Nelson Piquet

Da Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para a navegação Ir para a pesquisa
Disambiguation note.svg Desambiguação - Se você está procurando o filho de Nelson Piquet, ex-piloto de Fórmula 1, consulte Nelson Piquet Jr.
Nelson Piquet
Piquet em Monza 1983.JPG
Piquet em Monza durante os treinos para o Grande Prêmio da Itália de 1983
Nacionalidade Brasil Brasil
Altura 174 cm
Peso 67 kg
Automobilismo Capacete Kubica BMW.svg
Categoria Fórmula 1
Fim da carreira 1991
Carreira
Carreira de Fórmula 1
Temporadas 1978 - 1991
Estábulos Ensign 1978
McLaren 1978
Brabham 1978-1985
Williams 1986-1987
Lotus 1988-1989
Benetton
1990-1991
Copas do mundo vencidas 3 ( 1981 , 1983 , 1987 )
GP disputou 207 (204 partidas)
GPs venceram 23
Pódios 60
Pontos obtidos 481,5 (485,5)
Primeira posição 24
Voltas rápidas 23

Nelson Piquet Souto Maior ( Rio de Janeiro , 17 de agosto de 1952 ) é um ex - piloto brasileiro , vencedor de 3 campeonatos mundiais de Fórmula 1 .

Ao longo de sua carreira na Fórmula 1, que se desenvolveu principalmente na década de 80, enfrentou várias gerações de pilotos: no início teve como companheiro de equipe o já múltiplo campeão Niki Lauda , com quem, segundo ele próprio admitiu, aprendeu uma muito sobre ajuste de carro [1] ; posteriormente, conseguiu despontar na comparação com pilotos que animaram a década anterior, como Carlos Reutemann . No meio de sua carreira ele rivalizou com Alain Prost , Ayrton Senna e Nigel Mansell , enquanto no final de sua carreira ele se viu tendo como companheiro de equipe o estreante Michael Schumacher .

Ele tinha um estilo de direção equilibrado: não friamente calculista como Lauda ou Prost, mas não excessivo e impetuoso como Mansell. Piloto versátil, venceu com carros e motores muito diferentes, desde carros asas naturalmente aspirados até carros turbo com os quais foi o primeiro a se sagrar campeão mundial; mostrou grande adaptabilidade em novos circuitos, vencendo as primeiras edições do Grande Prémio disputado nos circuitos de Ímola e Hungaroring , mas teve uma relação negativa com o circuito de Monte Carlo onde gostaria de ter vencido mas só conseguiu três classificações. Ele acreditava que "correr em Munique é como andar de bicicleta na cozinha" [2] .

A memória deixada por Piquet não pode se limitar apenas às habilidades de velocidade: o espírito estudantil e a fama de tombeur de femme lhe deram grande popularidade [1] , mas as polêmicas também fizeram parte de seu repertório; de fato, conseguiu atrair a atenção da mídia com saídas sensacionalistas.

Nelson Piquet já disputou 204 Grandes Prêmios de Fórmula 1, com 23 vitórias [3] , 24 pole position [3] , 23 voltas mais rápidas na corrida e 485,5 pontos, dos quais 481,5 válidos para a classificação; terminou 100 vezes entre os seis primeiros (60 no pódio) e largou 43 vezes na primeira linha. Ele também é pai dos pilotos Nelson Piquet Jr e Pedro Piquet .

Carreira

O começo

Nelson Piquet é o filho caçula de Estácio Gonçalves Souto Maior e Clotilde Piquet; nascido no Rio de Janeiro , passou a infância na nova capital Brasília devido à atividade política de seu pai [4] , médico, que se tornou ministro da Saúde no governo de João Goulart [5] . Seu pai havia sido campeão regional de tênis e ver que seu filho também tinha boas habilidades o encorajou nesse caminho: aos 12 anos, Nelson foi um dos mais promissores jogadores brasileiros juniores [3] . Mas o tênis logo ficou para trás e aos 14 anos começou a se apaixonar por motores, passando a competir com um kart comprado na companhia de três amigos [4] [6] , porém devido à desaprovação de seu pai ele corria secretamente com o pseudônimo Piket derivado do sobrenome da mãe. As vitórias no karting (campeão brasileiro em 1971 e 1972 [7] ) o impediram de continuar escondendo sua paixão e seu pai o mandou estudar na Califórnia para impedi-lo de continuar correndo. Nelson voltou para casa depois de um ano.

Em 1974, seu pai morreu e Piquet participou das corridas de Fórmula Super Vee ; no mesmo ano, no Grande Prêmio do Brasil , teve seu primeiro contato com a Fórmula 1 ; uma vez que não existem atualmente restrições estritas à entrada, ele conseguiu entrar nos fossos e abordou o técnico da Brabham Gordon Murray pedindo-lhe para ser capaz de fazer algo [6] : Murray permitiu que ele fizesse algumas tarefas dentro dos fossos e quando ele começou a limpar Carlos O capacete de Reutemann ele empurrou apressadamente. O episódio foi mais tarde lembrado por ambos, quando se encontraram lutando pelo título mundial em 1981 [8] .

Venceu o campeonato brasileiro de Fórmula Super Vee em 1976 [9] e, para dar continuidade à carreira, procurou a assessoria do famoso nacional Emerson Fittipaldi , o primeiro campeão mundial de Fórmula 1 brasileiro e, por recomendação dele, em 1977 , decidiu ir. para ser executado na Europa [3] [6] . Em seguida, mudou-se para a Itália , em Novara [6] , e participou do campeonato europeu de Fórmula 3 , vencendo duas corridas e terminando em terceiro na classificação final. Em 1978 passou para o Inglês F3 , que se dividiu em dois campeonatos cujos títulos foram atribuídos por diferentes patrocínios; Piquet conquistou o campeonato britânico do petróleo e terminou em segundo lugar em Vandervell . Ao todo ele participou de 26 corridas nos 2 campeonatos, vencendo 13 [3] (7 na BP e 6 em Vandervell), preparando-se para a etapa na Fórmula 1 .

Fórmula 1

Os primeiros anos

Campeonato de 1978

Piquet fez sua estreia na Fórmula 1 no Grande Prêmio da Alemanha de 1978 , pilotando um Ensign - Ford N177 MN. Qualificado em 21º, o brasileiro teve que desistir na volta 31 devido a um motor quebrado enquanto ocupava a décima segunda posição. Foi a sua única corrida com o Ensign, nessa mesma temporada participou nas 3 corridas seguintes com um velho McLaren M23 da equipa privada Ligget Group B&S Fabrication .

Mas foi durante o fim de semana do Grande Prêmio da Itália que Piquet conseguiu dar uma guinada decisiva em sua carreira: superando a competição de Elio De Angelis ele acertou com Bernie Ecclestone em participar da última corrida da temporada com um terceiro carro oficial da o Brabham , implantado para a ocasião, e acima de tudo conseguiu o engajamento como segundo guia para a próxima temporada [9] . Além dos bons resultados nas fórmulas menores e do apoio financeiro de um patrocinador (a cerveja brasileira Brahma ) [10] , coisas que De Angelis poderia oferecer, também jogaram a seu favor, o interesse da Parmalat , patrocinadora da Brabham, pela Mercado brasileiro [11] e o fato de ter aceitado um contrato de três anos recebendo uma remuneração bastante modesta, igual ao salário de um empregado [10] [12] .

