Nigel Mansell

Da Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para a navegação Ir para a pesquisa
Nigel Mansell
NigelMansell.jpg
Mansell em 1991
Nacionalidade Reino Unido Reino Unido
Altura 180 cm
Peso 76 kg
Automobilismo Capacete Kubica BMW.svg
Categoria Fórmula 1 , Champ Car
Carreira
Carreira de Fórmula 1
Temporadas 1980 - 1992 , 1994 - 1995
Estábulos Lotus 1980-1984
Williams 1985-1988
Ferrari 1989-1990
Williams 1991-1992, 1994
McLaren 1995
Copas do mundo vencidas 1 ( 1992 )
GP disputou 191 (187 partidas)
GPs venceram 31
Pódios 59
Pontos obtidos 480 (482)
Primeira posição 32
Voltas rápidas 30
Carreira da Champ Car
Temporadas 1993 - 1994
Estábulos Estados Unidos Newman-Haas
Copas do mundo vencidas 1 ( 1993 )
GP disputou 31
GPs venceram 5
Pódios 13
Pontos obtidos 279
Primeira posição 10
Voltas rápidas 6
Estatísticas atualizadas no Grande Prêmio da Espanha de 1995

Nigel Ernest James Mansell ( Upton-upon-Severn , 8 de agosto de 1953 ) é um ex - piloto britânico , campeão mundial de Fórmula 1 em 1992 e vencedor da série American CART em 1993 .

Até 2014 foi o piloto britânico com mais vitórias na primeira divisão, tendo vencido 31 Grands Prix, recorde batido por Hamilton no Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2014 , e ainda é o sétimo no ranking de sucessos de todos os tempos. na carreira. Ele alcançou seus maiores sucessos dirigindo pela Williams , mas também competiu por outras equipes de prestígio como Ferrari , Lotus e McLaren .

Equipado com uma direção espetacular e muitas vezes desrespeitosa do veículo mecânico, ele foi apelidado de O Leão da Inglaterra pela determinação que mostrou na pista. [1] Mansell também foi eleito um dos 10 melhores pilotos de Fórmula 1 de todos os tempos pelo comentarista de TV Murray Walker . Em 2008, a ESPN o classificou em 24º no ranking dos melhores pilotos de todos os tempos. [2] Ele também foi classificado em 9º pelo Times entre os maiores pilotos de todos os tempos. Em 2005, ele foi introduzido no International Motorsports Hall of Fame .

Biografia

Nascido em Upton-upon-Severn , Worcestershire , filho de Eric e Joyce Mansell, Nigel era o terceiro de quatro filhos, Michael, Gail e Sandra. [3] Mansell passou onze anos de sua vida como policial especial na Ilha de Man antes de sua carreira no automobilismo, e em Devon e na Cornualha após sua aposentadoria das corridas. Mansell teve um início bastante lento em sua carreira de automobilismo, usando seu próprio dinheiro para pagar por sua participação nas corridas. Depois de um sucesso considerável no karting , Mansell mudou-se para a série Fórmula Ford , para desaprovação de seu pai. Sua noiva Roseanne, conhecida em 1970 , foi seu maior apoio moral durante sua carreira. O casal se casou em 1975 e teve três filhos: Chloe (11 de abril de 1983 ), Leo (4 de janeiro de 1985 ) e Greg (8 de novembro de 1987 ). Mansell escalou as categorias inferiores até chegar à Fórmula 1, onde provou ser um dos pilotos mais rápidos e espetaculares de todos os tempos. Sua chegada à Fórmula 1 foi ofuscada pela morte de sua mãe de câncer em 1984, que foi tristemente seguida pela de seu pai sete anos depois. [4]

Ele se tornou, com razão, o "Leão" depois de mostrar nos anos de 1986 e 1987 um temperamento excepcional e coragem nas competições, como para aniquilar seu companheiro de equipe Nelson Piquet em várias ocasiões, ou para ganhar o respeito de um "durão" " como o Ayrton Senna no corpo a corpo que ao longo dos anos trocaram, sendo ambos muito competitivos. Provérbio passou a ser sua corrida toda baseada na coragem e na ação, onde a tática e a estratégia não tinham espaço: por isso era amado pelos fãs, mas muitas vezes derrotado pela crítica [5] .

Memoráveis ​​foram suas vitórias em Silverstone em 1987, após ultrapassar com uma cinemateca falsa em Piquet, ou em Hungaroring em 1989 na Ferrari, após uma furiosa recuperação do 12º lugar do grid com uma ultrapassagem espetacular sobre Senna na final, ou em Montmelò em 1991 com outra ultrapassagem no Senna que durou mais de um quilômetro na reta de chegada com os carros pareados quase se tocando a mais de 300 km / h.

Tornando-se campeão mundial de Fórmula 1 em 1992 aos 39 anos, foi o piloto britânico com mais vitórias em Grandes Prêmios até 2014 (31). Movendo-se para a Fórmula CART em 1993 , ele imediatamente ganhou o título, tornando-se o único piloto a ser campeão da Fórmula 1 e da Fórmula CART ao mesmo tempo. Outra peculiaridade sua era correr na Williams com o número vermelho, diferente do branco de seu companheiro [5] .

