Madagáscar

Da Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para a navegação Ir para a pesquisa
Disambiguation note.svg Desambiguação - Se você está procurando outros significados, consulteMadagascar (desambiguação) .
Madagáscar
Madagascar - Bandeira Madagascar - Brasão de armas
( detalhes ) ( detalhes )
( MG ) Tanindrazana, Fahafahana, Fandrosoana
( IT ) Terra ancestral, Liberdade, Progresso
Madagascar - Localização
Dados administrativos
Nome completo República de Madagascar
Nome oficial ( MG ) Repoblikan'i Madagasikara
( FR ) República de Madagascar
Línguas oficiais Malgaxe e francês
Capital Antananarivo.png Antananarivo (1.275.207 habitantes / 2018)
Política
Forma de governo República semi-presidencialista
Presidente Andry Rajoelina
primeiro ministro Christian Ntsay
Independência Da França, 26 de junho de 1960
Entrada na ONU 20 de setembro de 1960
Superfície
Total 587 041 km² ( 45º )
% de água 0,6%
População
Total 26,97 milhões de hab. (2019) ( 55º )
Densidade 43 habitantes / km²
Taxa de crescimento 2,5% (2017) [1]
Nome dos habitantes malgaxe
Geografia
Continente África
Fronteiras Ninguém
Jet lag UTC + 3
Economia
Moeda Ariário malgaxe
PIB (nominal) $ 12 499 [2] milhões (2017) ( 138º )
PIB per capita (nominal) 1 600 $ (2017) ( 181º )
PIB ( PPP ) $ 39,81 milhões (2017)
ISU (2017) 0,519 (baixo) [3] ( 158º )
Fertilidade 4.3 (2017) [4]
Vários
Códigos ISO 3166 MG , MDG, 450
TLD .mg
Prefixo tel. +261
Autom. RM
Hino Nacional Ry Tanindraza nay malala ô
feriado nacional 26 de junho
Madagascar - Mapa
Evolução histórica
Estado anterior Madagáscar República Democrática de Madagascar

Coordenadas : 20 ° S 47 ° E / 20 ° S 47 ° E -20; 47

Madagascar ( AFI : / madaɡaˈskar / [5] ), oficialmente a República de Madagascar , é um estado insular localizado no Oceano Índico , na costa leste da África em frente a Moçambique . A ilha principal, também chamada de Madagascar, é a quarta maior ilha do mundo . É o lar de 5% das espécies vegetais e animais do mundo, 80% das quais são endêmicas de Madagascar. Entre os exemplos mais conhecidos desta biodiversidade excepcional estão a ordem dos lêmures , mais de 250 espécies de rãs , inúmeras espécies de camaleões e os baobás típicos.

O adjetivo associado a Madagascar (usado para indicar sua língua nativa, grupos étnicos e cidadania) é malgaxe . A língua malgaxe é a primeira língua de Madagascar, mas a população também é fluente em francês (seguindo o passado colonial da ilha).

Ecoturismo e agricultura , maiores investimentos em educação, saúde e empresas privadas, são os elementos-chave da economia malgaxe. Sob o governo Ravalomanana , esses investimentos produziram um crescimento econômico substancial, mas os benefícios não foram distribuídos igualmente entre a população, gerando tensões sobre o aumento do custo de vida e o declínio dos padrões de vida entre os pobres e alguns segmentos da classe média. Em 2005, o país anunciou que havia descoberto campos de petróleo, um recurso que poderia desempenhar um papel importante no crescimento econômico da ilha africana [6] ; no entanto, a partir de 2017, o país ainda está economicamente entre os mais pobres e a qualidade de vida continua baixa para a maioria da população.

História

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: História de Madagascar .

Acredita-se que Madagascar se separou do supercontinente Gondwana , e depois da África a oeste e da Índia a leste, cerca de 140 milhões de anos atrás. O consequente isolamento é testemunhado pelo extraordinário grau de endemismo das espécies animais e vegetais da ilha. Os primeiros homens a chegar à ilha, entre 2000 e 1500 anos atrás, eram provavelmente de origem indonésia e malaia ; desses primeiros colonos descendem os grupos étnicos malgaxes com traços somáticos e culturais mais evidentemente asiáticos-indonésios, como os Merina que habitam o planalto central. Posteriormente, fluxos migratórios de povos Bantu deixaram a África, o que deu origem a grupos étnicos como os Sakalava no oeste e os Bara no sul da ilha; no entanto, suas línguas africanas originais foram abandonadas em favor da língua malgaxe, por razões de comunicação com os outros povos da ilha.

Os árabes conheceram a ilha antes dos europeus e começaram a estabelecer assentamentos em Madagascar por volta do século 10 ou 11 , principalmente com a intenção de negociar escravos . Os árabes tinham numerosos contatos com as populações locais e vários elementos da cultura malgaxe (como as práticas astrológicas do ombiasy ou os nomes dos meses na língua malgaxe ) atestam essa antiga influência árabe. Grupos étnicos malgaxes, como Antemoro e Antanosy, descendem de colonos árabes e ainda praticam a fé do Islã hoje .

Os europeus souberam da existência de Madagascar de fontes asiáticas ou árabes; O próprio Marco Polo menciona esta ilha desconhecida e misteriosa em seu milhão .

«Mandegascar em si é uma ilha ao sul, longe de Scara a cerca de 1.000 milhas. Estes são sarracenos que adoram Malcometo; nestes anos 4 bispos - isto é, 4 velhos -, que são os senhores de toda a ilha. E saiba que esta é a melhor e maior ilha do mundo, pois dizem que ela percorre 4.000 milhas. Eles vivem de merchandising e artes. Mais leofantes nascem aqui do que em parte do mundo; e para todo o outro mundo não são vendidos ou comprados tantos dentes de leão como nesta ilha e na de Zaghibar. E saibam que nesta ilha não comemos outra carne senão camelos, e comemos tantas que não acreditaríamos; e eles dizem que esta carne de camelo é a melhor e mais saudável do mundo. "

( cap. 186, Na ilha de Madegascar )

A ilha foi então avistada por acaso por Diogo Dias , que fora levado por uma tempestade no regresso das Índias a Moçambique . Posteriormente, portugueses, franceses e holandeses tentaram estabelecer assentamentos permanentes na ilha; no entanto, as doenças e hostilidade dos nativos mostraram-se obstáculos intransponíveis.