Campeonato de 1979

Ao volante do Brabham- Alfa Romeo em 1979 , Piquet revelou-se um piloto muito talentoso e em pouco tempo conseguiu competir com o seu companheiro de equipa Niki Lauda , mas sendo o último ano da colaboração entre o fabricante inglês e o fabricante italiano, agora na pista com monolugar próprio, foi afetado pela confiabilidade do carro e isso não lhe permitiu ir além de um quarto lugar no Grande Prêmio da Holanda . Durante os treinos para o Grande Prêmio do Canadá, Lauda decidiu se aposentar das corridas, embora tenha voltado a dirigir na McLaren em 1982 e Piquet teve a oportunidade de se tornar o melhor piloto da equipe. Nas duas últimas corridas da temporada, Brabham alinhou com o novo Cosworth motorizado e na corrida final, o Grande Prêmio dos Estados Unidos-Leste , Piquet largou da primeira linha e fez a volta mais rápida da corrida.

Campeonato de 1980
Piquet em ação durante o Grande Prêmio da Holanda de 1980 .

1980 foi o ano da consagração. Desde a abertura do Grande Prêmio da Argentina em que subiu ao pódio pela primeira vez, terminando em segundo, atrás de Alan Jones , em cujo carro havia, no entanto, dúvidas de irregularidade devido ao peso insuficiente. De fato, no final da corrida, Jones não levou imediatamente o carro ao parque fechado para a verificação, levantando a suspeita de que, entretanto, foi adicionado lastro para fazer o carro cair dentro do peso mínimo regulamentar, mas na verificação o carro estará regular [13] . Piquet venceu sua primeira corrida, o Grande Prêmio EUA-Oeste no circuito de rua de Long Beach e no Grande Prêmio de Mônaco conquistou o terceiro lugar, o que lhe permitiu chegar, pela primeira vez, ao topo da classificação do campeonato.

Na parte central da temporada sofreu a maior força de Jones ' Williams , mas foi favorecido pelos desentendimentos entre a associação de construtores ( FOCA ) e a federação internacional ( FISA ), a chamada guerra FISA-FOCA , que o levou a à deserção do Grande Prêmio da Espanha por equipes não FOCA: Renault , Ferrari e Alfa Romeo , com o posterior cancelamento do mesmo Grande Prêmio, que havia sido vencido por Jones. Ele recuperou no final da temporada ao vencer o Grande Prêmio da Holanda e da Itália e, graças a esses sucessos, voltou a liderar o campeonato.

Tudo se desenrolou no próximo Grande Prêmio do Canadá , penúltimo da temporada: Piquet largou da pole position e imediatamente assumiu a liderança, mas, poucos metros após a largada, Jones o envolveu em um acidente, que justificou dizendo que estava também tocado. [14] . A corrida foi suspensa e ele reiniciou do zero, mas o carro de Piquet havia sido danificado e ele teve que reiniciar com o carro reserva que não havia sido ajustado. Na segunda partida Didier Pironi largou cedo e foi penalizado por um minuto, Piquet lutou com Jones e Pironi então assumiu a liderança e permaneceu lá por 23 voltas até que o motor quebrou, neste ponto Jones venceu sem problemas mesmo que estivesse na chegada linha precedida por Pironi.

Piquet em uma digressão circense extra, dirigindo um BMW M1 durante os 1000km de Nürburgring .

Piquet chegou então à última corrida com oito pontos de atraso, mas devido à regra então em vigor segundo a qual apenas foram contados os 5 melhores resultados de cada uma das duas metades da temporada, mesmo que ganhasse e conseguisse 9 pontos teria teve que descartar o 2º quinto lugar na Áustria e, portanto, não poderia mais chegar ao topo da classificação. De qualquer forma, Jones legitimou o título, vencendo a próxima corrida de Watkins Glen . Em 1980, Piquet venceu, sucedendo seu ex-companheiro de equipe Lauda, ​​a segunda e última edição do Campeonato ProCar , uma série de marca única reservada para BMW M1s , que aconteceu no fim de semana de algum Grande Prêmio como corrida paralela e na qual eles participaram de vários pilotos de Fórmula 1, que também correram o Grande Prêmio a poucas horas de distância.

Os dois títulos mundiais e os últimos anos em Brabham

Campeonato de 1981

A temporada começou com o cancelamento do Grande Prêmio da África do Sul , vencido por Carlos Reutemann com Piquet em segundo lugar, devido ao prosseguimento da polêmica entre a FISA (apoiada pelas equipes italianas e a Renault que abandonou a corrida) e a FOCA [15] . O campeonato começou após chegar a um acordo que bania as saias laterais e exigia uma altura mínima do solo do carro de 6 cm, excluindo os pneus. Depois de um terceiro lugar no Grande Prêmio EUA-Oeste , Piquet largou da pole position em sua corrida caseira, o Grande Prêmio do Brasil , mas, com a pista molhada, buscou uma rápida melhora do clima e montou pneus slick, obtendo em vez de comprometer sua raça.

Piquet no pódio do vitorioso Grande Prêmio de San Marino de 1981

No Grande Prêmio da Argentina seguinte , o Brabham contornou a regra de altura mínima ao adotar um corretor de atitude que, ao mesmo tempo em que fazia o carro parecer regular nas verificações, o abaixava durante a corrida, tornando -o novamente um Wing-car . A superioridade do monolugar foi tamanha que Piquet conquistou e até seu companheiro de equipe Héctor Rebaque , que normalmente navegava na retaguarda, conseguiu manter a segunda colocação até a saída da pista que ocasionou seu abandono. Mudamos para Imola onde corremos com o novo título do Grande Prêmio de San Marino e quase todas as equipes adotaram a novidade trazida pela Brabham para a Argentina. Piquet começou mal, mas depois de uma recuperação na chuva, ele venceu o Grande Prêmio.

No Grande Prêmio da Bélgica, depois que um mecânico que arriscou estar presente no grid para consertar o carro de Riccardo Patrese foi atropelado, não fatalmente, na largada, a corrida foi retomada com uma segunda largada e Piquet assumiu a liderança, mas em a volta 10 Jones, com um contato, obrigou-o a se retirar [16] , a corrida foi vencida por Reutemann, que passou a esticar no comando da classificação geral. Piquet teve a chance de se recuperar no Grande Prêmio da França onde dominou até a volta 58, quando uma tempestade repentina levou à interrupção da corrida, momento em que os organizadores decidiram aguardar o fim da chuva para continuar a corrida e aos 45 minutos, no recomeço, Alain Prost parecia muito mais competitivo após as intervenções mecânicas realizadas durante a paragem e venceu o seu primeiro Grande Prémio, relegando Piquet para o terceiro lugar [17] ; na corrida seguinte, o Grande Prêmio da Inglaterra , Reutemann terminou em segundo lugar e alcançou a vantagem máxima de 17 pontos na classificação.

Piquet se envolveu com Brabham no Grande Prêmio de Mônaco de 1981 .

