Novo assunto

Da Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para a navegação Ir para a pesquisa
Capa do Novo Assunto

O Nuovo soggettario é a ferramenta criada pela Biblioteca Central Nacional de Florença (BNCF) para indexação por assunto em bibliotecas , arquivos , bibliotecas de mídia e centros de documentação; consiste em um sistema multicomponente, dos quais os principais são: um conjunto de regras sintáticas e semânticas destinadas ao processamento de cabeçalhos de assuntos; um tesauro multidisciplinar em italiano contendo a terminologia que pode ser usada na indexação e, por usuários de catálogos online e outras bases de dados , na busca por assunto.

A nova disciplina utiliza o software de gerenciamento de código aberto da FAO AGROVOC Thesaurus [1] , ao qual o BNCF fez as adaptações necessárias.

Alcance

O objetivo do Novo Assunto é renovar o Livro de Assuntos dos catálogos das bibliotecas italianas , publicado pela BNCF em 1956 [2] e utilizado desde então pela maioria das bibliotecas italianas na indexação de seus recursos documentais por assunto.

História do projeto

O Nuovo soggettario é editado pelo BNCF em virtude de seu papel institucional como arquivo nacional de livros [3] e como agência bibliográfica nacional que produz a Bibliografia Nacional Italiana (BNI). O projeto foi apoiado desde o início pelo Ministério do Patrimônio Cultural e Atividades e Turismo (MiBAC), por meio da Direção-Geral de Bibliotecas, Institutos Culturais e Direitos Autorais e pelo Instituto Central do Catálogo Único (ICCU), com o apoio financeiro do Ente Cassa di Risparmio di Firenze.

Nasceu da convicção, apoiada na prática indexante de numerosas bibliotecas italianas, de que o Livro de Assuntos de 1956 já era uma ferramenta envelhecida e de que era necessária uma revisão profunda, também à luz dos desenvolvimentos que, nesta área, se produziram. teorias, padrões internacionais e outros sistemas de indexação.

As etapas em que se desenvolveu o projeto do novo livro temático são as seguintes:

  • 2000-2002: Estudo de viabilidade de renovação do Banco de Assuntos por equipe de consultores externos [4] , coordenado por Luigi Crocetti e proveniente da experiência do Grupo de Pesquisa em Indexação de Assuntos (GRIS) [5] O Estudo analisou e definiu os princípios, características e requisitos da nova linguagem de indexação, produzindo um conjunto de recomendações a serem desenvolvidas em etapas em um plano de curto e médio prazo [6] .
  • 2003-2005: Verificação das hipóteses identificadas para a nova linguagem, com experimentação em “casos bibliográficos” específicos; início da fase de protótipo e escolhas tecnológicas; elaboração de regras sintáticas e semânticas; implementação do Thesarus online.
  • 2006: Publicação do volume Nuovo soggettario. Guia do sistema italiano de indexação por protótipo do Thesaurus temático , contendo as regras (sintática e semântica) [7] e a interface de busca do usuário do Thesaurus online, como serviço de assinatura.
  • 2007: Início da utilização do Novo Livro de Assuntos pela Bibliografia Nacional Italiana e início da ampliação terminológica do Tesauro.
  • 2008: Início da utilização do Thesaurus por outras bibliotecas italianas.
  • 2010: Acesso gratuito ao Novo assunto on-line [8] ; disponibilização no site do BNCF também do Manual de Aplicação [9] para auxílio aos indexadores, atualizado periodicamente. Realização do protótipo de tradução do formato de metadados do Thesaurus no padrão SKOS / RDF também com vistas a vinculação de dados e início de interoperabilidade com outras ferramentas online.
  • 2011: Início da experimentação de indexação automática de recursos digitais por meio do Thesaurus.
  • 2013: Ativação da interoperabilidade mútua com a Wikipedia italiana .

Diferenças com a ferramenta anterior

Sujeito

O Assunto 1956 foi o resultado de vinte anos de trabalho que um grupo de bibliotecários da Biblioteca Central Nacional de Florença (coordenado na fase final por Emanuele Casamassima ) desenvolveu a partir dos títulos do catálogo de assuntos da biblioteca e inspirados na tradição americana de "Cabeçalho por cabeçalhos de assuntos da Biblioteca do Congresso " (LCSH). Previa indexação pré-coordenada, com base em itens principais e subdivisões; os cabeçalhos de assunto podem consistir em um único termo presente na lista ou em uma combinação de vários termos ("strings de assunto"). Foi apresentado na forma de um vocabulário controlado, com termos em ordem alfabética , vinculados a outros termos com base em significados; não contemplava um aparato de normas sintáticas explícitas, as relações semânticas identificadas não respondiam a um padrão uniforme e rigoroso (inexistente na época).