Permaneceu fora da esfera de influência das grandes potências europeias, Madagascar nos séculos XVI e XVII tornou-se o refúgio ideal para piratas que saqueavam frotas mercantes em trânsito para as Índias.

O colonialismo e o conseqüente aumento da demanda de escravos pelas potências europeias influenciaram fortemente o equilíbrio interno de Madagascar. Alguns clãs malgaxes começaram a traficar escravos com a Europa, recebendo ouro e armas de fogo em troca. Esse influxo de riqueza levou à formação dos primeiros reinos insulares; em particular, os Sakalava do oeste deram vida aos reinos de Menabe e Boina e os Zana-Malata , uma etnia de origem indonésio-europeia, conseguiram unificar todo o oriente no reino dos Betsimisaraka .

A esses reinos foi acrescentado no século XVIII o da Merina, unificado no reino de Andrianampoinimerina , colocando sua capital em Antananarivo . Seu sucessor, Radama I , fez acordos estratégicos com os britânicos , obtendo seu apoio militar e econômico em troca de uma série de favores destinados a obstruir a presença francesa na área. Em 1824, Radama estendeu seus domínios até a costa, tornando-se o primeiro governante do reino de Madagascar .

Mapa de Madagascar em 1888

Os vários reis merina que se seguiram após Radama I tiveram atitudes alternadas entre o fechamento nacionalista e tradicionalista ( Ranavalona I ) e o pró-europeísmo ( Radama II ), orientados em diferentes épocas mais para os ingleses ou mais para os franceses. Em 1885 , no contexto da partição colonial da África , os britânicos desistiram de qualquer reclamação contra Madagascar, deixando o campo livre para os franceses. Em 1885 , no final da primeira expedição francesa a Madagascar , a França declarou Madagascar seu próprio protetorado ; uma tentativa de resistência da Rainha Ranavalona III foi interrompida pela captura da capital Antananarivo pelas tropas francesas em 1895 .

A "pacificação" liderada pelo governo francês durou mais de quinze anos, em resposta às guerrilhas rurais espalhadas pelo país. No total, a repressão desta resistência à conquista colonial causou entre 100.000 e 700.000 vítimas malgaxes, segundo fontes [7]

Grandes concessões de mineração e extração de madeira foram concedidas a grandes empresas. Líderes indígenas leais à administração francesa também receberam uma parte do território. O trabalho forçado foi introduzido em favor das empresas francesas. A colonização também foi acompanhada pela construção de estradas e escolas. [7]

Durante a Primeira Guerra Mundial, quase 50.000 malgaxes lutaram no exército francês.

No entanto, o período colonial foi acompanhado por movimentos de luta pela independência: o Menalamba, o Vy Vato Sakelika, o MDRM. Em 1927, grandes manifestações foram organizadas em Antananarivo, em particular por iniciativa do ativista comunista François Vittori, que foi preso na sequência dessas ações. A década de 1930 viu o movimento anticolonial malgaxe ganhar ainda mais força. O sindicalismo malgaxe começou a aparecer na clandestinidade e o Partido Comunista da Região de Madagascar foi formado. Porém, já em 1939 todas as organizações foram dissolvidas pela administração da colônia, que optou pelo regime de Vichy . [7]

Durante a Segunda Guerra Mundial , as tropas malgaxes lutaram na França , Síria e Marrocos . Quando a França caiu nas mãos dos alemães , Madagascar ficou sob o controle do governo de Vichy ; alguns líderes do NSDAP planejavam deportar todos os judeus europeus para Madagascar . Em 1942 a ilha foi ocupada pelos ingleses , que, após a assinatura do armistício, garantiram a manutenção da soberania francesa sobre toda a ilha, [8] confiando sua administração ao general francês livre Paul Legentilhomme. [9]

O retorno dos combatentes malgaxes alistados durante a Segunda Guerra Mundial, as péssimas condições de vida dos povos indígenas e a atividade dos movimentos anticolonialistas favoreceram a aspiração à independência, levando à eclosão da insurreição. Em 1947, uma revolta independentista manteve as forças francesas ocupadas por muitos meses. A revolta foi brutalmente reprimida (estamos falando de 60.000 - 100.000 mortos). [10] A repressão foi acompanhada por execuções sumárias, tortura, agrupamentos forçados e incêndios em aldeias. O exército francês experimentou uma "guerra psicológica": suspeitos foram atirados, vivos, de aviões para aterrorizar os aldeões nas áreas de operação. [7]

No início dos anos 1950 , a França iniciou uma série de reformas que permitiram a Madagascar a transição para a independência. Em 14 de outubro de 1958 , a República de Madagascar nasceu oficialmente no contexto da Communauté Française. Madagascar finalmente se tornou independente em 26 de junho de 1960 , com Philibert Tsiranana como seu primeiro presidente.

Tsiranana conduziu uma política abertamente pró-França, destinada essencialmente a preservar o status quo , causando descontentamento generalizado entre a população malgaxe. Após o abandono de Tsiranana e um curto período de transição, o poder passou para as mãos de Didier Ratsiraka , que mudou profundamente o estado malgaxe e a política externa na direção de um socialismo pró- soviético , rebatizando o país como " República Democrática de Madagascar " . O partido de Ratsiraka se tornou o único partido legalmente reconhecido em 1977 e a liberdade de imprensa foi severamente restringida.

O regime de Ratsiraka começou a vacilar na década de 1980 , sob a pressão de uma grave crise econômica e do crescente isolamento internacional do país. Ratsiraka mudou gradualmente sua política, até convocar as primeiras eleições multipartidárias em 1993 . Ratsiraka e seu principal rival, Albert Zafy , se revezaram na liderança do país até 2001 .