Piquet venceu o campeonato mundial com uma grande recuperação que começou com a vitória no Grande Prêmio da Alemanha , enquanto Reutemann se opôs dentro de sua equipe onde preferia que o anglófono Jones vencesse [18] . O brasileiro chegou ao último Grande Prêmio um ponto atrás de Reutemann, em Las Vegas no Grande Prêmio final, que aconteceu no estacionamento do Caesars Palace , Piquet terminou em quinto com os 2 pontos necessários para a vitória final, enquanto o rival argentino, que pela decepção logo deixará o automobilismo, que fechou apenas a oitava por problemas nos pneus.

Ainda em 1981, também participou ocasionalmente do Campeonato Mundial de Endurance ao volante de um BMW M1 e venceu, ao lado de Hans-Joachim Stuck , os 1000 km de Nürburgring , uma vitória que, no entanto, se deveu ao fato de Piquet viu-se na liderança por ter evitado o grave acidente que levou à interrupção da corrida, que então foi encerrada no momento do acidente sem percorrer a distância prevista de 1000 km. Essas apostas em Endurance foram preparatórias para o acordo entre a Brabham e a BMW para a colaboração técnica que começou na Fórmula 1 em 1982.

Campeonato de 1982

1982 foi um ano de transição. Brabham concluiu um acordo para ter o motor turbo BMW , mas a baixa confiabilidade do motor influenciou fortemente a temporada de Piquet desde a primeira corrida, o que resultou em uma aposentadoria após algumas voltas. Depois de um resultado tão modesto, decidiu-se participar nos 3 Grandes Prêmios seguintes com o antigo motor Ford Cosworth . Nelson venceu imediatamente o Grande Prêmio do Brasil , que o viu protagonista de uma luta cansativa com Keke Rosberg e Gilles Villeneuve : o esforço físico foi tal que o levou a desmaiar no pódio [19] . Seu carro, porém, como os de outras equipes motorizadas da Ford, estava abaixo do peso: eles tentavam forçar o regulamento, visto que o peso mínimo era considerado com água e óleo a bordo, embarcando no final da corrida algumas dezenas de litros de água em um tanque especial para permitir que o veículo caia dentro do peso mínimo regulamentar de 580 kg [20] .

Piquet precede Patrick Tambay na Variante del Rettifilo durante o Grande Prêmio da Itália de 1982 .

A manobra foi tão flagrante que foi, na verdade, um ataque político das equipes do FOCA pela redução do peso mínimo, contra a Ferrari e a Renault que, usando motores turbo, tinham carros muito mais pesados. No seguinte Grande Prêmio dos Estados Unidos-Oeste , a Ferrari respondeu com uma asa traseira dividida, cada uma das duas partes respeitando as dimensões regulatórias máximas, mas no geral a área da asa foi dobrada: neste ponto a FISA interveio, também para evitar a distorção de todas as regras e desclassificaram Piquet e Rosberg que haviam terminado em primeiro e segundo no Grande Prêmio do Brasil e a Ferrari de Villeneuve em terceiro no Grande Prêmio dos Estados Unidos; em protesto, quase todas as equipes da FOCA abandonaram o Grande Prêmio de San Marino . Do Grande Prêmio da Bélgica marcado pela morte de Villeneuve, enquanto o companheiro de equipe Patrese continuava a usar o motor Ford por alguns Grandes Prêmios e mais tarde venceu o Grande Prêmio de Mônaco , Piquet voltou a usar o BMW turbo e o levou com dificuldade à linha de chegada ganhando o sexto lugar, que mais tarde se tornou o quinto graças à desqualificação da McLaren de Lauda.

No GP EUA-Leste , no novo circuito de rua de Detroit , após o cancelamento do treino de sexta-feira, no único treino o motor quebrou e Piquet não conseguiu, pela primeira vez na carreira, se classificar. A redenção veio apenas sete dias depois, no GP do Canadá, Piquet venceu a corrida e obteve a segunda colocação no Grande Prêmio da Holanda . A partir do Grande Prêmio da Inglaterra , a Brabham introduziu uma nova estratégia de corrida: os carros começaram com menos combustível para reabastecer e trocar os pneus no meio da corrida, o que lhes permitiu acumular uma vantagem na primeira parte da competição e após uma parada, em que se perderam, apenas parte da vantagem era que os pneus ainda estavam frescos. No entanto, retiradas frequentes devido a problemas mecânicos prejudicaram a eficácia da estratégia.

Durante as provas do Grande Prêmio da Alemanha , Pironi, que com a Ferrari se lançou no topo do ranking mundial, sofreu um grave acidente que pôs fim à carreira automobilística, Piquet foi o primeiro a parar para ajudá-lo e ficou abalado; na corrida de domingo, enquanto liderava, colidiu com Eliseo Salazar que estava a rodear e, assim que os carros acidentados foram abandonados, Piquet deu um soco em Salazar [21] : o seu comportamento foi anómalo porque Piquet raramente demonstrou desilusão devido para de um retiro; ele mesmo se justificava com a preocupação com a própria segurança que o acidente de Pironi havia evocado [8] . Após o acidente de Pironi, Piquet declarou que Ferraris são carros perigosos: isso causará a inimizade de Enzo Ferrari que em seu livro Drivers, que pessoas ... não se deterá em suas habilidades como motorista, apenas escrevendo que é "capaz de belo feitos ", mas sublinhará o facto de, apesar dessa declaração, Piquet se ter oferecido para conduzir pela equipa Cavallino [22] . No final da temporada, uma longa série de desistências devido a problemas mecânicos impediu Piquet de ultrapassar o 11º lugar da classificação.

Campeonato de 1983

Devido aos acidentes fatais de 1982 na nova temporada, os Wing-cars foram definitivamente proibidos e o diretor técnico da Brabham Gordon Murray - que já havia preparado o Brabham BT51 de efeito solo - decidiu começar do zero e construiu o BT52 em apenas 4 meses. [23] , o carro em forma de seta foi imediatamente um vencedor com Piquet em do Brasil primeiro Grande Prémio da temporada, deixando o motorista se surpreendeu. Depois de uma corrida malsucedida, Piquet terminou em segundo na França , onde sete equipes adotaram a estratégia de reabastecimento que Brabham havia introduzido no ano anterior, mas ele permaneceu perplexo com a confiabilidade do carro: na verdade, em 6 partidas, o Brabham, o seu e o de Patrese , havia atingido o fundo apenas duas vezes [24] .

No Grande Prêmio de San Marino ele parou no início e foi empurrado para fora depois que todos os outros competidores já haviam passado, ele tentou a recuperação, mas foi interrompido por uma falha mecânica, enquanto Patrese, a algumas voltas do final, assumiu a liderança, mas ele saiu da pista logo após deixar a vitória para a Ferrari de Patrick Tambay . Em Mônaco terminou em segundo lugar em uma corrida condicionada pela variabilidade atmosférica e só voltou ao topo da classificação, mas a partir desse momento começou a fase negativa: no Grande Prêmio da Bélgica , na final, quando foi segundo, quebrou a quinta marcha e terminou em quarto [25] , a vitória foi para Alain Prost que assumiu a liderança, então no Grande Prêmio dos EUA-Leste Piquet dominou até que o colapso de um pneu o forçou a uma parada inesperada, rebaixando-o ainda em quarto [26] .

