Fórmula 1 Grande Prémio

Da Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para a navegação Ir para a pesquisa

1leftarrow blue.svg Entrada principal: Fórmula 1 .

O tiro dos carros na primeira fila, no início de 1965 Dutch Grand Prix .

A Fórmula 1 Grand Prix é uma velocidade de circuito de corrida de carro para carros de Fórmula 1 válidos para a Fórmula 1 Campeonato Mundial . [1]

Ele ocupa o espaço de todo um fim de semana , precedido por uma conferência de imprensa na quinta-feira , duas sessões de treinos livres na sexta-feira , a terceira sessão e qualificação para decidir as posições grid de largada no sábado a concluir com a domingo corrida. O esquema, também comum nas corridas de outras séries administrados pela FIA , é projetado a favor da televisão público e aqueles fisicamente presente no circuito . [1] [2]

A conferência de imprensa e sessões gratuitas

Alguns pilotos de Fórmula 1 na conferência de imprensa na quinta-feira antes do 2012 Italian Grand Prix

O Grand Prix começa na quinta-feira com uma conferência de imprensa, com a presença de alguns motoristas. [3] A sessão de treinos livres dupla tem lugar na sexta-feira, em dois momentos distintos, o primeiro na parte da manhã ea segunda, à tarde, para permitir que os drivers para conhecer o circuito. [4] O Grande Prémio do Mónaco é uma exceção, onde a conferência de imprensa tem lugar na quarta-feira e as duas primeiras sessões de treinos livres acontecem na quinta-feira [1] ; a partir de2021 , a duração destas sessões é de 60 minutos. [5] Apenas no 2003 temporada, os testes na sexta-feira foram qualificação rodadas úteis para os testes reais no sábado. [6]

Até a temporada de 2006 , os sete menos competitivas equipes no lote - com base nas anteriores Championship Construtores classificação - poderia campo um terceiro piloto nessas sessões; desde2007 isso não é mais possível, como um terceiro piloto só pode participar na primeira sessão na sexta-feira apenas para substituir um piloto regular que, então, tomar parte na corrida. [1] ; a terceira sessão acontece no sábado, geralmente três horas antes da qualificação. Enquanto que anteriormente levou 45 minutos, que agora toma 60. [1]

Quaisquer infracções cometidas pelos condutores durante as sessões podem resultar em penalidades para ser servido no grid de largada, determinada pela direcção de corrida e pela Federação com base na gravidade da incorreção. [7]

Qualificação

A sessão de qualificação oficial, projetado para determinar a grelha de partida, é normalmente realizada na tarde de sábado, exceto para a prática noturna. [1] [8]

O número de carros

Desde o2010 temporada, o número máximo de carros participantes é de 26, um aumento de duas unidades em relação ao passado. [1] Historicamente , o número de concorrentes excedido - muitas vezes até mesmo em grande parte - o limite atual, embora variou de acordo com a faixa: por exemplo, por muitos anos, apenas 20 carros teve lugar no circuito de Monte Carlo, devido à estreiteza do acompanhar. [1]

A era da pré-qualificações

De 1950 até o início dos anos 1990 , cada equipe tinha que participar da sessão de qualificação dupla realizada na sexta-feira e sábado à tarde [1] ; os carros que obtiveram os piores momentos foram excluídos da corrida, uma estatística indicada com o DNQ abreviatura ( «não se classificou», ou «não qualificado»). [9] Em alguns casos, os carros inscritos acabou por ser 39, um número considerado perigoso: a pré-qualificação na sexta-feira foi assim introduzida, reservada para as equipes com os piores resultados do último semestre. [1]

Os quatro carros mais rápidos foram admitidos para a qualificação no sábado, em que 30 pilotos competiram para os 26 lugares disponíveis. [1] Carros excluídos do pré-qualificação foram indicados pela abreviatura NQ ( 'não pré-qualificar'). [1]

A regra de 107% (1996-2002 e 2011-present)

Quando os carros entraram no campeonato desceu a situação tornou-se um pouco mais estável e já não era necessário excluir um número significativo de carros lentos da corrida. A partir da temporada 1993 um limite foi definido para o número de voltas (doze, incluindo a volta de lançamento e do colo de retorno no pit lane) que um carro tinha que completar durante a sessão oficial de qualificação para obter o melhor tempo [10] , não não eram mais pré-qualificação, mesmo que houvesse, por vezes, exclusões da corrida dos últimos carros classificados nos testes oficiais, que em 1995 desapareceram completamente.