As eleições de 2001 , que voltaram a ver Ratsiraka e Marc Ravalomanana opondo-se, terminaram com acusações mútuas de fraude e confrontos, inclusive armados, no país. Ravalomanana saiu vitorioso e Ratsiraka foi forçado ao exílio. Porém, esta legislatura também não obteve êxito: em 17 de março de 2009 , ocorreu novamente um golpe de Estado. O líder da oposição de 34 anos, Andry Rajoelina , colocou-se no comando do exército e sitiou e depois conquistou o palácio presidencial, obrigando o presidente Ravalomanana a renunciar, adquirindo pleno poder. Todas as organizações internacionais mais importantes, a começar pela União Europeia , a União Africana e a ONU , se opuseram à derrubada política, realizada pela força. [11]

As eleições presidenciais realizadas em dezembro de 2013 viram a vitória de Hery Rajaonarimampianina , proclamado presidente algumas semanas depois [12] .

Geografia

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Geografia de Madagascar e das ilhas africanas .
Imagem de satélite

A ilha de Madagáscar, com mais de 1 500 km de comprimento, é a quarta maior ilha do mundo. Situa-se ao largo da costa leste do continente africano , no Oceano Índico , a 400 km da costa de Moçambique (da qual está separada pelo Canal de Moçambique ). É uma ilha tropical (atravessada pelo Trópico de Capricórnio ) mas, devido ao seu tamanho considerável, a paisagem e o clima variam muito.

A característica mais marcante da ilha como um todo é a intensa cor vermelha do solo, rica em ferro . Devido à clara prevalência de solos ferrosos, Madagascar também é chamada de Ilha Vermelha (ou Continente Vermelho ).

Campos de arroz na província de Antananarivo

O coração do país é o planalto central, os hautes terres , que inclui as regiões de Fianarantsoa e Antananarivo e tem colinas e montanhas que protegem vales férteis e fundamentais para a agricultura; numerosos são, em particular, os campos de arroz . No norte (regiões de Antsiranana , Sava , Mahajanga ) predominam colinas cobertas de floresta e a terra é sempre úmida. A costa leste (do norte: Fenoarivo Est , Toamasina , Mananjary , Farafangana ) é rica em vegetação e recursos naturais; pesca, caça e agricultura são praticadas aqui, e grande parte do território é coberto por floresta como no norte.

A savana na região de Isalo, sul de Madagascar
A terra vermelha de uma trilha em direção a Isalo, no sul de Madagascar

Entre o planalto central e a costa de Bezanozano , Alaotra e Ambatondrazaka , também ricas em arrozais; indo para o sul até as regiões de Zafimaniry e Tanala, a paisagem predominante é mais uma vez a floresta, que representa a principal fonte de sustento das populações locais. Nas regiões sudeste ( Vangaindrano e Taolagnaro ) a terra também é fértil, mas a água nem sempre é suficiente. No sul ( Ambovombe , Androy , Ampanihy ) a planície é fértil, mas seca, e há áreas cobertas por savana e estepe ricas em peras espinhosas de Mahajanga , uma vasta planície adequada para o cultivo. Entre o centro e a costa oeste ( Tsiroanomandidy , Manja , Ankazoabo , Sakaraha , Horombe ), relevos montanhosos e planícies férteis se alternam, pelo menos no norte; conforme você avança para o sul ( Isalo , Ilakaka , Benenitra , Belamoty , Bezaha ) você encontrará novamente savana e áreas menos cultivadas, embora com exceções (por exemplo, o vale de Onilahy é o coração da produção de arroz no sul de Madagascar, com 2 ou 3 colheitas por ano). Toda a parte ocidental da ilha, de Mahajanga a Ambovombe, possui um clima adequado para a criação de gado bovino e ovino; especialmente os zebus são muito numerosos.

Hidrografia

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Rios de Madagascar .

As montanhas que correm ao longo da parte central da ilha, no eixo norte-sul, dividem o sistema fluvial de Madagáscar em duas vertentes: a vertente ocidental, representada por rios navegáveis ​​que descem lentamente para oeste até ao Canal de Moçambique , entre os quais rios principais da ilha: o Betsiboka , o Tsiribihina , o Mangoky e o Onilahy , e o lado oriental, cujos riachos, mais curtos e impetuosos, correm para o leste no oceano Índico .

O maior lago é o Alaotra , localizado a cerca de 7 km de Ambatondrazaka ( Província de Toamasina ).

Clima

O clima de Madagascar é tropical, mas varia de um lugar para outro. O lado oriental, devido à exposição aos fluxos das monções, é muito chuvoso e também é frequentemente atingido por ciclones. O clima é sub-deserto nas partes oeste e sul. As temperaturas são altas durante todo o ano, diminuindo apenas com a escalada de planaltos e cadeias de montanhas. No planalto central, o clima é quente no verão e frio no inverno, mesmo nos meses mais frios há nevascas frequentes durante 2 000 m . As chuvas se concentram no verão austral, que vai de novembro a março. No sul do país, as chuvas são raras. [13]

População

Demografia

Cerca de 25 milhões de habitantes vivem em Madagascar; a densidade é de 43 habitantes / km² (2016). [14] Isto significa que a população deste país quase quintuplicou na última metade do século, sendo que em 1960 os habitantes eram pouco mais de 5 milhões.

Etnias

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Povos de Madagascar .
Agricultores das terras altas de Fianarantsoa

Em Madagascar existem dezoito grupos étnicos principais, principalmente de origem mista asiática e africana, com elementos árabes e europeus. Apenas uma minoria, localizada principalmente nas terras altas, tem traços somáticos e culturais distintamente asiáticos. Pesquisas recentes sugerem que a ilha foi colonizada inicialmente por populações de origem malaia , que chegaram entre 2.000 e 1.500 anos atrás. Estudos sobre o DNA de populações malgaxes mostram origens de cerca de metade da Malásia e metade da África, com algumas influências árabes, indianas e europeias, especialmente nas costas.

A língua malgaxe tem um vocabulário 90% comparável ao do ma'anyan falado na região do rio Barito , no sul de Bornéu . As migrações subsequentes do Pacífico e da África consolidaram essa mistura inicial de etnias. Os trechos orientais estão presentes principalmente nos planaltos centrais e correspondem às populações Merina (3 milhões) e Betsileo (2 milhões); os povos da costa (chamados côtiers ) são mais claramente de origem africana ( Bantu ). Os maiores grupos tribais costeiros são os Betsimisaraka (1,6 milhão), os Tsimihety e os Sakalava (ambos os quais compreendem cerca de 700.000 pessoas).