Na fase intermediária da temporada foram Prost e René Arnoux que se alternaram na vitória do Grande Prêmio, deixando Piquet apenas dois pódios, na Grã-Bretanha , em segundo e na Áustria, onde terminou em terceiro devido a uma queda na potência do motor enquanto liderava . Na Holanda teve a oportunidade de vencer: partindo da pole position pela primeira vez na temporada ele manteve a liderança até a metade da corrida, pouco antes de reabastecer Prost se aproximou dele e começou a atacá-lo a cada volta na frenagem do Tarzan curva após a chegada., mas Piquet habilmente refreou os ataques até que no início da volta 41 Prost tentou entrar com muita força e freou tarde demais, colidindo com Piquet e terminando a corrida para os dois. Piquet não reagiu mal [27] e devido a este comportamento que afetou Prost, iniciou-se uma breve amizade entre os dois que, no entanto, estará destinada a terminar com o fim do campeonato e a vitória final de Piquet.

Piquet voltou à luta pelo título mundial ao vencer as duas corridas seguintes, o Grande Prêmio da Itália em Monza e o Grande Prêmio da Europa no circuito britânico de Brands Hatch . Na última corrida na África do Sul ele teve que vencer para ter certeza de ultrapassar Prost na classificação e respeitou a entrega ao dominar a primeira parte da corrida mas, uma vez que os rivais Arnoux e Prost se retirassem, para ganhar o campeonato bastaria para ele terminar em quarto, para não correr o risco de abrandar, deixando a vitória do Grande Prémio para o seu companheiro de equipa Patrese e limitando-se a levar o carro até à linha de chegada atingindo o degrau mais baixo do pódio [28] . Foi o primeiro título mundial para um piloto ao volante de um motor turboalimentado; no final do campeonato houve disputas sobre a regularidade da gasolina usada pela Brabham, mas posteriormente o título foi confirmado pela FISA [29] .

Campeonato de 1984
Piquet à frente do compatriota Ayrton Senna durante o Grande Prêmio dos Estados Unidos, em Dallas.

Recém-campeão mundial, com a nova regra que limitava a capacidade dos tanques do carro a 220 litros e proibia o reabastecimento na corrida, Piquet partiu como favorito na nova temporada [30] porque se pensava que o BMW 4 cilindros sofreria menos do que os 6 cilindros para a menor quantidade de gasolina. Os testes de inverno pareceram confirmar as expectativas, de facto o carro atingiu excelentes tempos [31] , mas com o início da época oficial, os limites de fiabilidade foram novamente destacados. A única nota positiva que veio da frente do motor foi a preparação de motores especiais para testes, que foram creditados com mais de 900 cv de potência e permitiram a Piquet igualar o que era então o recorde da pole position em um ano: nove, anteriormente detido por Lauda e Ronnie Peterson .

A série da pole position também lhe permitiu fazer uma coleção de scooters Vespa que a Piaggio doou, para fins promocionais, ao piloto que acertou o primeiro tempo em prática [32] . A temporada foi dominada pela McLarens com motores TAG-Porsche ; Piquet, após várias aposentadorias, conseguiu voltar ao topo no Canadá onde a Brabham apresentou um curioso radiador adicional no nariz que feio o carro, mas permitiu melhorar a confiabilidade. Venceu o Grande Prémio mas o radiador adicional aqueceu tanto que Piquet teve de sofrer nas últimas voltas para carregar no acelerador e queimou o pé direito, subiu ao pódio com o pé descalço depois de receber os primeiros tratamentos.

Ele também venceu em Detroit no seguinte Grande Prêmio : a corrida começou com uma carambola na largada que envolveu um grande número de participantes, foi interrompida e uma segunda largada ocorreu. Piquet envolvido, teve que usar o carro reserva, mas na Brabham, cientes dos problemas que tiveram no Canadá em 1980, eles prepararam o carro reserva como o carro de corrida e Piquet conseguiram vencer. Antes do final da temporada ele também obteve um lugar de honra na Áustria e na classificação final foi o quinto.

Campeonato de 1985
Piquet dirigindo seu Brabham no Grande Prêmio da Alemanha de 1985 .

Em 1985 Piquet obteve apenas uma vitória, no Grande Prêmio da França, onde trouxe um carro com pneus Pirelli de volta ao sucesso após 28 anos, enquanto perdia a oportunidade de ter obtido a pole no Grande Prêmio da Holanda , a última com a Brabham. desligou o motor no momento da partida. Aliás, já no meio da temporada, devido aos maus resultados obtidos e à possibilidade de obter melhores salários, a permanência do brasileiro na seleção inglesa estava em questão. Piquet teve contato com a equipe da McLaren [33] , apenas para se casar com Williams no ano seguinte, que lhe ofereceu um salário três vezes o milhão de dólares que ele recebeu em Brabham [3] . Com a despedida de Brabham, rompeu-se também o perfeito entendimento entre Piquet e o técnico Murray, entendimento que ia além das corridas, mas também dizia respeito ao estilo de vida libertário comum e que, no resto de sua carreira, Piquet não conseguiu estabelecer com o outro. técnicos com os quais começou a trabalhar.

A mudança para Williams

Campeonato de 1986

Nel1986 il brasiliano lasciò la Brabham, per passare alla Williams - Honda , team in grande crescita alla fine del 1985 (tre vittorie nelle ultime tre gare) dove nelle sue intenzioni avrebbe dovuto recitare un ruolo di prima guida assoluta. [34] A detta di Piquet gli accordi verbali con Frank Williams su questo punto erano chiari, ma poco prima dell'inizio della stagione Williams subì un grave incidente automobilistico che lo tenne lontano dalla squadra per molto tempo e gli causò una disabilità motoria permanente; la squadra venne così diretta dal tecnico e socio di Williams Patrick Head : questi, vedendo che anche l'altro pilota del team, il connazionale Nigel Mansell , era in grado di lottare per il titolo, cominciò a occuparsi direttamente della messa a punto della macchina di Mansell lasciando assistere Piquet dal secondo tecnico del team Frank Dernie , nonostante il brasiliano fosse primo pilota per contratto e disponesse di diritto del muletto. Questo provocò una guerra "fratricida" che penalizzò entrambi; Piquet in particolare commise degli errori per il nervosismo creatosi nel team [35] .

Piquet fotografato al Gran Premio di San Marino 1986 , da lui concluso in seconda posizione.

La stagione di Piquet cominciò bene dominando il Gran Premio del Brasile ; si ritirò nella gara seguente, poi al Gran Premio di San Marino Piquet arrivò secondo dietro a Prost. Il finale fu emozionante: alla curva Rivazza dell'ultimo giro il "professore" rallentò perché rimasto senza benzina, procedette a zig-zag e lo scuotimento fece arrivare un po' di carburante al motore, tanto che riuscì a tagliare il traguardo davanti a Piquet.