Carreira

As fórmulas menores

Mansell dirigiu pela primeira vez aos sete anos em um campo perto de casa e, depois de ver Jim Clark vencer o Grande Prêmio da Inglaterra em 1962, decidiu seguir carreira no automobilismo. [6] Após os excelentes resultados obtidos nos karts , em 1976 Mansell fez sua estreia na Fórmula Ford , apesar da reprovação de seu pai. Em sua primeira temporada, ele triunfou seis vezes nas nove corridas em que participou. No ano seguinte, ele participou de todo o campeonato e se tornou o campeão da categoria. Ele também sofreu um acidente perigoso no qual quebrou o pescoço, o que arriscou atrapalhar sua carreira. [6] Os médicos disseram que ele esteve perto da tetraplegia após o acidente. [6] Depois do sucesso alcançado, em 1978 Mansell participou do campeonato de Fórmula 3 , imediatamente obter pole position e um pódio em sua estréia. A marcha que o levou para a equipe prometeu pagar-lhe toda a temporada se ele encontrasse patrocinadores.

Mansell não hesitou em vender a casa onde morava com a esposa para conseguir o dinheiro para fazer as primeiras corridas, [6] mas o dinheiro acabou e depois de apenas quatro corridas o patrocinador não chegou e Mansell ficou a pé. Foi o momento mais crítico da sua carreira e o Leão também trabalhou como limpa-vidros para juntar algum dinheiro. No entanto, alguém percebeu as suas qualidades e, a meio da temporada, teve permissão para fazer a sua estreia na Fórmula 2 em Donington Park, mas um acidente nos treinos o fez perder a qualificação. Depois de um ano ruim, as coisas começaram a tomar a direção certa.

Mansell soube que um lugar havia sido desocupado na equipe de David Price e, após algumas entrevistas, ele conseguiu garantir o cargo. Ele não só não teria que trazer patrocinadores, mas também teria recebido um salário, já que o contrato estipulava que ele trabalharia como representante da Unipart, patrocinadora da equipe. O ponto fraco da equipe era o motor Triumph , que sofria muito com a potência em baixas rotações.

Apesar disso, em 25 de março de 1979 em uma chuvosa Silverstone e após um duelo feroz com Andrea De Cesaris e Eddie Jordan Mansell, ele venceu sua primeira corrida de F3. Alguns meses depois, o piloto britânico participou do Grande Prêmio de Mônaco de F3 pela primeira vez. Das cinco marchas inscritas pela equipe de David Price, a de Mansell foi a única a se classificar e vários homens da F1 perceberam isso, começando por Colin Chapman , dono da Lotus.

No final da temporada em Oulton Park , Mansell sofreu um grave acidente, causado por De Cesaris, que quase o paralisou. A recuperação foi muito dolorosa, mas foi adoçada por um telefonema inesperado: Colin Chapman o chamou para um teste com a F1 Lotus. Mansell foi assim ao circuito de Paul Ricard e participou na prova, apesar das dores que ainda o atormentavam após o acidente. Mansell começou assim 1980 ainda competindo no campeonato inglês de F3, antes de passar para a F2 no meio da temporada, trazendo o ambicioso motor Honda para sua estreia na segunda série. Os resultados na Fórmula 2 foram encorajadores, já que quase um novato ele conseguiu chegar perto da vitória na corrida de Hockenheim , provando que a Lotus estava certa.

Fórmula 1

1979-1984: Os anos na Lotus

1979
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1979 .

Em 1979, Mansell participou de um teste coletivo organizado pela Lotus no Circuito Paul Ricard com o objetivo de encontrar um piloto para trabalhar ao lado de Mario Andretti na temporada de 1980 no lugar de Carlos Reutemann . Além dele, Elio De Angelis , Eddie Cheever e Jan Lammers testaram o Lotus 79-Ford com a pintura verde. O italiano De Angelis é escolhido como piloto titular, enquanto Nigel é contratado como piloto de testes [7] .

1980
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1980 .

Em 1980, Mansell era um piloto oficial da Team Lotus [7] , uma equipe que passou de Campeã do Mundo nas últimas duas temporadas para ter um dos piores carros no grid de largada. Na primeira parte da temporada ele desempenha o papel de piloto de testes [7] . Um terceiro Lotus 81B , equipado com Ford Cosworth DFV , é implantado no Grande Prêmio da Áustria , confiado ao novato Mansell, que é então forçado a se aposentar devido a uma falha no motor. Ele também participa do Grande Prêmio da Holanda , onde se aposenta para um problema de freio, e o que d ' Itália, mas não se classifica [8] . Conclui a temporada sem ter obtido pontos no campeonato mundial [8] .

1981
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Formula 1 World Championship 1981 .

Em 1981 ele se tornou o dono da Lotus ao lado do italiano Elio De Angelis . Ele começa a temporada dirigindo um Ford 81B pouco competitivo, como o segundo piloto da equipe. No Grande Prêmio da Bélgica em Zolder , após ter obtido a décima vez na qualificação, ele terminou em terceiro na linha de chegada, atrás da Williams de Carlos Reutemann e Ligier de Jacques Laffite , conquistando o primeiro pódio e os primeiros pontos. Em Mônaco, ele fez sua estreia no novo e mais rápido Ford 87 e marcou o terceiro tempo na qualificação, mas retirou-se na corrida devido a uma suspensão quebrada. Apesar de estar em sua primeira temporada completa na categoria top, Mansell conseguiu brilhar com excelentes atuações e imediatamente despertou o interesse da imprensa e de outras equipes. Em Las Vegas , a última corrida da temporada, ele terminou em quarto lugar na linha de chegada [9] . Ele conclui o campeonato em décimo quarto lugar com oito pontos [10] .