Religião

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: crenças e rituais tradicionais de Madagascar .
Um túmulo tradicional da tribo Mahafaly, com símbolos cristãos.

Cerca de metade da população malgaxe dedica-se aos cultos locais tradicionais , que tendem a se concentrar na ideia de se relacionar com os mortos. Acima de tudo, os merina das terras altas seguem estritamente seus ritos tradicionais. Eles acreditam que ancestrais falecidos se tornam deuses e seguem cuidadosamente as histórias de seus descendentes ainda vivos. Tanto o merina quanto o betsileo têm uma prática de "re-enterro" chamada famadihana , na qual os restos mortais dos mortos são removidos dos túmulos, embrulhados em novas mortalhas e colocados em seus túmulos após um certo período de celebrações cerimoniais.

45% dos malgaxes são cristãos , divididos aproximadamente igualmente entre católicos e protestantes . Em muitos casos, o cristianismo malgaxe retém alguns traços derivados de crenças tradicionais, como as relacionadas ao culto aos mortos. Não raramente, um ministro cristão é convidado a presidir uma famadihana. A Igreja Católica, que fundamenta a sua atividade missionária no conceito de inculturação , não rejeita essas práticas; Os pastores protestantes geralmente são mais inclinados a condená-los como superstição ou mesmo adoração ao diabo. Nas regiões costeiras, especialmente nas províncias de Mahajanga e Antsiranana, existe uma minoria de muçulmanos , pertencentes a grupos étnicos indo-paquistaneses ou originários das Comores . As igrejas cristãs em Madagascar costumam ter influência na vida política do país. O Conselho de Igrejas Malgaxes (FFKM) reúne as quatro doutrinas mais arraigadas do país ( Catolicismo Romano , Protestantismo Reformado, Luteranismo e Anglicanismo ). Existem aproximadamente 33.000 Testemunhas de Jeová [1] .

  • Cristão 85%
    • Protestantes 45,8%
      • Luteranos
      • Protestantes reformados
      • Anglicanos
    • Católicos 38,1%
    • Outros Cristãos 1,1%
      • Testemunhas de Jeová ~ 33.000
  • 6,9% não afiliado
  • Animistas 4,5%
  • Muçulmano 3,0%

línguas

Piroga tradicional

A língua malgaxe é de origem maleo-polinésia e é falada em toda a ilha.

Grande parte da população também sabe francês . A primeira constituição de Madagascar ( 1960 ) equiparou o malgaxe e o francês como as línguas oficiais da República. A constituição subsequente não mencionou o conceito de "língua oficial", mas especificou que o malgaxe era a "língua nacional". Por ocasião de um protesto formal de um cidadão que havia considerado inconstitucional a publicação de documentos oficiais apenas em francês, o Tribunal Constitucional rejeitou o protesto, decidindo que, na ausência de uma indicação precisa a nível legislativo, o francês ainda poderia ser considerado aceitável como língua oficial. A nova constituição de 2007 vê o francês novamente explicitamente reconhecido como a segunda língua oficial do país.

Desde 2007, uma emenda constitucional apoiada pelo então presidente em exercício (de formação anglo-saxônica) acrescentou o inglês como a terceira língua oficial do estado, um movimento de natureza política que visa principalmente favorecer as relações com a África do Sul e o influxo dos investimentos econômicos dos países de língua inglesa. Muitos voluntários anglo-saxões se prestaram para ajudar neste projeto, que visa estender a esfera de influência da língua inglesa para a ilha, ensinando inglês para professores malgaxes; entretanto, durante os três anos de inglês oficial em Madagascar, havia apenas uma escola onde o ensino era ministrado nessa língua e o inglês desempenhou um papel muito marginal no cenário malgaxe.

Uma nova emenda constitucional de novembro de 2010 finalmente removeu o status oficial do inglês, voltando a reconhecer esse status apenas para o malgaxe e o francês. [15]

Sistema estadual

A actual constituição (a de 1998) prevê o Presidente , o Parlamento (conhecido como "Assembleia Nacional"), o Senado , o Primeiro-Ministro e um poder jurídico independente como as principais instituições do país. O presidente é eleito por sufrágio universal e permanece no cargo por 5 anos; pode ser reconfirmado duas vezes. A Assembleia Nacional é composta por cento e sessenta representantes eleitos por voto direto a cada cinco anos. O Senado é composto por 90 senadores, dois terços dos quais são eleitos pelos legisladores locais e um terço eleitos pelo presidente, todos com mandato de seis anos. O Primeiro-Ministro e um conselho de outros ministros são responsáveis ​​pela gestão governamental e pela aplicação da lei; o primeiro-ministro é escolhido pelo presidente. O presidente pode dissolver a Assembleia Nacional; por sua vez, a Assembleia pode votar uma moção de censura e destituir os ministros. O Tribunal Constitucional tem por objetivo julgar a constitucionalidade das novas leis.

Divisão administrativa

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: subdivisões de Madagascar .
MadagascarProvinces001.png

Madagascar está administrativamente dividido em entidades de quatro níveis principais:

  1. província ( faritany mizakatena )
  2. região ( faritra )
  3. distrito ( fivondrona ou departemanta )
  4. comum ( firaisana e kaominina )

Cada província leva o nome de sua capital:

  1. a província de Antananarivo inclui as regiões de Bongolava , Itasy e Vakinankaratra
  2. a província de Antsiranana inclui as regiões de Diana e Sava
  3. a província de Fianarantsoa inclui as regiões de Amoron'i Mania , Atsimo-Atsinanana , Haute Matsiatra , Ihorombe e Vatovavy-Fitovinany
  4. A província de Mahajanga inclui as regiões de Betsiboka , Boeny , Melaky e Sofia
  5. a Província de Toamasina inclui as regiões de Alaotra Mangoro , Analanjirofo e Atsinanana
  6. a província de Toliara inclui as regiões de Androy , Anosy , Atsimo-Andrefana e Menabe

Principais cidades

Ícone da lupa mgx2.svg O mesmo tópico em detalhes: Lista das cidades em Madagascar .