Verso metà stagione il connazionale ed ex-campione del mondo Emerson Fittipaldi , che dopo essersi ritirato dalla Formula 1 era tornato ai vertici nelle gare Indycar , valutò che Piquet non commetteva più gli errori di guida dei primi anni e al momento lo giudicò come il miglior pilota al mondo. Però in questa fase della stagione Piquet tra ritiri e arrivi i posizioni di rincalzo si trovò distaccato in classifica, dopo il Gran Premio di Gran Bretagna si trovò indietro di 18 punti rispetto a Mansell, tornò alla vittoria in Germania , dove durante la premiazione diede sfogo alla sua goliardia: la coppa per il vincitore era insolitamente piccola e Piquet dopo averla sollevata finse di non riuscire a reggerne il peso, simulando lo sforzo per sostenerla e facendo sembrare che la coppa lo stesse schiacciando.

Piquet festeggia la vittoria al Gran Premio d'Italia 1986 ; alla sua destra, il compagno di squadra e secondo classificato Nigel Mansell .

Nel successivo Gran Premio di Ungheria , che si stava disputando per la prima volta, si rese artefice di un duello memorabile con Ayrton Senna . Senna, conscio di avere una macchina inferiore ma contando sulla difficoltà di sorpasso sul circuito dell' Hungaroring , puntò a partire in pole-position e poi, ottenuta la prima posizione in prova, preparò la vettura con un assetto che penalizzava il tempo sul giro ma favoriva la velocità di punta in modo da rendere quasi impossibile, a chi segue, il sorpasso sul lungo rettilineo di partenza/arrivo. La gara si svolse con Senna al comando e Piquet secondo, ma verso gli ultimi giri Piquet ruppe gli indugi e attaccò alla fine del rettilineo: al primo tentativo di sorpasso Piquet uscì troppo largo dal tornante che segue il rettilineo permettendo a Senna di riprendere il comando. Dopo qualche giro Piquet effettuò uno dei più bei sorpassi della storia della Formula 1, entrò al tornante in condizione sfavorevole ma sorpassò, controsterzò per controllare la macchina e tenne la posizione, la vittoria fu sua; l'ex-campione del mondo Jackie Stewart commentò: "È stato come fare un looping con un Boeing 747 " [36] .

Piquet vinse anche il Gran Premio d'Italia , riducendo a 5 punti lo svantaggio da Mansell che però vinse la gara seguente e si fece recuperare solo un punto nella successiva. Al Gran Premio d'Australia , ultima gara della stagione, si arrivò con Mansell favorito a cui bastava un terzo posto per essere campione, mentre Prost e Piquet dovevano vincere e sperare che Mansell arrivasse al massimo quarto. La Goodyear , fornitore unico degli pneumatici assicurò che le gomme potevano percorrere senza problemi l'intera gara ma non fu così, la corsa fu tutta tra le Williams di Mansell e Piquet e le McLaren di Prost e Rosberg, Prost restò indietro a causa di problemi con le gomme che lo costrinsero alla sostituzione, ma fu la sua fortuna. A gara in fase avanzata Rosberg si ritirò a causa dello scoppio di una gomma, qualche giro dopo anche Mansell fu vittima dello scoppio di uno pneumatico e subì un incidente pericoloso, perché lo scoppio avvenne mentre era in piena velocità, fortunatamente senza conseguenze; a questo punto Piquet si fermò a sostituire le gomme ma così facendo lasciò la testa della gara a Prost e negli ultimi giri non ebbe più tempo per recuperare: il campionato venne vinto da Prost, mentre Piquet fu terzo nella classifica finale

Campionato 1987
La Williams FW11B con cui Piquet si laureò campione nel1987 .

La superiorità della Williamsnel 1987 , fu tale da non permettere a nessun'altra scuderia di poter lottare per il titolo, tuttavia Piquet non disputò una delle sue stagioni più memorabili, condizionato da un grave incidente. Durante le prove del Gran Premio di San Marino uscì alla curva del Tamburello e sbatté violentemente contro il muro all'esterno della curva, secondo Adrián Campos che lo seguiva, l'incidente si può spiegare solo con un cedimento meccanico [37] , Piquet ne uscì fisicamente illeso, tuttavia gli venne prudenzialmente impedito di partecipare alla corsa. Gli venne offerto dalla RAI di unirsi a Mario Poltronieri e Clay Regazzoni per commentare la gara [38] , Piquet, che intratteneva rapporti amichevoli con l'inviato ai box della RAI Ezio Zermiani [39] , accettò improvvisandosi telecronista; ma al di là della breve esperienza giornalistica, Piquet lamentò, a fine anno, il fatto che l'incidente gli avesse lasciato forti strascichi a livello psicologico e che gli avesse causato l'insonnia. [34] [40]

Il compagno Mansell nella prima parte della stagione risultò più competitivo, Piquet provò a rimediare con tattiche di gara diverse, in Francia provò a fare un cambio gomme in più rispetto a Mansell, mentre in Gran Bretagna partito in testa provò a non fare soste, ma in entrambi i casi la scelta fu errata e Piquet si dovette accontentare della piazza d'onore. Recuperò vincendo i gran premi di Germania , d' Ungheria e d' Italia , ma anche grazie al maggior numero di ritiri per guasti meccanici occorsi a Mansell. La lotta con l'inglese si chiuse al penultimo Gran Premio in Giappone , dove questi fu protagonista di un incidente durante le prove, che gli impedì la partecipazione agli ultimi due gran premi. Piquet, che era già in vantaggio ea cui sarebbe bastato un mancato arrivo di Mansell per vincere il campionato, ottenne il terzo titolo di campione del mondo.

Gli ultimi anni in Formula 1

Lotus
Campionato 1988
Piquet al Gran Premio del Canada 1988 , tallonato dall'ex compagno di squadra Nigel Mansell .

Dopo aver vinto il terzo titolo, primo brasiliano a riuscire nell'impresa, a Piquet fu intitolato il circuito di Jacarepaguá su cui si correva il Gran Premio del Brasile, perciò cominciò la stagione entrante correndo sul circuito che portava il suo nome. Nel1988 , terminato il contratto biennale con la Williams e considerati i rapporti non idilliaci con Head e il fatto che la Honda avrebbe abbandonato la squadra per fornire i suoi motori a Lotus e McLaren , Piquet approdò alla Lotus con un contratto da dodici miliardi di lire annui [41] , venendo a essere il quarto pilota (dopo Juan Manuel Fangio , Denis Hulme e Niki Lauda ) a cambiare squadra subito dopo aver vinto il mondiale.

All'inizio della stagione Piquet fece scalpore rilasciando un'intervista a Playboy versione brasiliana in cui accusava Mansell di essere sfuggito dal confronto in pista, per via dell'incidente a Suzuka ; nella stessa occasione fece varie accuse personali a Senna, Prost ea Enzo Ferrari, ma in seguito spiegò i suoi intenti ridimensionando la portata delle accuse [42] . Dal punto di vista sportivo la stagione fu dominata dalle McLaren e nel team che fu di Colin Chapman ; il brasiliano ebbe solo delusioni e la scarsa intesa con il tecnico Gérard Ducarouge [43] che stravedeva per il suo ex-pilota Senna passato alla McLaren, contribuì al peggiorare continuo dei risultati ea fine stagione la Lotus si trovò in difficoltà tecnica per l'abbandono del tecnico e per la perdita dei motori Honda.

