anche alcune tappe di Coppa del Mondo , una edizione dei campionati europei e una rassegna iridata , è di fatto inattiva dal 2011. L'unico altro tracciato italiano in cui in passato si sono disputate gare internazionali è quello di Valdaora , una pista naturale che ora non risponde più ai criteri imposti dalla FIL per le gare su pista artificiale, ma in cui si corrono ancora gare su pista naturale . L'unico altro impianto in Italia ad aver ospitato eventi internazionali è la "pista Eugenio Monti " di Cortina d'Ampezzo , che ospitò nel 1953 la rassegna continentale di slittino e le gare di bob dei VII Giochi olimpici invernali , ma dopo gli europei del 1953 non si disputò più alcuna gara di slittino, non rientrando nei parametri voluti dalla FIL, ma esclusivamente di bob e skeleton.

L'Italia è seconda come numero di ori nel medagliere olimpico dietro alla Germania ed è terza a livello di campionati europei, mondiali e Coppe del Mondo dopo Germania e Austria. Il migliore azzurro è stato Armin Zöggeler con due ori, un argento e tre bronzi olimpici nel singolo (unico atleta nella storia delle Olimpiadi a salire sul podio in sei edizioni consecutive nella stessa disciplina individuale), oltre a sei titoli iridati, quattro europei e dieci Coppe del Mondo. Altri grandi slittinisti sono stati Paul Hildgartner , l'unico in grado di conquistare l'oro sia nel singolo che nel doppio a Olimpiadi, europei e mondiali e vincitore di tre Coppe del Mondo nel singolo, Erika Lechner , prima azzurra ad aggiudicarsi un oro in una olimpiade invernale , e Gerda Weissensteiner , che dopo aver vinto tutto nello slittino conquistò una medaglia olimpica anche nel bob, divenendo l'unica italiana a salire sul podio dei Giochi in due diversi sport. Di rilievo anche le carriere di Walter Außendorfer , Sigisfredo Mair , Walter Plaikner , Karl Brunner , Peter Gschnitzer , Ernst Haspinger , Marie-Luise Rainer , Hansjörg Raffl , Veronika Oberhuber , Kurt Brugger , Gerhard Plankensteiner , Oswald Haselrieder , Christian Oberstolz , Patrick Gruber , che, insieme ai fratelli Arnold , Norbert e Wilfried Huber (oltre a Günther che gareggiava nel bob), hanno conquistato tutte le altre medaglie olimpiche, gli ori mondiali e le Coppe del Mondo per l'Italia.

Tennis

La Federazione Italiana Lawn Tennis (tennis su prato) fu fondata il 18 maggio 1910 a Firenze, e prese l'odierno nome Federazione Italiana Tennis nel 1946. La prima partecipazione dell'Italia alla Coppa Davis si ebbe nel 1922. Nel 1930 venne disputata a Milano la prima edizione degli Internazionali d'Italia . Dopo la seconda guerra mondiale si affermarono a livello internazionale grandi tennisti come Gianni Cucelli , i fratelli Marcello e Rolando Del Bello , Fausto Gardini , Beppe Merlo e in seguito Orlando Sirola e Nicola Pietrangeli . Quest'ultimo fu il primo tennista italiano a vincere un torneo del Grand Slam, il Roland Garros , dove trionfò due volte in singolare nel 1959 e 1960, una in doppio e una nel doppio misto. Vinse inoltre due edizioni degli Internazionali d'Italia e fu il nº 3 del mondo in singolare nel 1959 e nel 1960. [7]

L'Italia è una delle poche nazioni che hanno preso parte a tutte le edizioni della Fed Cup , la cui prima edizione fu disputata nel 1963. Negli anni '70 sorge il Centro Tecnico Nazionale di Formia, affidato a Mario Belardinelli , che vede la crescita di grandi giocatori come Adriano Panatta , Corrado Barazzutti , Paolo Bertolucci e Tonino Zugarelli . Son questi quattro giocatori a far parte nel 1976 della squadra italiana che conquista la Coppa Davis in Cile. Quello stesso anno Panatta diventa il secondo italiano a vincere un torneo del Grande Slam trionfando a Parigi, contribuendo alla diffusione dello sport nel Paese. Altre finali di Davis furono perse dall'Italia nel 1977, nel 1979, nel 1980 e nel 1998, unica finale disputata in Italia. [7]

Negli anni 2000 e 2010 il tennis femminile italiano raggiunse grandi traguardi con atlete come Flavia Pennetta , Francesca Schiavone , Roberta Vinci e Sara Errani , tutte entrate nella top 10 della classifica mondiale. La Schiavone è la prima italiana a vincere un torneo del Grande Slam, con il trionfo al Roland Garros nel 2010. La Pennetta è la prima tra tennis italiano maschile e femminile a vincere gli US Open , dove nel 2015 sconfisse in finale la Vinci che in semifinale riuscì nell'impresa di superare la padrona di casa e nº 1 del mondo Serena Williams . La Errani è stata la più costante e la più vincente di sempre, chiudendo per due anni consecutivi in Top Ten con il ranking più alto. Grazie a queste atlete, la squadra italiana vinse la Fed Cup nel 2006, 2009, 2010 e 2013. [8]

Vela

Nella seconda domenica di ottobre nel Golfo di Trieste si disputa la Barcolana : istituita nel 1969 , è oggi la regata più grande del mondo. [9]

Tra le più note veliste ricordiamo, tra gli altri, Alessandra Sensini .