Instituições

Sistema escolar

A educação em Madagascar é regulamentada de acordo com as linhas estabelecidas pela reforma escolar de 1978 , encomendada pelo governo socialista de Ratsiraka com o objetivo de democratizar, nacionalizar e descentralizar o sistema escolar. As escolas estão organizadas em quatro fases: ensino básico (seis anos), ensino secundário básico (quatro anos), ensino secundário especializado (três anos) e formação universitária (ministrada pela Universidade de Madagáscar , fundada em 1961 com sede na capital), ou de outros institutos superiores equivalentes. Nonostante gli sforzi messi in atto dai governi succedutisi alla guida del paese negli anni, il livello di analfabetismo in Madagascar è ancora piuttosto elevato (intorno al 30% della popolazione). Dal 2007, con lo scopo di rendere più funzionale l'educazione di base, è nata l'iniziativa pedagogica Keelonga .

Politica

Politica estera

Il Madagascar, che ha storicamente una posizione marginale rispetto alla vita politica africana, è tornato nel luglio del 2003 (dopo la crisi politica del 2002 ) a essere parte attiva dell' Unione Africana .

Dal 1968 al 1991 , sotto il governo di Ratsiraka, il Madagascar ha allacciato legami politici soprattutto con paesi socialisti e non-allineati come Corea del Nord , Cuba , Libia e Iran . Il successivo presidente Zafy ha cercato di ampliare la rosa dei contatti internazionali del paese.

Dal 1997 il Madagascar ha iniziato ad aprirsi ai mercati mondiali. I suoi rapporti commerciali sono comunque più orientati verso l'Oceano Indiano ( Mauritius , Comore , Réunion ) e l' Europa (soprattutto Francia , Germania , Svizzera ) che verso l'Africa. Ci sono rapporti importanti anche fra Madagascar e Regno Unito , Russia , Giappone , India e Cina . Ravalomanana ha coltivato anche le relazioni con gli Stati Uniti , grazie alle quali il Madagascar fu una delle prime nazioni a beneficiare dell'iniziativa Millennium Challenge Account . Più in generale, Ravalomanana ha teso coscientemente a rafforzare i rapporti con i paesi anglofoni per controbilanciare il rapporto di sudditanza politica e culturale del Madagascar nei confronti della Francia.

Economia

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Economia del Madagascar .
Antananarivo è il cuore economico e commerciale del Madagascar

L'isola è ancora nel 2019 un paese poverissimo; infatti nel 2019 il 70% della popolazione viveva sotto la soglia di povertà [16] ; freni strutturali permangono allo sviluppo dell'economia: corruzione e pastoie dell'amministrazione pubblica, mancanza di certezza del diritto, arretratezza della legislazione fondiaria. L'economia del paese africano è comunque dal 2011 in crescita, con tassi superiori al 4% annuo registrati nell'anno 2019 [17] [18] ; gli indicatori economici sembrano quasi tutti in crescita, Il reddito pro-capite dell'isola viene spesso indicato come intorno ai 1600 dollari l'anno al 2017 [19] , uno dei più bassi del mondo, dato comunque in crescita dal 2012; Il prodotto interno lordo è anche in crescita [20] ; è stata abbattuta anche la disoccupazione, che nel 2016 era pari al 2,1% [21] al 2017 c'era una forza lavoro di 13,400,000 abitanti dato in forte crescita [22] . Le principali risorse economiche del Madagascar sono il turismo , l'esportazione tessile, la produzione ed esportazione agricola e l' estrazione mineraria .

Agricoltura

Il Madagascar è il primo produttore al mondo di vaniglia .

L'economia nazionale è basata essenzialmente sull'agricoltura, sull'allevamento del bestiame e sulla produzione di oggetti di artigianato. Il più importante prodotto del Paese è rappresentato dal riso. L'esportazione agricola è centrata su prodotti di volume ridotto e alto valore, come la vaniglia (il Madagascar è il primo produttore al mondo, con circa metà della produzione mondiale), litchi e oli essenziali .

Industria

L'industria è poco sviluppata. Un settore produttivo è quello della manifattura tessile e della trasformazione dei prodotti agricoli. Il Madagascar importa materie prime, combustibili, macchinari, attrezzature industriali e prodotti chimici, mentre esporta prodotti del settore primario e minerali. La bilancia commerciale è in deficit. Le risorse del sottosuolo non sono abbondanti: alcuni giacimenti di petrolio e di gas naturale. I minerali estratti sono numerosi, quali grafite, cromite, mica, oro e pietre preziose. La disponibilità energetica è limitata. In base ai dati ufficiali, è scomparso circa il 70% delle foreste. La deforestazione, insieme all'intenso sfruttamento dei pascoli, ha causato l'erosione del suolo e avviato un processo di desertificazione. Sono questi i motivi per cui numerose specie animali e vegetali sono in pericolo di estinzione. L'estrazione mineraria è soprattutto svolta da società straniere; si estraggono soprattutto ilmenite e nickel . L'esportazione tessile e di abbigliamento è rivolta soprattutto agli Stati Uniti e ai mercati europei, e avviene rispettivamente nel contesto degli accordi African Growth and Opportunity Act e Everything But Arms . Sono stati recentemente scoperti grandi giacimenti di petrolio, risorsa questa che potrebbe avere un ruolo chiave nella crescita economica dell'isola africana [6] ; la produzione industriale è comunque in forte ascesa, infatti nel 2017 è cresciuta del 4.8% [23] .

Servizi e turismo

Nosy Iranja è una delle mete del turismo internazionale in Madagascar
Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Turismo in Madagascar .

Il mercato di telefonia mobile è già liberalizzato e altamente competitivo. In Madagascar vengono pubblicati tre quotidiani in lingua francese. Come nella maggior parte dei Paesi africani i media radiotelevisivi costituiscono il principale mezzo di diffusione delle informazioni, soprattutto nelle aree rurali.