Campionato 1989
Piquet in azione tra i cordoli di Monza durante il Gran Premio d'Italia 1989 .

Laseconda stagione in Lotus fu ancora più disastrosa: Piquet riuscì a portare in squadra Frank Dernie, il suo tecnico di fiducia ai tempi della Williams, ma la vettura non fu particolarmente innovativa; inoltre i nuovi motori aspirati Judd erano poco competitivi. I risultati furono modesti: in una gara Piquet non riuscì nemmeno a qualificarsi e il massimo che riuscì a ottenere furono tre quarti posti.

Benetton
Campionato 1990

Dopo due stagioni fallimentari, bollato dall'opinione pubblica come pilota ormai in declino, Piquet, nel1990 , dovette accettare un contratto con la Benetton , in cui veniva pagato in base ai punti conquistati [44] . Invece visse una sorta di seconda giovinezza, con una stagione molto positiva in cui si aggiudicò le due ultime gare e arrivò terzo nella classifica finale. La prima delle due vittorie al Gran Premio del Giappone fu anche la prima doppietta per la Benetton, infatti la seconda posizione venne occupata dall'altra Benetton guidata dal connazionale e amico Roberto Moreno , che aveva sostituito Alessandro Nannini dopo che questi aveva avuto un grave incidente in elicottero. Tuttavia un risultato così positivo era stato favorito dai ritiri delle Ferrari e delle McLaren, in particolare Senna e Prost, che erano in lotta per il titolo e che avevano avuto una collisione alla prima curva. Mentre la seconda vittoria al Gran Premio d'Australia , sia pure favorita dal ritiro dell'imprendibile McLaren di Senna, fu determinata da una gara tutta all'attacco in cui Piquet risalì diverse posizioni e negli ultimi giri con gomme usurate, per aver fatto una sosta in meno, riuscì a resistere agli attacchi della "Rossa" di Mansell.

Campionato 1991
La Benetton B190B che Piquet utilizzò nelle prime due gare dellastagione 1991 .

Meno positiva fu invece lastagione successiva dove comunque Nelson riuscì ad aggiudicarsi, sia pure in maniera un po' rocambolesca, il Gran Premio del Canada , approfittando del ritiro a due curve dalla fine del leader Nigel Mansell . Al Gran Premio del Belgio esordì al volante di una Jordan il giovane Michael Schumacher mostrando subito grandi capacità, tanto che Flavio Briatore - allora direttore del team Benetton - lo mise subito sotto contratto e dalla gara seguente Schumacher corse con la Benetton sostituendo Moreno.

Il finale di stagione fu un confronto tra il vecchio e il giovane campione in cui Piquet non sfigurò ottenendo prestazioni vicine e alcune volte migliori di quelle di Schumacher: in futuro, il tedesco sarà sempre nettamente superiore al proprio compagno di squadra fino al suo primo ritiro nel2006 . A fine anno la Benetton decise di puntare su Schumacher mentre Piquet, non trovando un accordo economico soddisfacente con il team, né ricevendo proposte da un altro team all'altezza, decise di ritirarsi dalla Formula 1 [9] .

Dopo la Formula 1

Nelson Piquet nel 2013

Non si trattò però del definitivo addio alle corse perché nel 1992 il brasiliano decise di dedicarsi a un sogno da tempo cullato: partecipare alla 500 Miglia di Indianapolis . Si accordò con il team Menard per gareggiare con una Lola a motore Buick . Questo propulsore era un 6 cilindri di tipo Stock Block con la distribuzione ad aste e bilancieri. Il regolamento di Indy permetteva, per questi motori, una pressione di sovralimentazione più alta garantendo più potenza, ma il Buick non era altrettanto affidabile. Date queste premesse il vero obiettivo era la pole position , ma la sorte era in agguato: durante le prove Piquet perse il controllo della vettura e sbatté in maniera violentissima contro il muretto, subendo ferite tremende alle gambe [45] . Il recupero fu lentissimo, ma il brasiliano ritentò l'avventura a Indianapolis già la stagione successiva. Tuttavia Piquet non era ancora al meglio della forma e la partecipazione fu dovuta più a problemi contrattuali che a una reale intenzione di gareggiare. Partito con il tredicesimo tempo di qualificazione, la corsa si concluse dopo appena una ventina di giri per un'avaria al motore mentre occupava l'ottava posizione.

Nel settembre 1994 annunciò il suo ritiro dalle corse, ma in seguito Piquet partecipò a varie classiche dell'automobilismo: nel biennio 1996 - 97 corse in due edizioni della 24 ore di Le Mans con la McLaren F1 GTR [46] , inoltre partecipò con la stessa vettura ad altre gare di durata per vetture sport che si svolsero in Brasile, vincendo, nel 1996 in coppia con Johnny Cecotto , la 2 ore di Curitiba e la 2 ore di Brasilia e nel 1997, con Cecotto e Steve Soper la Mil Milhas Brasil , che quell'anno si svolse sul circuito di Jacarepaguá . Corse anche nella categoria Turismo con la BMW 318 , in coppia col connazionale Ingo Hoffman , prendendo parte alla 24 Ore del Nürburgring e alla24 Ore di Spa-Francorchamps , poi partecipò sporadicamente ad alcune competizioni minori brasiliane per il piacere della guida e della competizione.

Nel 2006 , ormai cinquantatreenne, tornò in gara alla Mil Milhas Brasil sul circuito di Interlagos , per poter condividere una competizione con suo figlio Nelson Angelo che era agli inizi della carriera. L'equipaggio era costituito anche da Christophe Bouchut e Hélio Castroneves , i tre giovani si alternarono alla guida della Aston Martin DBR9 , affidata loro dal team Cirtek , per circa tre ore ciascuno, mentre il vecchio campione corse per "soli" 45 minuti ei suoi tempi sul giro furono mediamente più lenti di un secondo rispetto ai propri compagni, ma insieme vinsero la gara e per Piquet ci fu la gioia di vincere la sua ultima competizione accanto al figlio, anche se dopo i festeggiamenti del podio dichiarò: "Agora chega, nao è mais pra mim, nao è mais a minha praia" (ora basta, la cosa non è più per me, non è più come prima) ritenendo che le competizioni ad alto livello non fossero più alla sua portata [47] .