Os princípios fundamentais de completude, especificidade e coextensão nem sempre foram alcançáveis, apesar do fato de a ferramenta geralmente aceitar os critérios de análise e pertencimento categórico desenvolvidos por Shiyali Ramamrita Ranganathan .

Ao longo de cinquenta anos, o Livro de Assuntos foi enriquecido com a publicação de Listas de Atualização dos anos 1970 a 1999 [10] , listas de novos termos introduzidos pela Bibliografia Nacional Italiana.

A ferramenta, porém, agora revelava sua inadequação tanto nos setores disciplinares que mais evoluíram, tanto no plano lexical quanto no estrutural, sem falar que a passagem dos catálogos em papel para os eletrônicos destacou ainda mais seus limites.

Novo assunto

Dicionário de sinônimos da página inicial

O Novo Subjetivo segue princípios de especificidade, completude e co-extensão. Inclui regras sintáticas e semânticas explícitas e pode ser usado nas modalidades pré-coordenada e pós-coordenada. Seguindo os princípios dos sistemas analítico-sintéticos, baseia-se em uma abordagem interdisciplinar de indexação, permanecendo atento aos métodos de classificação facetada. A linguagem esperada é composta por um conjunto detalhado de regras e um tesauro multidisciplinar, como componentes fundamentais de uma estrutura que mantém distintas as esferas terminológicas e sintáticas. Cumpre as normas ISO de indexação semântica, as directrizes IFLA e outros modelos que garantem requisitos funcionais na pesquisa bibliográfica (por exemplo FRBR ): graças a estas características pode comunicar e ser interoperável com outras ferramentas de indexação. O novo livro de assuntos pode ser usado na indexação não apenas de material de livro, mas também de vários tipos de recursos, como objetos de museu, documentos de arquivo, recursos eletrônicos, sites, imagens e muito mais.

Desenvolvimentos

As atualizações e revisões do Tesauro são realizadas pelo Setor de Ferramentas de Indexação Semântica e Pesquisa do BNCF (coordenação geral) com a colaboração de dois outros setores do BNCF: Bibliografia Nacional Italiana (BNI) e Serviços de TI.

O Nuovo soggettario também faz uso de uma ampla rede de colaborações com outras entidades, incluindo bibliotecas de vários tipos (universidade, autarquia, eclesiástica, etc.), pólos da SBN aos quais se agregaram importantes institutos de investigação e cultura como a Academy della Crusca, o ITTIG do CNR e o Instituto da Enciclopédia Italiana Treccani . No que se refere a este último, desde 2009 a característica de interoperabilidade do Novo assunto permite a transição dos termos criados para as entradas correspondentes no portal Treccani.it [11] . Um procedimento semelhante foi ativado a partir de 2012 pelo Nuovo soggettario para as entradas da Wikipedia correspondentes e em maio de 2013 o link reverso foi ativado das entradas da Wikipedia para o Thesaurus [12] .

Mesmo os usuários individuais podem interagir com a equipe editorial, preenchendo um formulário dedicado (que pode ser acessado por meio de um link marcado com um ícone em forma de sachê, visível sob cada termo) para "enviar comentários e relatórios sobre o próprio termo, sua semântica relações, etc. " em relação à terminologia já existente ”(ficando a proposta de novos termos reservada aos Órgãos participantes no projecto) [13] .

Como ferramenta de pesquisa na rede, o New Subject Index visa desenvolver cada vez mais esse aspecto, para permitir a conexão entre o tesauro e outros tipos de vocabulários, mas também, no sentido técnico, adotar protocolos e formatos padronizados adequados para intercâmbio. de dados, com vista à abertura a domínios não bibliotecários e antecipando a integração entre os diferentes arquivos.

Para isso, o conjunto de metadados do Thesaurus do Novo Assunto foi disponibilizado no formato SKOS / RDF (mapeamento em SKOS v. 0.1 de junho de 2010) e também está acessível através do protocolo Zthes: faz parte do intenção do BNCF de promover o uso de metadados bibliográficos para além do ambiente de biblioteca tradicional. Nesta frente, mantém colaborações e contactos em curso a nível nacional e internacional para definir as formas de publicação na rede - como dados encadeados - dos metadados produzidos.