Grande risorsa dell'isola ancora non pienamente sfruttata è il turismo, che negli anni 90 ha incoraggiato tante migliaia di visitatori e alla fine degli anni 2000 è diminuito con l'instabilità politica. Il settore è però da pochi anni in forte crescita: nel 2016 sono sbarcati nell'isola africana 293 000 turisti con un incremento del 20% rispetto al 2015. Per il 2017, invece, il paese ha l'obiettivo di raggiungere i 366 000 visitatori, mentre per il 2018 le stime governative prevedono di raggiungere i 500 000 turisti annui [24] .

Trasporti

Stazione di Fianarantsoa , capolinea della Fianarantsoa-Côte Est (FCE)
Aeroporto di Antananarivo-Ivato , principale struttura aeroportuale del Madagascar
Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Trasporti in Madagascar .

In Madagascar esistono quattro linee ferroviarie principali, con complessivi 854 km di strada ferrata. [25] La manutenzione della rete è carente e gli inconvenienti all'ordine del giorno. Su varie tratte ferroviarie dismesse si incontrano bancarelle e molti seguono il percorso ferroviario a piedi.

Le arterie stradali principali sono le Routes Nationales (RN), solo in parte asfaltate, a doppio senso di marcia, che collegano la gran parte delle città del paese. [26]

Il mezzo di trasporto più comune è il taxi-brousse , pullmino con una capienza di 15 persone circa, che copre grandi e medie distanze. In caso di lunghi viaggi, è auspicabile la prenotazione del posto, importante per gli autisti, che aspettano che la vettura sia al completo prima di partire. Sono, in ogni caso, piuttosto radi e hanno orari molto flessibili.

Nelle grandi città si trovano anche taxi privati, in genere troppo costosi per la gran parte della popolazione, ma di gran lunga accessibili ai turisti, nonché i taxi-be, letteralmente "grandi taxi", simili ai taxi-brousse ma con percorrenza interna alla città. Una forma di trasporto urbano molto caratteristica è rappresentata dai pousse-pousse , veicoli a due ruote a trazione umana simili ai risciò , introdotti nell'isola all'inizio del XX secolo dai cinesi, che lo usavano per il trasporto di materiale nella costruzione di ferrovie. [27]

Il trasporto aereo può contare su una rete di 84 aeroporti (2010), di cui 27 con pista in asfalto e 57 non asfaltata. [25] La principale struttura aeroportuale del paese è l' Aeroporto di Antananarivo-Ivato , hub per la compagnia di bandiera Air Madagascar .

Ambiente

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Aree naturali protette in Madagascar .

«Che ammirevole paese il Madagascar! Meriterebbe da solo non un osservatore ambulante, ma delle accademie intere. È nel Madagascar che, posso annunziarlo ai naturalisti, si trova per loro la terra promessa. È là che la natura sembra essersi ritirata come in un santuario particolare, per lavorarvi su modelli diversi da quelli di cui si è servita altrove; le forme più insolite e più meravigliose vi si incontrano ad ogni passo.»

( Philibert Commerson , 1771 )

Il Madagascar e le Seychelles sono frammenti dell'antico supercontinente di Gondwana . Quando il Gondwana iniziò a frantumarsi (circa 160 milioni di anni fa) il Madagascar si separò prima dall'Africa e solo dopo dall'India (89 milioni di anni fa). Questo isolamento ha fatto del Madagascar quello che alcuni biogeografi chiamano l'"ottavo continente". Sull'isola mancano quasi completamente le specie animali tipiche dell'Africa continentale; molte sono le specie sia animali che vegetali endemiche . La protezione dell'eccezionale biodiversità dell'isola è uno degli obiettivi di primaria importanza perseguiti dal WWF .

Ecoregioni

Il WWF distingue in Madagascar le seguenti ecoregioni terrestri : [28]

Flora

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Flora del Madagascar .
Il Pachypodium ("piede di elefante") viene detto " baobab bonsai "

Fra le specie vegetali, otto famiglie di angiosperme sono endemiche del Madagascar: Asteropeiaceae , Didymelaceae , Didiereaceae , Kaliphoraceae , Melanophyllaceae , Physenaceae , Sarcolaenaceae e Sphaerosepalaceae . Si trovano sull'isola circa 170 specie di palme, tra cui la palma rafia ( Raphia farinifera ); una delle specie più tipiche dell'isola, la cosiddetta palma del viaggiatore ( Ravenala madagascariensis ) appartiene in realtà alla famiglia delle Strelitziaceae . Vi sono inoltre numerose specie di felci e bambù ; un migliaio di specie di orchidea (tra cui quella da cui si ricava la vaniglia), molte piante carnivore , tra cui la Nepenthes madagascariensis (un tempo diffuse su tutta l'isola, ora circoscritte alla zona di Tolagnaro ) e le agavi da cui si ricava una fibra nota come sisal , usata per la realizzazione di imballaggi biodegradabili . Delle otto specie di baobab note, ben sei sono endemiche del Madagascar. Infine sono talvolta chiamati "baobab bonsai " (pur non avendo alcun legame di parentela con i baobab) i curiosi Pachypodium , di poche decine di centimetri d'altezza, con tronco e rami tozzi, e di diametro relativamente largo.

Fauna

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Fauna del Madagascar .
Un camaleonte nella Riserva naturale di Berenty

Tutte le specie di lemuri esistenti vivono in Madagascar o nelle isole vicine, così come i due terzi delle specie note di camaleonti e numerose specie di tartarughe e di gechi . I mammiferi tipici dell'isola includono anche un roditore gigante, il votsotsa ( Hypogeomys antimena ), una famiglia di insettivori, i tenrec , cinque specie di mangusta, tra cui la celebre mangusta dalla coda cerchiata ( Galidia elegans ), e altre specie di carnivori come il fossa ( Cryptoprocta ferox ) e il fanaloka ( Fossa fossana ). Gli studi del DNA hanno mostrato come gran parte delle specie del Madagascar siano discendenti di antenati comuni giunti dall'Africa [ senza fonte ] . L'antenato comune dei lemuri sembra essere arrivato sull'isola 62 milioni di anni fa; quello delle otto specie di carnivori endemiche dell'isola sarebbe invece arrivato fra 18 e 24 milioni di anni fa [ senza fonte ] .