1982 e 1983
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1982 .
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1983 .
O Lotus 92-Ford dirigido por Mansell em 1982

1982 não correu muito bem: Peter Warr , um dos seus técnicos de longa data, regressou à Lotus e, talvez com ciúmes da esplêndida relação que se criou entre Mansell e Chapman, desenvolveu uma verdadeira antipatia pelo seu motorista. Muitos dizem que ele gostava de repetir que Mansell nunca venceria uma corrida enquanto tivesse um buraco nas costas. A temporada deu uma guinada trágica com os acidentes fatais de Villeneuve e Paletti , além daquele que encerrou a carreira de Pironi . Mansell também foi vítima de um grave acidente no Canadá, quando quebrou o pulso em uma colisão com Bruno Giacomelli e foi bloqueado por algumas corridas. No final da temporada, Mansell conseguiu apenas um terceiro lugar no Brasil e um quarto no Mônaco . Mansell também perdeu claramente o duelo de longa distância com seu companheiro de equipe Elio De Angelis, que acumulou três vezes mais pontos do que o inglês e venceu uma corrida muito preciosa na Áustria . Talvez algo mais pudesse ser esperado, mas é preciso lembrar que o Lotus ainda tinha o motor naturalmente aspirado.

No final do ano, foi um golpe tremendo para Mansell. Um ataque cardíaco levou embora sua divindade tutelar, o brilhante Colin Chapman . E o novo diretor seria Peter Warr . Desnecessário dizer que os últimos dois anos na Lotus foram os mais difíceis, também porque 1983 teria sido sacrificado para ganhar experiência com o motor turbo. A temporada começou mal, mas assim que o lendário mas obsoleto Ford Cosworth foi abandonado, os resultados começaram a chegar a favor do Renault turbo. E no final da temporada com dez pontos na classificação ele foi ainda melhor que De Angelis e um pódio no Grande Prêmio da Europa , onde assinou a volta mais rápida . A temporada seguinte começou a colher os frutos do trabalho de desenvolvimento feito em 1983.

1984
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1984 .
Mansell dirigindo o Lotus 95T-Renault

Mansell conseguiu a sua primeira pole position em Dallas , uma corrida memorável em que moveu o mundo inteiro quando depois de dominar boa parte da corrida, devido a um problema nos pneus, começou a ser ultrapassado por todos. Na última volta, por azar, o seu Lotus caiu a poucos metros da chegada. Apesar do cansaço de duas horas de corrida e do calor escaldante (fazia 40 graus na sombra), Mansell generosamente tentou empurrar seu Lotus além da linha de chegada, mas caiu no chão de fadiga. Um episódio inútil e também proibido pelo regulamento, mas que dá uma ideia precisa do personagem Mansell, e explica porque o público tanto o amou. Também em Montecarlo esteve perto da vitória, na corrida que consagrou o talento de Ayrton Senna ao mundo, Mansell que largou da primeira linha sob a enchente havia assumido a liderança na corrida, indo muito forte. Muito forte. Na verdade, ele cometeu um erro na curva da estação que o tirou da corrida. No final da temporada, Peter Warr finalmente conseguiu se livrar dele, pressionando o patrocinador da equipe John Player Special para enfrentar Senna, estrela em ascensão, e Mansell se viu a pé. Na verdade, Frank Williams o acompanhava com interesse desde 1981, e Jackie Oliver da Arrows também lhe enviou uma oferta concreta baseada na estima que ele tinha pelas qualidades do piloto. Williams desenvolver o novo motor Honda Turbo era desconhecido, mas Mansell (talvez ciente de seu tempo com a Honda na F2) estava convencido de que era a melhor escolha a fazer.

1985-1988: A aterrissagem em Williams

1985
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1985 .
Mansell com Williams FW10-Honda em 1985

Inicialmente, sua chegada a Williams não foi bem recebida por Keke Rosberg , que não gostava do inglês como companheiro de equipe. Apesar da desconfiança inicial do finlandês, no entanto, durante a temporada os dois pilotos conseguiram colaborar de forma lucrativa e estabeleceram uma relação de estima. [11] A mudança para o time inglês mudou a sorte da carreira de Mansell. Depois de uma partida difícil, devido ao difícil desenvolvimento do não confiável, mas potente motor Honda , o inglês finalmente conseguiu sua primeira vitória no Grande Prêmio da Europa em Brands Hatch , que foi logo seguida pela vitória na África do Sul em Kyalami . Os excelentes desempenhos no final do ano de Mansell e Rosberg que no geral obtiveram três vitórias nas últimas três corridas lançaram as bases para finalmente poder competir pelo título mundial contra o poder esmagador do McLaren TAG Porsche que dominou nas últimas duas temporadas.

1986
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1986 .
Mansell (à esquerda) comemora seu segundo lugar no Grande Prêmio da Itália de 1986 , atrás do companheiro de equipe e vencedor Nelson Piquet .