Risultati in Formula 1

1978 Scuderia Vettura Flag of Argentina.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of the United States.svg Flag of Monaco.svg Flag of Belgium.svg Flag of Spain (1977 - 1981).svg Flag of Sweden.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of the United States.svg Flag of Canada.svg Punti Pos.
Ensign
McLaren [48]
Brabham [49]
MN177
M23
BT46C
Rit Rit Rit 9 11 0
1979 Scuderia Vettura Flag of Argentina.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of the United States.svg Flag of Spain (1977 - 1981).svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Punti Pos.
Brabham BT48 e BT49 Rit Rit 7 8 Rit Rit 7 Rit Rit 12 Rit 4 Rit Rit 12 3 15º
1980 Scuderia Vettura Flag of Argentina.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of the United States.svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Punti Pos.
Brabham BT49 2 Rit 4 1 Rit 3 4 2 4 5 1 1 Rit Rit 54
1981 Scuderia Vettura Flag of the United States.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of Argentina.svg Flag of San Marino.svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of Spain (1977 - 1981).svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Canada.svg Flag of Las Vegas, Nevada.svg Punti Pos.
Brabham BT49 3 12 1 1 Rit Rit Rit 3 Rit 1 3 2 6 5 5 50
1982 Scuderia Vettura Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of the United States.svg Flag of San Marino.svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of the United States.svg Flag of Canada.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of France.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of Switzerland (Pantone).svg Flag of Italy.svg Flag of Las Vegas, Nevada.svg Punti Pos.
Brabham BT50 e BT49 Rit SQ Rit 5 Rit NQ 1 2 Rit Rit Rit Rit 4 Rit Rit 20 11º
1983 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Belgium.svg Flag of the United States.svg Flag of Canada.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Europe.svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Punti Pos.
Brabham BT52 1 Rit 2 Rit 2 4 4 Rit 2 13 3 Rit 1 1 3 59
1984 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of Belgium.svg Flag of San Marino.svg Flag of France.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Flag of the United States.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Europe.svg Flag of Portugal.svg Punti Pos.
Brabham BT53 Rit Rit 9 Rit Rit Rit 1 1 Rit 7 Rit 2 Rit Rit 3 6 29
1985 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of Portugal.svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Austria.svg Flag of the Netherlands.svg Flag of Italy.svg Flag of Belgium.svg Flag of Europe.svg Flag of South Africa 1928-1994.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Brabham BT54 Rit Rit 9 Rit Rit 6 1 4 Rit Rit 8 2 5 Rit Rit Rit 21
1986 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of Spain.svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Belgium.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Austria.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Mexico.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW11 1 Rit 2 7 Rit 3 Rit 3 2 1 1 Rit 1 3 4 2 69
1987 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Belgium.svg Flag of Monaco.svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Austria.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Mexico.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Williams FW11B 2 NP Rit 2 2 2 2 1 1 2 1 3 4 2 15 Rit 73 (76)
1988 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Mexico.svg Flag of Canada.svg Flag of the United States.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Lotus 100T 3 3 Rit Rit 4 Rit 5 5 Rit 8 4 Rit Rit 8 Rit 3 22
1989 Scuderia Vettura Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Mexico.svg Flag of the United States.svg Flag of Canada.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Lotus 101 Rit Rit Rit 11 Rit 4 8 4 5 6 NQ Rit Rit 8 4 Rit 12
1990 Scuderia Vettura Flag of the United States.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of Mexico.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Benetton B189B e B190 4 6 5 Rit 2 6 4 5 Rit 3 5 7 5 Rit 1 1 43 (44)
1991 Scuderia Vettura Flag of the United States.svg Flag of Brazil (1968-1992).svg Flag of San Marino.svg Flag of Monaco.svg Flag of Canada.svg Flag of Mexico.svg Flag of France.svg Flag of the United Kingdom.svg Flag of Germany.svg Flag of Hungary.svg Flag of Belgium.svg Flag of Italy.svg Flag of Portugal.svg Flag of Spain.svg Flag of Japan.svg Flag of Australia.svg Punti Pos.
Benetton B190B e B191 3 5 Rit Rit 1 Rit 8 5 Rit Rit 3 6 5 11 7 4 26,5
Legenda 1º posto 2º posto 3º posto A punti Senza punti/Non class. Grassetto – Pole position
Corsivo – Giro più veloce
Squalificato Ritirato Non partito Non qualificato Solo prove/Terzo pilota

Vita privata

Piquet è stato un personaggio in grado di far parlare di sé anche al di fuori delle corse per i suoi atteggiamenti goliardici e la fama di tombeur de femme . Alla partenza dei Gran Premi, momento che dovrebbe essere di grande tensione, riusciva tranquillamente a scherzare con i cronisti: ad esempio, prima di una gara un cronista gli fece una domanda interminabile, Piquet lo lasciò parlare, e poi, togliendosi i tappi dalle orecchie, si scusò dicendo di non aver sentito niente [50] . Non era parco di scherzi nemmeno nei confronti dei colleghi, persino durante la riabilitazione seguita all'incidente di Indianapolis: trovandosi con altri piloti a dover subire lo stesso trattamento sanitario, entrato per primo si mise a urlare fingendo di subire dolori atroci, e poi si precipitò a vedere le facce impaurite dei colleghi.

Per quanto riguarda la vita familiare, si era sposato agli inizi della sua carriera con Maria Clara Vassallo, che aveva conosciuto ancora adolescente, da cui ha avuto un figlio di nome Geraldo, ma in seguito il rapporto naufragò: nel 1983 ci fu la separazione e quattro anni dopo il divorzio [51] . Nel frattempo Piquet ebbe una relazione con l'olandese Sylvia Tamsma da cui nacquero Nelson Angelo e due figlie chiamate Kelly e Jùlia. Poi si sono succedute una compagna italiana e una belga [52] di nome Katherine Valentin, da cui ha avuto un figlio chiamato Laszlo. Attualmente è sposato con Viviane Leão, da cui ha avuto altri due figli, Pedro e Marco. Nel 2007 con la moglie Viviane ha dovuto rifare un corso di guida per la patente, che era stata ritirata a entrambi a causa di varie infrazioni commesse. [53]

Dopo il ritiro dalle corse, Piquet è tornato in Brasile , dove ha gestito un discreto patrimonio immobiliare e altre attività, tra cui una concessionaria Pirelli e un'azienda di telecomunicazioni [52] satellitari legata al mondo dell'autotrasporto, di grande successo [3] . In una intervista concessa nel 2006 ha dichiarato che le sue attività hanno raggiunto fatturati da 200 milioni di dollari e guadagni superiori a quelli che si possono ottenere con le corse, anche confrontandoli con quelli dei piloti attuali [46] . Inoltre ha costituito un team per le formule minori, il Piquet Sports , per seguire direttamente la carriera automobilistica del figlio Nelson Angelo, che con il team di famiglia ha vinto il campionato inglese di Formula 3 nel 2004 ed è arrivato secondo nel campionato GP2 del 2006 .

Il 13 novembre 2013 subisce un intervento chirurgico al cuore che, a detta del figlio, viene superato. [54]

È nonno di Penelope Kvjat, nata il 27 luglio 2019 dalla relazione fra il pilota di F1 Daniil e sua figlia Kelly.