Numerose specie endemiche si sono estinte in tempi relativamente recenti; molte di esse scomparvero in un periodo che corrisponde alla prima colonizzazione da parte dell'uomo, intorno a 2000 anni fa. Si trovavano sull'isola, tra l'altro, un ippopotamo pigmeo, un lemure gigante, o " Megaladapis ", (delle dimensioni di un gorilla ), un fossa delle dimensioni di un leopardo , un "uccello elefante" ( Aepyornis maximus ) simile allo struzzo e una tartaruga gigante.

Fra le altre specie animali presenti sull'isola si possono citare i coccodrilli e sessanta specie di serpenti (nessuno dei quali pericoloso per l'uomo), tra cui tre specie diverse di boa . Anche i fondali marini sono ricchi di pesci, coralli e piante marine, sia al sud (soprattutto nella barriera corallina a sudovest, fra Anakao e Morombe ) che al nord (nella zona di Nosy Be ). Al largo dell'isola di Sainte-Marie transitano stagionalmente le balene .

Arte

Musica

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Musica malgascia .

La musica malgascia risente del sincretismo e del multiculturalismo del Madagascar; vi si riconoscono elementi provenienti dalla tradizione francese , araba e africana (specialmente sudafricana , keniota , congolese ).

Sport

Lo sport tradizionale è la savika : una sorta di rodeo o corrida praticata con zebù . [29] [30] Tra gli sport più popolari in Madagascar il rugby ha una buona diffusione. Sport piuttosto diffusi tra la popolazione sono anche il basket e la pétanque (eredità della presenza francese sull'isola). Il calcio è molto popolare; la nazionale di calcio il 16 ottobre 2018 si è qualificata per la prima volta alle fasi finali della Coppa d'Africa 2019 battendo ad Antananarivo la Guinea Equatoriale [31] .

Tradizioni

Il solitario

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Solitario della Bastiglia .

È un gioco praticato da una sola persona, come dice la parola stessa, ed ha origini sconosciute: viene utilizzata una ruota di legno con 36 buche contenenti delle sfere fatte di vari minerali colorati. Si inizia togliendo la sfera centrale e si gioca poi, come nella dama, "mangiando" le altre biglie saltandole in tutte le direzioni. Lo scopo del gioco è quello di rimanere con una sola biglia.

La lotta malgascia

La lotta malgascia si pratica essenzialmente nei villaggi costieri. Ad Analavava , a nord ovest del Madagascar, la calma domenicale viene interrotta dal " Moraingy " (nome appunto di questa lotta). I villaggi si incontrano in una piazza dove si forma un cerchio e si sfidano gli avversari di un villaggio contro l'altro. Lo sfidante passeggia attorno al cerchio lanciando sguardi di sfida finché trova qualcuno che accetta, anche se non sempre. Questo tipo di lotta richiede agilità e rapidità di movimenti ed è accompagnata da suoni, canti e dalle urla degli spettatori che incitano i giovani (e anche i meno giovani) che si scontrano dimostrando la propria forza e virilità. In passato si praticava questa lotta per allenarsi alle battaglie. Assistendo a questa lotta si nota come molti mastichino in continuazione le foglie del kat (una pianta eccitante che aiuta a non sentire il dolore). Anche ragazzini molto giovani partecipano alla lotta sfidandosi tra di loro.

Mpanandro - Vintana

Il Mpanandro (il divino) è anch'esso una persona molto importante nel villaggio perché ha il ruolo di astrologo e ha la conoscenza del "Vintana" dove il fato è ordinato dalla posizione della luna il sole e le stelle, ogni istante ha diversi valori di forza attiva o passiva e le posizioni sono differenti come livello di forze: l'est è superiore all'ovest e il nord è superiore al sud. Il nord est è quindi considerata la posizione migliore. Le persone costruiscono le case in asse Nord-Sud e riservano un angolo a nordest per la preghiera. Gli ospiti sono fatti sedere in posizione del lato nord e la cucina è a sud. Il Mpanandro viene consultato per determinare quale sia il migliore giorno di buon auspicio per celebrazioni quali un matrimonio o una riesumazione e anche attività quali un viaggio, il lavoro, un incontro. Un metodo utilizzato per predire il futuro è il sikidy , il quale consiste nella divinazione e consulto con gli antenati tramite dei semi di fano ( Piptadenia crysostachis ), tsiafakomby ( Coesalpina separiaes ), kili ( Tamarindus indica ), mais e fagioli. Gli mpisikidy sono coloro che sanno interpretare questi semi ponendosi seduti con una stuoia nell'angolo nordest della casa di fronte a una pietra sacra.

Famadihana

Il legame tra vivi e morti è sottolineato da un'usanza, praticata soprattutto dai Merina e dai Betsileo , detta famadihana (riesumazione) dove il cadavere del morto (o meglio quello che ne resta) viene riportato alla luce per essere riavvolto in un nuovo sudario e per essere portato in giro per potersi rendere conto direttamente dei cambiamenti avvenuti dopo la sua morte. È una cerimonia molto costosa a causa della gran festa che ne consegue che può durare anche diversi giorni e per gli invitati che sono numericamente tanti. Questo è un momento di comunione con l'antenato che così viene celebrato, e questo in cambio protegge la famiglia. È considerata una grave offesa per il defunto rimandare il famadihana se la famiglia è in grado di affrontarne le spese. La cerimonia avviene durante l'inverno australe, tra luglio e settembre e generalmente dopo circa 3-5 anni (ma anche fino a 10) nei quali la famiglia del defunto ha il tempo per preparare la festa. Sebbene non è solito eseguire il Famadihana al di fuori delle zone degli altopiani centrali dei Merina e Betsileo è comunque comune a tutto il popolo Malgascio un grande rispetto per la morte e per la forza e autorità che hanno gli antenati.

Cucina

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Cucina malgascia .