Em 1986 o novo companheiro de equipe do inglês passou a ser o brasileiro Nelson Piquet , indicado como favorito ao título, também em virtude da anunciada competitividade da Williams-Honda . Depois de um início de temporada com resultados oscilantes, Mansell soltou uma determinação que não demonstrara nos primeiros anos de carreira (e que lhe valeria o novo apelido de "Leone" no lugar de "Mansueto" até então usado ): em rápida sucessão venceu na Bélgica , Canadá e, depois de um quinto lugar nos EUA , na França e na Grã-Bretanha, assumindo a liderança no campeonato mundial no meio da temporada. Esta série de sucessos chamou a atenção do público e dos profissionais para Mansell: é nestes dias que se chega a um acordo com a Ferrari , tendo em vista a temporada seguinte, que foi posteriormente desconsiderado. Os resultados alcançados acenderam a rivalidade, na Williams, entre Piquet e o inglês (o primeiro apoiado pela Honda, o segundo apoiado pela equipe) e que teria tido peso no resultado final do campeonato. Para o resto da temporada Mansell também venceu o Grande Prémio de Portugal e chegou às vésperas da última corrida em Adelaide , Austrália , liderando o ranking mundial com 7 pontos de vantagem sobre o piloto da McLaren Alain Prost e 9 sobre Piquet (que no entanto, ao contrário do dois rivais, ele não precisava mais descartar resultados válidos) obtendo a pole position . A corrida, porém, teve um desfecho ousado: na 63ª volta (19 do final) Mansell, que estava em 3º atrás dos dois rivais e controlava a corrida com tranquilidade, quebrou um pneu na reta e foi forçado a desistir. Com Piquet chamado de volta às boxes para uma troca prudente de pneus, a corrida e o título ficaram com Prost e McLaren , bons em aproveitar ao máximo as circunstâncias e a rivalidade entre os dois pilotos da Williams. Essa conclusão catastrófica certamente não deixou de estar relacionada ao grave acidente de carro que ocorreu na Camargue com Frank Williams enquanto voltava para casa após uma sessão de testes privados (março de 1986): a fratura da coluna vertebral de Williams e sua subsequente paraplegia o tornaram indisponível. temporada, resultando em deficiências na gestão da equipe e do piloto.

1987
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1987 .

A temporada de 1987 foi anunciada como um duelo privado na Williams, dada a superioridade da equipe com motor Honda sobre seus rivais e a rivalidade renovada entre Piquet e Mansell. A primeira parte do campeonato, na verdade, desconsiderou parcialmente essas expectativas, mas aí Mansell e Piquet decolaram da Lótus do astro em ascensão Ayrton Senna . O inglês venceu seis corridas ( San Marino , França , Grã-Bretanha , Áustria , Espanha e México ), o brasileiro três ( Alemanha , Hungria e Itália ), mas graças ao maior número de finalistas nos pontos em que foi este último. liderando o campeonato com duas corridas para ir com uma vantagem de 12 pontos. No Japão , durante os treinos livres do penúltimo Grande Prêmio, Mansell sofreu um acidente assustador que o obrigou a terminar a temporada prematuramente devido à fratura de alguma vértebra, impossibilitando definitivamente qualquer esperança de lutar pelo título, conquistado por seu companheiro de equipe Nelson Piquet . Para o inglês foi um duro golpe, tanto físico quanto moral, no ano em que mostrou uma clara superioridade em termos de velocidade sobre o piloto brasileiro com 6 vitórias e 8 pole position.

1988
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1988 .

Em 1988 , depois de perder os motores Honda para a McLaren, Williams foi empurrado pelo Judd, um motor feito à mão que imediatamente negou qualquer chance de sucesso devido à sua falta de confiabilidade. Mesmo com um carro não competitivo, Mansell decidiu permanecer em nome da amizade com o infeliz Frank Williams que em 1986 havia perdido o uso de seus membros inferiores devido a um acidente de carro. Mansell juntou-se a Riccardo Patrese que havia substituído Piquet, mas mesmo sem o rival brasileiro, o inglês não teria conseguido lutar pelo Mundial com um carro frágil claramente inferior ao da competição. Nigel também teve de perder duas corridas por motivos de saúde, mas conseguiu dois segundos lugares, um dos quais no molhado em Silverstone , onde, entre outras coisas, sua transferência para a Ferrari em 1989 foi oficializada. Com a Williams, Mansell conseguiu 14 retiradas, quase todas devido a falha de motor.

1989-1990: os dois anos na Ferrari e a rivalidade com Prost

1989
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1989 .

Em 1989 ele pilotou a Ferrari 640 F1 e foi acompanhado pelo austríaco Gerhard Berger [12] . Estreou-se no Grande Prêmio do Brasil, no circuito de Jacarepaguá, onde, após a sexta vez na qualificação, venceu a corrida à frente de Alain Prost na McLaren-Honda . Em San Marino fez o terceiro tempo na qualificação, mas abandonou a corrida devido a um problema na caixa de velocidades, assim como no Mónaco e no México onde, no entanto, assinou a volta mais rápida . Ele é forçado a se aposentar devido a problemas elétricos nos Estados Unidos e é desqualificado no Canadá . Ele termina em segundo na França e na Grã-Bretanha, onde consegue a volta mais rápida , terceiro na Alemanha e vence, marcando a volta mais rápida da corrida, o Grande Prêmio da Hungria, partindo da décima segunda posição. Ele sobe ao terceiro degrau do pódio na Bélgica , se retira para a Itália depois de largar da segunda linha, é desclassificado em Portugal e não participa do próximo Grande Prêmio da Espanha . Ele se aposenta no Japão e na Austrália , o último Grande Prêmio da temporada [12] . No final do ano ele é o quarto colocado na Copa do Mundo com trinta e oito pontos [12] .