Note

  1. ^ a b Laura Cardia, Nelson Piquet , in autosportnews.com . URL consultato il 1º agosto 2009 .
  2. ^ Le frasi più belle citate dai protagonisti del circus , in www.circusf1.com . URL consultato il 4 maggio 2018 .
  3. ^ a b c d e f g ( EN ) Nelson Piquet driver profile from the Official F1 website , in formula1.com The Official Formula 1 Website . URL consultato il 12 agosto 2009 .
  4. ^ a b ( EN ) Nelson Piquet - Biography , in http://www.grandprixhistory.org/ . URL consultato il 15 giugno 2013 .
  5. ^ ( PT ) Estácio Gonçalves Souto Maior , in Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporâna do Brasil (FGV/CPDOC) . URL consultato il 7 aprile 2019 (archiviato dall'url originale il 27 settembre 2007) .
  6. ^ a b c d Gianni Cancellieri-Paolo Facchinetti, La seconda volta di Piquet , Conti Editore, 1983, p.5..
  7. ^ I grandi piloti:Nelson Piquet , in angolomotori.com . URL consultato il 4 agosto 2009 (archiviato dall' url originale il 25 febbraio 2010) .
  8. ^ a b ( EN ) Memories of Nelson Piquet , su forix.com , www.forix.com. URL consultato il 1º giugno 2012 .
  9. ^ a b c ( EN ) Drivers: Nelson Piquet , su grandprix.com . URL consultato l'8 agosto 2009 .
  10. ^ a b Mattia Albera, Nelson Piquet , in tuttomclaren.it . URL consultato il 1º agosto 2009 .
  11. ^ Vittorio Sabadin, Tra Reutemann e Piquet decide il destino , in La Stampa , 13 settembre 1981, p. 20. URL consultato il 24 dicembre 2011 .
  12. ^ Cristiano Chiavegato, Piquet ex-allievo di Niki Lauda è il pilota più "povero" della F1 , in La Stampa , 02 settembre 1980, p. 19. URL consultato il 24 dicembre 2011 .
  13. ^ Cancellieri, De Agostini , pag. 302 .
  14. ^ Cancellieri, De Agostini , pag. 316 .
  15. ^ Cancellieri, De Agostini , pag. 323 .
  16. ^ Cancellieri, De Agostini , pag. 328 .
  17. ^ Gian Paolo Ormezzano, La beffa a Piquet e il trionfo di Lucchinelli , in stampasera , 06 luglio 1981, p. 11. URL consultato il 24 dicembre 2011 .
  18. ^ Cancellieri, De Agostini , pag. 333 .
  19. ^ Cancellieri, De Agostini , pag. 349 .
  20. ^ Cancellieri, De Agostini , pag. 347 .
  21. ^ Cancellieri, De Agostini , pag. 361 .
  22. ^ Ferrari , pag. 118 .
  23. ^ Cancellieri, Facchinetti , pag. 6 .
  24. ^ Cancellieri, Facchinetti , pag. 8 .
  25. ^ Cancellieri, Facchinetti , pag. 9 .
  26. ^ Cancellieri, Facchinetti , pag. 10 .
  27. ^ Cancellieri, Facchinetti , pag. 4 .
  28. ^ Cancellieri, Facchinetti , pag. 15 .
  29. ^ Mapelli , pag. 52 .
  30. ^ Adriano Costa, Scusi Piquet, ha paura di noi? , in Maxi Autosprint , 06 marzo 1984, p. 2.
  31. ^ Tutti i tempi della «6 giorni» sudafricana , in Autosprint , 06 marzo 1984, p. 16.
  32. ^ Motociclismo agosto 1985, pag. 71.
  33. ^ Carlo Marincovich, Alboreto e Prost. Dov'è la differenza? , in repubblica.it , 06 agosto 1985, p. 27. URL consultato il 26 ottobre 2008 .
  34. ^ a b Cristiano Chiavegato, Piquet, un mondiale col veleno , in La Stampa , 1º novembre 1987, p. 29.
  35. ^ Autosprint nº 26/86, p. 9.
  36. ^ ( PT ) tarciomartins, Piquet vs Senna, a mais bela ultrapagem de todos os tempos , in youtube.com . URL consultato il 4 agosto 2009 .
  37. ^ Carlo Marincovich, Vietato Piquet , in repubblica.it , 03 maggio 1987, p. 44. URL consultato il 1º maggio 2009 .
  38. ^ De Adamich, Orefici , pag. 156 .
  39. ^ Zermiani va in pensione , in quattroruote.it , 03 luglio 2006. URL consultato il 21 agosto 2010 (archiviato dall' url originale l'8 settembre 2012) .
  40. ^ 312B2, Intervista Piquet campione 87 , in youtube.com . URL consultato il 7 ottobre 2014 .
  41. ^ Mike Doodson, Solo lui, così amato, così odiato , in F1 Racing , luglio 2000, p. 58.
  42. ^ Carlo Marincovich, Le voci di Nelson , in repubblica.it , 20 aprile 1988, p. 33. URL consultato il 2 giugno 2009 .
  43. ^ Casamassima , pag. 502 .
  44. ^ Quattroruote , Quattroruote speciale Formula 1 '97 , p. 70
  45. ^ Piquet, sette ore sotto i ferri , in Repubblica , 09 maggio 1992, p. 24.
  46. ^ a b Cesare Maria Mannucci, Nelson piatto , in autosprint.it , 2006, p. 35. URL consultato il 13 settembre 2009 (archiviato dall' url originale il 1º novembre 2012) .
  47. ^ Cesare Maria Mannucci, Qui Nelson, passo e chiudo , in autosprint.it , 2006, p. 31. URL consultato il 4 agosto 2009 (archiviato dall' url originale il 1º novembre 2012) .
  48. ^ Con la McLaren dal GP d'Austria al GP d'Italia.
  49. ^ Con la Brabham nel GP del Canada.
  50. ^ Carlo Marincovich, Donne motori e Piquet , in repubblica.it , 08 settembre 1987, p. 25. URL consultato il 1º giugno 2009 .
  51. ^ Carlo Marincovich, Arrestate Piquet , in repubblica.it , 15 aprile 1987, p. 27. URL consultato il 1º giugno 2009 .
  52. ^ a b Carlo Marincovich, Ricco e famoso è l'ora dell'amore , in repubblica.it , 27 marzo 1995, p. 35. URL consultato il 1º giugno 2009 .
  53. ^ Piquet punito Via la patente ea scuola guida , in corriere.it , 1º agosto 2007, p. 49. URL consultato il 4 agosto 2009 (archiviato dall' url originale l'8 novembre 2012) .
  54. ^ Nelson Piquet operato al cuore

Bibliografia

  • Gianni Cancellieri, Cesare De Agostini , 33 anni di gran premi iridati , Autosprint-Conti Editore, 1982.
  • Gianni Cancellieri, Paolo Facchinetti, La seconda volta di Piquet , Conti Editore, 1983.
  • Enrico Mapelli, I dati della Formula 1 , GiorgioNadaEditore, 2000, ISBN 88-7911-217-1 .
  • Pino Casamassima, Storia della Formula 1 , Calderini Edagricole, 1996, ISBN 88-8219-394-2 .
  • Andrea De Adamich , Oscar Orefici , F1 '87 , Vallardi&associati, 1987.
  • ( EN ) Mike Doodson, Nelson Piquet , Hazelton Publishing, 1991, ISBN 978-0-905138-81-7 .
  • Enzo Ferrari , Piloti, che gente... , Conti Editore, 1985.

Voci correlate

Altri progetti

Collegamenti esterni

Controllo di autorità VIAF ( EN ) 65574007 · ISNI ( EN ) 0000 0000 2752 1421 · LCCN ( EN ) n88247644 · GND ( DE ) 105710454X · WorldCat Identities ( EN ) lccn-n88247644