La cucina malgascia riflette l'influenza della cucina del sud-est asiatico, africana, indiana, cinese ed europea, portate dai migranti sull'isola. I primi abitanti dell'isola provenivano dal Borneo e arrivarono tra il 100 e il 500 dC Alimento principale è il riso, che viene mangiato praticamente in tutti i pasti del giorno, spesso accompagnato con pollo, pesce o carne di zebù. Il Romazava è senza dubbio il piatto tipico: è un tipo di ragù fatto con foglie verdi chiamate Brèdes Mafana con un gusto piccante. Il piatto viene accompagnato da carne di manzo cotta a lungo; altro piatto tipico è il Ravitoto, foglie di manioca preparate con carne di maiale o zebù; il pesce viene mangiato in tutti i tipi, come anguille, gamberoni o granchi; per i dolci si segnalano le crepes, di chiara discendenza francese.

Note

  1. ^ ( EN ) Population growth rate , su CIA World Factbook . URL consultato il 28 febbraio 2013 ( archiviato il 25 giugno 2014) .
  2. ^ Copia archiviata , su cia.gov . URL consultato il 23 ottobre 2009 ( archiviato il 25 agosto 2011) .
  3. ^ | Human Development Reports , su hdr.undp.org . URL consultato il 14 ottobre 2018 (archiviato dall' url originale il 14 settembre 2018) .
  4. ^ Madagascar - Total fertility rate - Historical Data Graphs per Year , su indexmundi.com . URL consultato il 14 ottobre 2018 ( archiviato il 15 ottobre 2018) .
  5. ^ Bruno Migliorini et al. ,Scheda sul lemma "Madagascar" , in Dizionario d'ortografia e di pronunzia , Rai Eri, 2007, ISBN 978-88-397-1478-7 .
  6. ^ a b Copia archiviata , su wildmadagascar.org . URL consultato il 6 marzo 2017 ( archiviato il 15 aprile 2017) .
  7. ^ a b c d ( FR ) 1947, un massacre colonial français à Madagascar , su L'Humanité , 29 marzo 2017. URL consultato il 1º gennaio 2020 ( archiviato il 1º gennaio 2020) .
  8. ^ Biagi 1995 vol. III , p. 951 .
  9. ^ Second World War Books: History Page , su stonebooks.com . URL consultato il 24 maggio 2020 ( archiviato il 5 gennaio 2017) .
  10. ^ ( DE ) Rivolta indipendentista malgascia - Universität Hamburg Archiviato il 1º gennaio 2007 in Internet Archive .
  11. ^ Madagascar, il presidente si è dimesso Il potere nelle mani dei militari - Corriere della Sera , su corriere.it . URL consultato il 17 marzo 2009 ( archiviato il 20 marzo 2009) .
  12. ^ Arrêt n°10 de la Cour électorale spéciale portant proclamation des résultats définitifs du second tour de l'élection présidentielle du 20 décembre 2013 , su hcc.gov.mg . URL consultato il 12 febbraio 2015 ( archiviato il 4 febbraio 2015) .
  13. ^ Copia archiviata , su madacherie.com . URL consultato il 6 marzo 2017 ( archiviato il 6 marzo 2017) .
  14. ^ ( EN ) Popolazione del Madagascar in tempo reale Archiviato il 15 luglio 2016 in Internet Archive .
  15. ^ Madagascar , su tlfq.ulaval.ca . URL consultato il 15 maggio 2009 ( archiviato il 13 novembre 2007) .
  16. ^ Copia archiviata , su indexmundi.com . URL consultato il 2 giugno 2018 ( archiviato il 13 giugno 2018) .
  17. ^ Copia archiviata , su indexmundi.com . URL consultato il 2 giugno 2018 ( archiviato il 13 giugno 2018) .
  18. ^ Copia archiviata , su agenzianova.com . URL consultato il 28 marzo 2017 ( archiviato il 28 marzo 2017) .
  19. ^ Copia archiviata , su indexmundi.com . URL consultato il 2 giugno 2018 ( archiviato il 13 giugno 2018) .
  20. ^ Copia archiviata , su indexmundi.com . URL consultato il 2 giugno 2018 ( archiviato il 13 giugno 2018) .
  21. ^ Copia archiviata , su indexmundi.com . URL consultato il 2 giugno 2018 ( archiviato il 13 giugno 2018) .
  22. ^ Copia archiviata , su indexmundi.com . URL consultato il 2 giugno 2018 ( archiviato il 13 giugno 2018) .
  23. ^ Copia archiviata , su indexmundi.com . URL consultato il 15 giugno 2018 ( archiviato il 16 giugno 2018) .
  24. ^ Copia archiviata , su guidaviaggi.it . URL consultato il 6 marzo 2017 ( archiviato il 2 marzo 2017) .
  25. ^ a b Transports in Madagascar , su CIA World Factbook aggiornato al 2010 . URL consultato il 10 giugno 2011 ( archiviato il 25 agosto 2011) .
  26. ^ Routes nationales ( PDF ), in Lexique de Madagascar , Suisse, DILAG Dienstleistungs-Institut AG, 2008.
  27. ^ I pousse pousse di Antsirabe , su http://www.viaggi-madagascar.com . URL consultato il 18 settembre 2015 (archiviato dall' url originale il 3 giugno 2011) .
  28. ^ ( EN ) Terrestrial Ecoregions , su worldwildlife.org , World Wildlife Fund. URL consultato il 28 gennaio 2017 ( archiviato il 9 dicembre 2016) .
  29. ^ corrida malgascia , su viaggiomadagascar.it . URL consultato il 23 aprile 2015 ( archiviato il 19 novembre 2014) .
  30. ^ in lingua inglese , su odditycentral.com . URL consultato il 23 aprile 2015 ( archiviato il 5 luglio 2015) .
  31. ^ Copia archiviata , su sport.sky.it . URL consultato il 16 ottobre 2018 ( archiviato il 17 ottobre 2018) .

Bibliografia

  • Enzo Biagi, La seconda guerra mondiale, vol. III , Fabbri Editori, 1995, ISBN non esistente.

Sitografia

Second World War Books: History Page

Voci correlate

Altri progetti

Collegamenti esterni

Controllo di autorità VIAF ( EN ) 255285986 · ISNI ( EN ) 0000 0001 2298 4950 · LCCN ( EN ) n80087494 · GND ( DE ) 4074425-5 · BNF ( FR ) cb119323881 (data) · NDL ( EN , JA ) 00567376 · WorldCat Identities ( EN ) lccn-n80087494