1990
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1990 .

Mesmo 1990 não foi cheio de satisfações. A Ferrari tinha um carro capaz de lutar pelo título, mas o inglês foi esmagado mais do que em pura velocidade, principalmente psicologicamente por seu novo companheiro de equipe, Alain Prost , e logo foi excluído da luta pelo título, chegando mesmo a anunciar a aposentadoria de correr após o Grande Prêmio da Inglaterra . O anúncio logo acabou sendo um blefe, já que o inglês mais tarde assinou pela Williams. Mansell venceu o Grande Prêmio de Portugal , onde, no entanto, houve polêmica em torno de uma manobra do inglês que, na pole position , espremeu seu companheiro de equipe Prost, que largou em segundo, em direção à parede da largada, formando as duas McLarens de Berger e Senna vá em frente, ele então ganharia o título contra Prost.

1991-1994 O retorno à Williams, o título mundial e a primeira aposentadoria

1991
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1991 .

Enquanto isso, Williams, após algumas temporadas de anonimato, voltava à competição graças à parceria com o engenheiro da Renault . Em 1991, Nigel começou mal, também pagando pela falta de confiabilidade inicial de sua Williams FW14 e chegando a estar mais de 30 pontos atrás da McLaren de Senna e também de seu companheiro de equipe Patrese. No verão, porém, Mansell venceu três GPs consecutivos na França , Grã-Bretanha e Alemanha , ameaçando o líder do mundial Senna. Em Portugal, Mansell pagou um erro da equipa que não lhe ferrou a roda na paragem das boxes. Mansell conquistou mais duas vitórias na Itália e na Espanha antes de finalmente se render a Senna no Japão .

1992
Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 1992 .

O inglês teve uma vingança sensacional em 1992 , quando dominou a temporada por toda a parte graças ao fenomenal Williams FW14B . Ele derrotou seu companheiro de equipe Patrese e seus oponentes, obtendo 9 vitórias e 14 pole position em 16 corridas. Ele, portanto, provou ser um campeão forte e confiante, livre das sombras psicológicas que afetaram seu desempenho no passado. Depois de Hamilton, ele é o piloto do Reino Unido que ganhou o maior número de grandes prêmios e certamente um dos pilotos mais rápidos e espetaculares da história.

Mansell começou a temporada vencendo as 5 primeiras corridas na África do Sul , México , Brasil , Espanha e San Marino com o mesmo número de poles . La sua inarrestabile corsa verso il titolo si arricchì con altre vittorie in Francia , Gran Bretagna e Germania fino a presentarsi già in Ungheria con la possibilità matematica di vincere il titolo che arrivò al 55º giro quando Patrese secondo in classifica si ritirò dalla corsa. Mansell vinse anche in Portogallo e finì la stagione con 108 punti, quasi il doppio dei punti di Patrese, secondo in classifica. A fine anno Mansell, che aveva già un accordo per guidare l'anno successivo la Williams con Alain Prost come seconda guida, decise di ritirarsi dalla Formula 1 .

1994
Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Campionato mondiale di Formula 1 1994 .

Nel1994 Mansell iniziò la stagione ancora in America, ma a metà campionato fu richiamato in Williams per correre alcune gare in sostituzione di Ayrton Senna , deceduto ad Imola . Viste le scarne prestazioni del debuttante David Coulthard , Frank Williams decise di affidare la seconda macchina a Mansell, nella speranza che quest'ultimo riuscisse ad aiutare Damon Hill ad evitare una sconfitta dalla Benetton-Ford di Michael Schumacher . Pur a mezzo servizio l'inglese riuscì a tornare alla vittoria nell'ultimo Gran Premio in Australia , dove ottenne anche la sua ultima pole position . Hill perse il Mondiale contro Schumacher per 1 punto, a causa di un incidente con quest'ultimo, ma nonostante questo Patrick Head decise di guardare al futuro, firmando per l'anno dopo con il giovane Coulthard e non rinnovando l'ormai quarantunenne Mansell.

1995: il breve ritorno con la McLaren e il secondo ritiro

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Campionato mondiale di Formula 1 1995 .
La McLaren MP4/10 guidata da Mansell nel 1995

Nel1995 il "Leone" firmò un contratto con la McLaren equipaggiata con il motore Mercedes , che si dimostrò ben presto nettamente inaffidabile, come compagno di Mika Häkkinen . Di fronte ai molteplici problemi che la monoposto anglo-tedesca evidenziò nelle prove pre-campionato, Mansell decise di prendersi una pausa per aspettare che la vettura fosse sviluppata a dovere e saltò le prime due gare, sostituito da Mark Blundell . Tornò al volante nel Gran Premio di San Marino e nel successivo Gran Premio di Spagna , ma i problemi della McLaren MP4/10 erano tutt'altro che risolti e l'inglese decise, grazie ad una clausola del suo contratto, di sciogliere anticipatamente la sua collaborazione, abbandonando definitivamente la Formula 1 . Tuttavia nel dicembre 1996 , Mansell guidò una Jordan 196 in un test privato nel Circuito di Estoril , alimentando le speculazioni che fosse in ballottaggio per un sedile nella stagione1997 .