Alpinismo

Ginnastica

Il 17 marzo 1844 venne istituita laReale Società Ginnastica di Torino , la società sportiva più antica d'Italia [10] , da parte del ginnasta svizzero Rodolfo Obermann , chiamato in Italia da re Carlo Alberto di Savoia . Il 15 marzo 1869 venne fondata invece a Venezia la Federazione Ginnastica d'Italia , la prima federazione sportiva della storia d'Italia [11] . Per quanto concerne i risultati, nella ginnastica ritmica , le atlete azzurre hanno vinto un argento olimpico ad Atene nel 2004 e la medaglia d'oro ai mondiali di Baku nel 2005 superando le squadre dell'est, specialmente la Russia, che da sempre detengono il monopolio in questo sport. Dal 2009 al 2011 hanno ottenuto per 3 anni di fila il titolo mondiale e nel 2012 hanno vinto l'argento nelle Olimpiadi a Londra. Vanessa Ferrari è stata pluricampionessa mondiale ed europea di ginnastica artistica

Altri sport

Grandi successi sono stati raccolti nello sci e nella scherma . Il 27 gennaio 2007 , inoltre, la gardenese Carolina Kostner ha conquistato la prima medaglia d'oro italiana nel pattinaggio di figura femminile vincendo gli Europei che si sono svolti a Varsavia . Nello sci alpino ricordiamo la figura di Zeno Colò , primo oro olimpico nello sci [12] .

L'Italia ai Giochi olimpici

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Italia ai Giochi olimpici .
  • La prima medaglia olimpica per l'Italia fu l'argento conquistato il 31 maggio 1900 nell'equitazione dal cavaliere Gian Giorgio Trissino , ai Giochi olimpici di Parigi 1900.
  • Il primo campione olimpico italiano fu Gian Giorgio Trissino , che vinse la medaglia d'oro (2 giugno 1900), nell'equitazione, ai Giochi olimpici di Parigi 1900.
  • L'atleta italiano più medagliato dei Giochi olimpici moderni è Edoardo Mangiarotti , nella scherma, con 6 ori, 5 argenti e 2 bronzi

Walk of Fame dello sport italiano

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Walk of Fame dello sport italiano .

Il 7 maggio 2015 è stata inaugurata nel Parco olimpico del Foro Italico a Roma la Walk of Fame dello sport italiano , un percorso stradale lastricato con targhe dedicate ad ex atleti dello sport italiano che si sono particolarmente distinti a livello internazionale. Durante la cerimonia sono state scoperte 100 targhe recanti i nomi di ex atleti scelti dalla Commissione atleti del CONI e il presidente del CONI Giovanni Malagò ha annunciato che negli anni successivi sarebbero state aggiunte nuove targhe con i nomi di altri ex-atleti italiani di rilevanza internazionale. [13] A tutto il maggio 2018 erano 117 gli ex atleti che avevano ricevuto questo riconoscimento.

Note

  1. ^ a b Lo sport in Italia : numeri e contesto 2014 ( PDF ), su regione.lazio.it , Comitato Olimpico Nazionale Italiano . URL consultato il 23 febbraio 2015 (archiviato dall' url originale il 23 febbraio 2015) .
  2. ^ https://www.oasport.it/2020/03/motogp-piloti-immortali-giacomo-agostini-il-piu-grande-di-tutti-i-tempi-le-vittorie-ei-record-di-un-mito-italiano/
  3. ^ STORIA – Federazione Italiana Motonautica , su fimconi.it . URL consultato il 30 novembre 2020 .
  4. ^ La scomparsa di Abbate Il ricordo di Cappellini , su www.laprovinciadilecco.it . URL consultato il 30 novembre 2020 .
  5. ^ Tesserati in Italia, il basket secondo solo al calcio | Scaligera Basket
  6. ^ a b c La Storia , su federnuoto.it . URL consultato il 16 settembre 2018 (archiviato dall' url originale il 16 settembre 2018) .
  7. ^ a b Il tennis in Italia , su federtennis.it , Federazione Italiana Tennis . URL consultato il 15 settembre 2018 (archiviato dall' url originale il 15 settembre 2018) .
  8. ^ Italia in Fed Cup , su federtennis.it , Federazione Italiana Tennis . URL consultato il 15 settembre 2018 (archiviato dall' url originale il 15 settembre 2018) .
  9. ^ barcolana.it , http://www.barcolana.it .
  10. ^ https://torino.repubblica.it/cronaca/2018/03/17/foto/da_amore_e_ginnastica_al_giorno_d_oggi_in_mostra_a_torino_i_174_anni_della_reale_societa_ginnastica-191522904/1/#1
  11. ^ https://www.federginnastica.it/la-federazione/la-storia.html
  12. ^ http://www.storieazzurre.it/storie/20/zeno_colo_primo_oro_olimpico_nello_sci.html
  13. ^ Inaugurata la Walk of Fame: 100 targhe per celebrare le leggende dello sport italiano , su coni.it . URL consultato il 20 dicembre 2017 .

Altri progetti