Estatisticas

O Tesauro do Novo Subjetivo está em constante crescimento; de 13.000 prazos em janeiro de 2007 para 67.000 em outubro de 2020. O aumento dos prazos é registrado semestralmente e é visível no site do BNCF [14] .

Observação

  1. ^ AGROVOC Thesaurus , em aims.fao.org . Recuperado em 3 de julho de 2013 (arquivado do original em 15 de junho de 2013) .
  2. ^ Livro de assuntos para os catálogos das bibliotecas italianas , editado pela Biblioteca Central Nacional de Florença, Florença, Stamperia Il cenacolo, 1956.
  3. ^ Diego maltês, Natureza e formação do arquivo nacional do livro , em Boletim de informação , XVII, n. 4, Roma, Associação Italiana de Bibliotecas, 1977, pp. 286-294.
  4. ^ O grupo era composto por Alberto Cheti, Daniele Danesi, Massimo Rolle, Stefano Tartaglia; contou com a colaboração de Carlo Revelli; para a Biblioteca Nacional de Florença Anna Lucarelli, Marta Ricci acompanhou os trabalhos; Lucia Di Geso participou em nome do Instituto Central do Catálogo Único e Informações Bibliográficas (ICCU). Diego Maltese deu sua contribuição científica para todo o trabalho, cf. Anna Lucarelli, Authority control semantic and new Subject, p. 1 ( PDF ), em sba.unifi.it . Recuperado em 5 de julho de 2013 . palestra proferida na conferência internacional, Authority control, Florence, 10-12 de fevereiro de 2003 , em sba.unifi.it . Recuperado em 5 de julho de 2013 .
  5. ^ AIB. Grupo de pesquisa sobre indexação por assunto , em aib.it. Recuperado em 3 de julho de 2013 . . O grupo, coordenado por Alberto Cheti, produziu em 1996 um Guia de indexação por assunto , em aib.it. Recuperado em 3 de julho de 2013 . , reimpresso em 2001, reimpressão em 2001 , em sba.unifi.it .
  6. ^ pela Biblioteca Central Nacional de Florença, por um Novo soggettario. Estudo de viabilidade sobre a renovação do livro de assuntos para os catálogos das bibliotecas italianas , Milão, Editrice Bibliografica, 2002, ISBN 8870755916 .. .
  7. ^ Biblioteca Central Nacional de Florença, Nuovo soggettario, guia do sistema italiano de indexação por assunto. Prototype of the Thesaurus , Milão, Publicação Bibliográfica, 2006.
  8. ^ Andrea Marchitelli, Nova linha de assunto para atualizações online gratuitas , em andreamarchitelli.it . Recuperado em 5 de julho de 2013 .
  9. ^ National Central Library Florence, Application manual of the Nuovo soggettario ( PDF ), on thes.bncf.firenze.sbn.it . Recuperado em 3 de julho de 2013 .
  10. ^ Bibliografia nacional italiana. Assuntos. Listas atualizadas de 1956-1985, Florença, Biblioteca Central Nacional, 1988, Itens de assuntos. Atualização 1986-1996. Milão, Bibliographic Publishing, 1997, Subject Voices. Atualização 1986-1998. Milão, Publicação Bibliográfica, 1999
  11. ^ Treccani , em treccani.it . Recuperado em 3 de julho de 2013 .
  12. ^ National Library of Florence, The Thesaurus of the New Subject Book of the BNCF for Wikipedia, 12/06/2013 , on bncf.firenze.sbn.it . Recuperado em 3 de julho de 2013 . Veja também a discussão relacionada na Wikipedia
  13. ^ Sugestões sobre o termo , no Tesauro do Novo Assunto , Biblioteca Nacional de Florença. Recuperado em 28 de setembro de 2017 .
  14. ^ Nova linha de assunto. Thesaurus. Notícias das últimas atualizações , em thes.bncf.firenze.sbn.it . Recuperado em 3 de julho de 2013 (arquivado do original em 13 de abril de 2012) .

Bibliografia

Itens relacionados

links externos

Controle de autoridade VIAF (EN) 214 779 447 · GND (DE) 7579365-9