Statistiche

Nigel Mansell ha disputato 187 Gran Premi di Formula 1 (su 191 apparizioni), con 31 vittorie (28 Williams e 3 Ferrari), 32 pole position (28 Williams, 3 Ferrari e 1 Lotus), 30 giri più veloci in corsa (23 Williams, 6 Ferrari e 1 Lotus) e 5 Hat Trick. Ha conquistato 480 punti validi, si è classificato 82 volte a punti e 59 sul podio, è partito 56 volte in prima fila, è stato al comando di 55 gare per un totale di 2091 giri in testa (9651 km).

Risultati completi in F1

1980 Scuderia Vettura Flag of Argentina.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of the United States.svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Punti Pos.
Lotus 81 Rit Rit NQ 0
1981 Scuderia Vettura Flag of the United States.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of Argentina.svg Flag of San Marino.svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of Spain (1977 - 1981).svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Canada.svg Flag of Las Vegas, Nevada.svg Punti Pos.
Lotus 81B e 87 Rit 11 Rit 3 Rit 6 7 NQ Rit Rit Rit Rit Rit 4 8 14º
1982 Scuderia Vettura Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of the United States.svg Flag of San Marino.svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of the United States.svg Flag of Canada.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of France.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of Switzerland (Pantone).svg Flag of Italy.svg Flag of Las Vegas, Nevada.svg Punti Pos.
Lotus 87B e 91 Rit 3 7 Rit 4 Rit Rit Rit 9 Rit 8 7 Rit 7 14º
1983 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Belgium.svg Flag of the United States.svg Flag of Canada.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Europe.svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Punti Pos.
Lotus 91 , 92 e 94T 12 12 Rit Rit Rit Rit 6 Rit 4 Rit 5 Rit 8 3 NC 10 12º
1984 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of Belgium.svg Flag of San Marino.svg Flag of France.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Flag of the United States.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Europe.svg Flag of Portugal.svg Punti Pos.
Lotus 95T Rit Rit Rit Rit 3 Rit 6 Rit 6 Rit 4 Rit 3 Rit Rit Rit 13
1985 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of Portugal.svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Belgium.svg Flag of Europe.svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW10 Rit 5 5 7 6 Rit NP Rit 6 Rit 6 11 2 1 1 Rit 31
1986 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of Spain.svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Belgium.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Austria.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Mexico.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW11 Rit 2 Rit 4 1 1 5 1 1 3 3 Rit 2 1 5 Rit 70 (72)
1987 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Austria.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Mexico.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW11B 6 1 Rit Rit 5 1 1 Rit 14 1 3 Rit 1 1 NP NP 61
1988 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Mexico.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW12 Rit Rit Rit Rit Rit Rit Rit 2 Rit Rit Rit 2 Rit Rit 12
1989 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Mexico.svg Flag of the United States.svg Flag of Canada.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Ferrari 640 1 Rit Rit Rit Rit SQ 2 2 3 1 3 Rit SQ ES Rit Rit 38
1990 Scuderia Vettura Flag of the United States.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of Mexico.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Ferrari 641 Rit 4 Rit Rit 3 2 18 * Rit Rit 17* Rit 4 1 2 Rit 2 37
1991 Scuderia Vettura Flag of the United States.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of Mexico.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW14 Rit Rit Rit 2 6 2 1 1 1 2 Rit 1 SQ 1 Rit 2 72
1992 Scuderia Vettura Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of Mexico.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of Spain.svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW14B 1 1 1 1 1 2 Rit 1 1 1 2 2 Rit 1 Rit Rit 108
1994 Scuderia Vettura Flag of Brazil.svg Flag of the Pacific Community.svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Spain.svg Flag of Canada.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Europe.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW16 Rit Rit 4 1 13
1995 Scuderia Vettura Flag of Brazil.svg Flag of Argentina.svg Flag of San Marino.svg Flag of Spain.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Europe.svg Flag of the Pacific Community.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
McLaren MP4/10 10 Rit 0
Legenda 1º posto 2º posto 3º posto A punti Senza punti/Non class. Grassetto – Pole position
Corsivo – Giro più veloce
Squalificato Ritirato Non partito Non qualificato Solo prove/Terzo pilota

IndyCar

Lola (1993-1994)

Mansell al volante della Lola T9300-Ford in una gara del campionato IndyCar nel 1993

Vista l'impossibilità di rinnovare il contratto con la Williams , Mansell dopo aver valutato anche il ritiro dalle competizioni firmò un contratto con la Newman-Haas Racing con cui corse le stagioni 1993 e 1994 del campionato CART . L'intesa venne formalizzata durante il fine settimana del Gran Premio del Portogallo . [13] [14] Nella stagione 1993 Mansell pilotò una Lola T9300-Ford ed ebbe come compagno di squadra Mario Andretti . [15] [16] Il debutto avvenne al Gran Premio d'Australia a Surfers Paradise dove ottiene la pole position [17] e vinse la gara battendo Emerson Fittipaldi ; era il primo pilota dai tempi di Graham Hill , nel 1966 , a vincere all'esordio nella categoria. [13] Poche settimane più tardi, non essendo ancora abituato alla guida sugli ovali americani, ebbe un incidente durante le prove della 200 miglia di Phoenix e fu costretto a saltare la corsa. [13] Ripresosi velocemente si piazzò terzo a Long Beach partendo dalla pole e replicò il medesimo piazzamento alla 500 Miglia di Indianapolis , in cui perse la vittoria per un errore di inesperienza a seguito di una brutta ripartenza. [13] Venne quindi nominato Rookie of the year , cioè migliore debuttante dell'anno. Si impose anche nella 200 Miglia di Milwaukee e segnò pole position e giro veloce al Gran Premio di Detroit dove si piazzò quindicesimo. Partì dalla pole position alla 200 Miglia di Portland e arrivò secondo in gara, si piazzò terzo al Gran Premio di Cleveland e ventesimo alla Indy Toronto. Vinse la 500 Miglia del Michigan segnando anche il giro veloce in gara. Alla 200 Miglia del New England centrò pole position, vittoria e giro veloce. Si piazzò secondo alla 200 Miglia di Road America, sesto alla Indy Vancouver e dodicesimo al 200 Miglia di Mid-Ohio partendo dalla pole. Alla 200 Miglia di Nazareth ottenne nuovamente pole position, giro veloce e vittoria, l'ultima per lui nella categoria. All'ultima gara del Campionato, il Gran Premio di Monterey arrivò al traguardo in ventitreesima posizione [15] [16] . Vinse il titolo con centonovantuno punti.

Nel 1994 guida una Lola T9400-Ford , affiancato ancora da Mario Andretti [18] . Nel corso della stagione disputa anche quattro Gran Premi diFormula 1 [19] . Alla gara inaugurale, il Gran Premio d'Australia, ottiene pole position e giro veloce e si piazza nono in corsa. È terzo alla 200 Miglia di Phoenix e secondo al Gran Premio di Long Beach . Alla 500 Miglia di Indianapolis arriva ventiduesimo al traguardo, quinto alla 200 Miglia di Milwaukee e ventunesimo al Gran Premio di Detroit partendo dalla pole . Si piazza quinto alla 200 Miglia di Portland, sale sul secondo gradino del podio al Gran Premio di Cleveland e arriva al traguardo in ventitreesima posizione alla Indy Toronto. Centra la terza pole position stagionale alla 500 Miglia del Michigan dove chiude la gara ventiseiesimo. Si piazza settimo alla 200 Miglia di Mid-Ohio , diciottesimo alla 200 Miglia del New England, decimo alla Indy Vancouver e tredicesimo alla 200 Miglia di Road America dove segna il giro veloce in gara. Conclude la stagione con un ventiduesimo posto alla 200 Miglia di Nazareth e un ottavo al Gran Premio di Monterey [18] . Con ottantotto punti ottenuti si piazzò ottavo in Campionato [18] .

Statistiche

Nigel Mansell ha gareggiato nel Campionato IndyCar nel 1993 e 1994 vincendo il titolo l'anno del debutto. In 31 gare disputate ha ottenuto 5 vittorie, 4 secondi posti, 4 terzi posti, 8 piazzamenti a punti, 10 pole position , 6 giri veloci , 2 hat tricks, 279 punti. È stato premiato come Rookie of the year del Campionato . Nelle due partecipazioni alla 500 Miglia di Indianapolis ha conquistato il terzo posto e il titolo di Indy 500 Rookie of the year nel 1993 .

Risultati completi

Stagione Scuderia Vettura 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Punti Pos
1993 Newman-Haas Racing Lola T9300 Australia
SUF
1
Stati Uniti
PHX
-
Stati Uniti
LBH
3
Stati Uniti
INDY
3
Stati Uniti
MIL
1
Stati Uniti
DET
15
Stati Uniti
POR
2
Stati Uniti
CLE
3
Canada
TOR
20
Stati Uniti
MIC
1
Stati Uniti
LOU
1
Stati Uniti
ROA
2
Canada
VAN
6
Stati Uniti
MDO
12
Stati Uniti
NAZ
1
Stati Uniti
LAG
23
191
1994 Newman-Haas Racing Lola T9400 Australia
SUF
9
Stati Uniti
PHX
3
Stati Uniti
LBH
2
Stati Uniti
INDY
22
Stati Uniti
MIL
5
Stati Uniti
DET
21
Stati Uniti
POR
5
Stati Uniti
CLE
2
Canada
TOR
23
Stati Uniti
MIC
26
Stati Uniti
MDO
7
Stati Uniti
LOU
18
Canada
VAN
10
Stati Uniti
ROA
13
Stati Uniti
NAZ
22
Stati Uniti
LAG
8
88

Altre competizioni

Mansell nel 2004 in un'esibizione con la Jordan EJ14

Negli anni successivi ha partecipato sporadicamente ad alcune corse con vetture categoria Turismo. Nel 1998 ha corso sei gare nel British Touring Car Championship al volante di una Ford Mondeo . Nel 2004 a distanza di otto anni dall'ultima volta torna a guidare una monoposto di F1 nella fattispecie la Jordan EJ14 con cui effettua un test sul circuito di Silverstone e alcuni show car . Nel 2005 Mansell ha accettato di partecipare al Grand Prix Masters vincendo la prova inaugurale svoltasi in novembre a Kyalami , in Sudafrica , dopo avere anche ottenuto la pole-position. Il suo compenso è stato devoluto interamente per aiutare i bambini poveri dell'Africa. L'altra sua grande passione è il golf . Il 4 febbraio 2010 , in occasione della conferenza stampa di presentazione della prova, Nigel Mansell ha annunciato la sua partecipazione all'edizione 2010 della 24 Ore di Le Mans , alla guida di una Ginetta- Zytek LMP1 del Beechdean Mansell Team alternandosi alla guida con i suoi due figli [20] , tuttavia la gara di Mansell è durata appena 17 minuti in quanto il prototipo che guidava è rimasto seriamente danneggiato in un fuoripista causato dalla foratura di uno pneumatico.

Onorificenze

Ufficiale dell'Ordine dell'Impero Britannico - nastrino per uniforme ordinaria Ufficiale dell'Ordine dell'Impero Britannico
«Per meriti sportivi»
Londra , 31 dicembre 1990 [21] .
Commendatore dell'Ordine dell'Impero Britannico - nastrino per uniforme ordinaria Commendatore dell'Ordine dell'Impero Britannico
«Per l'impegno in aiuto dei giovani britannici attraverso l'associazione UK Youth»
Londra , 31 dicembre 2011 [22] .

Riconoscimenti

  • Pilota britannico dell'anno per la rivista Autosport nel 1985, 1986, 1989 e 1991
  • Pilota internazionale dell'anno per la rivista Autosport nel 1986, 1987, 1992 e 1993
  • Personalità sportiva dell'anno della BBC nel 1986, 1992 e 1993
  • Casco d'oro iridato della rivista Autosprint nel 1992
  • medaglia d'oro del Royal Automobile Club nel 1993
  • Premio ESPY nel 1993 e 1994
  • Rookie of the year alla 500 Miglia di Indianapolis nel 1993
  • Rookie of the year del Campionato Champ Car nel 1993
  • Dottorato ad honorem in ingegneria dall'Università di Birmingham nel 1993
  • Inserito nella International Motorsport Hall of Fame nel 2005 [23]

Note

  1. ^ Casamassima , p. 719 .
  2. ^ Kinser, Mansell, Garlits, Lauda, and Muldowney set high standards . URL consultato il 21 marzo 2013 .
  3. ^ Mansell , p. 71 .
  4. ^ Mansell , p. 76 .
  5. ^ a b Formula 1 News - Nigel Mansell . URL consultato il 21 marzo 2013 .
  6. ^ a b c d ( EN ) Nigel Mansell , su formula1.com . URL consultato l'11 agosto 2015 .
  7. ^ a b c 1979 - L'anticamera della F1-Il test Lotus raccontato da Mansell . URL consultato il 20 marzo 2013 (archiviato dall' url originale il 12 maggio 2014) .
  8. ^ a b 1980 FIA Formula One World Championship , in Formula1.com . URL consultato il 20 marzo 2013 .
  9. ^ 1981 FIA Formula One World Championship , in Formula1.com . URL consultato il 20 marzo 2013 .
  10. ^ Stats F1 - 1981 , in Statsf1.com . URL consultato il 20 marzo 2013 .
  11. ^ Diavolo in corpo , in Autosprint , n. 32-33, 11 agosto 2015, 42-47.
  12. ^ a b c Stats F1 - 1989 , in Statsf1.com . URL consultato il 21 marzo 2013 .
  13. ^ a b c d Wagstaff , pp.155-161 .
  14. ^ Champcar stats - Nigel Mansell , in Champcar stats . URL consultato il 25 marzo 2013 .
  15. ^ a b 1993 PPG Indy Car World Series , in Champcar stats . URL consultato il 25 marzo 2013 .
  16. ^ a b 1993 CART PPG IndyCar World Series results , in Race database . URL consultato il 25 marzo 2013 .
  17. ^ Nigel Mansell - se è difficile, è più dolce , su funof1.com.ar , Funo, 22 febbraio 2005.
  18. ^ a b c 1994 PPG Indy Car World Series , in Champcar stats . URL consultato il 25 marzo 2013 .
  19. ^ Stats F1 - 1994 , in Stats F1 . URL consultato il 25 marzo 2013 .
  20. ^ Conférence ACO : Les échos et les photos. Pescarolo en LMS ? , in ENDURANCE-INFO.com , 4 febbraio 2010. URL consultato il 21 marzo 2013 .
  21. ^ SUPPLEMENT TO THE LONDON GAZETTE, 31ST DECEMBER 1990 , in London Gazette , 31 dicembre 1990. URL consultato il 21 marzo 2013 .
  22. ^ THE LONDON GAZETTE SATURDAY 31 DECEMBER 2011 SUPPLEMENT No. 1 N7 , in London Gazette , 31 dicembre 2011. URL consultato il 21 marzo 2013 .
  23. ^ International Motorsports Hall of Fame Members , in Motorsports Hall of Fame.com . URL consultato il 21 marzo 2013 (archiviato dall' url originale il 27 agosto 2008) .

Bibliografia

  • ( EN ) Nigel Mansell, My Autobiography , Collins Willow, 2005, ISBN 0-00-218497-4 .
  • Pino Casamassima, Storia della Formula 1 , Calderini Edagricole, 1996, ISBN 88-8219-394-2 .
  • ( EN ) Ian Wagstaff, The British at Indianapolis , Veloce Publishing, 2010, ISBN 1-84584-246-4 .

Altri progetti

Collegamenti esterni

Controllo di autorità VIAF ( EN ) 91419963 · ISNI ( EN ) 0000 0001 0924 0930 · LCCN ( EN ) n92104231 · GND ( DE ) 1208169661 · BNF ( FR ) cb122042369 (data) · BNE ( ES ) XX1014248 (data) · NLA ( EN ) 35075377 · NDL ( EN , JA ) 00471007 · WorldCat Identities ( EN ) lccn-n92104231