A regra de 107% foi introduzido em 1996 para evitar a falta de competitividade dessas equipes que se mostraram desempenho inferior durante o campeonato. Se um carro foi além de 107% do tempo obtido pelo carro na pole position, também subjacente à decisão discricionária do comissário, que o carro não participou na corrida. No final da temporada de 2002 , quando a FIA estabelecido por regulamento que não mais de 10 equipes (e um total de 20 entradas) teve de competir na corrida, esta regra caducado automaticamente. O retorno de 107% em2011 depende dos resultados do ano anterior das novas equipes, como eles provaram muito lento, tanto a qualificação e corrida, causando problemas para os carros mais rápidos do Grand Prix. A primeira vítima é HRT com ambos os pilotos extirpada da o GP da Austrália , o primeiro evento do ano. Também no ano seguinte a HRT vai ter que pular Melbourne pela mesma regra.

O "passeio seco" (2003-2005)

Na temporada de 2003 , em uma tentativa de despertar o interesse do público, os testes são distribuídos nos testes da tarde, às sextas-feiras, com apenas uma volta rápida para cada driver com base na classificação do GP anterior (do primeiro ao último classificado ), com a descarga do tanque e no sábado com outro colo seco com base nas posições do dia anterior, com o carregamento da primeira parte da corrida, tudo dentro de uma hora. Na temporada de 2004 a regra foi mantida, mas concentrada em um único dia, sábado, às 12:00 o primeiro e às 14:00 o segundo.

Na temporada de 2005 , por outro lado, as duas sessões de uma única volta de uma hora foram mantidas, na tarde de sábado na qualificação set-up com tanques descarregadas e, pela primeira vez no domingo, em set-up de corrida com o tanque cheio em 12:00 (2 horas antes do início da corrida). Ele não deve ser subestimada que a composição da grelha foi feita pela soma dos tempos, e esta decisão desagradou o público e os motoristas, contribuindo, de acordo com muitos observadores, a enterrar o espetáculo e interesse.

A FIA, em uma tentativa de remediar esta situação, correu de volta para as fileiras a partir do Grande Prêmio da Europa de 2005 , em sétimo lugar no campeonato mundial, reintroduzindo a única volta, mas em um ambiente de corrida, carregado com a primeira parte da corrida atual e com apenas uma sessão de treinos única, a ordem de entrada na pista é o de chegada da corrida anterior revertida. Para a temporada de 2006 da volta rápida foi definitivamente posta de lado e o sistema de knock-out ainda em vigor foi estabelecido.

Knock-out (2006-2015 e chinês Grand Prix 2016-presente)

O sistema knock-out consiste de três fases com duração de 18, 15 e 12 minutos cada (no passado um pouco diferente, com as três fases durando respectivamente 20, 15 e 10 minutos, em seguida, Q1 e Q3 diferenciadas por 2 minutos. Q1 e Q2 eram 15 minutos cada, Q3 20, enquanto em 2007 as sessões são todos os 15 minutos). Na primeira, a sessão foi interrompida imediatamente no final: se os carros estavam envolvidos em uma volta válida, no final do último minuto da sessão de seu tempo não foi considerado válido. Subsequentemente, o modo de qualificação foi alterada permitindo um carro envolvido em uma volta rápida durante a exibição da bandeira quadriculada para completar o colo e validar o tempo obtido.

Os 10 melhores carros de participar da última fase (Q3), os outros 10 sair no final das duas primeiras fases: cinco no Q1 e outros cinco no Q2. Tomando uma situação com 20 carros como um exemplo, na primeira fase todos os carros entrar na pista simultaneamente durante uma sessão de qualificação de 18 minutos. Somente as contagens de tempo mais rápido, independentemente do número de voltas que os vários drivers de completar. Os cinco carros mais lentos não participam na segunda fase e são colocados no grid de largada nos últimos cinco posições (de 16 a 20) com base nos tempos obtidos, que são reposto e não são válidas na segunda fase. Nesta fase 15 carros entrar na pista simultaneamente para outra sessão, com duração de 15 minutos. Eventualmente, os últimos cinco carros são eliminados da terceira fase e classificado no grid de posições 11 a 15 com base no tempo obtido.

Os tempos obtidos pelos dez restantes carros são repostos e não são válidos na terceira e última fase de qualificação, onde eles são classificados a partir da posição 1 a 10 com base nos novos tempos obtidos. Reabastecimento nos 12 minutos finais da prática é permitida apenas na condição de que as voltas completadas são todos, pelo menos, dentro de 110% do seu melhor tempo; no caso de voltas iniciados a partir do pit lane que prevêem um retorno imediato para o pit lane, é permitido não mais do que 120% do melhor tempo do motorista. Qualquer reabastecimento que cai para além dos termos de 110% do melhor tempo, na prática não é permitida (pelo menos até 2009 ). O carro e o motorista que obtém o melhor tempo nesta última sessão recebe o chamado Pole position . Em apenas dois2016 Grands Prix, um sistema diferente chamado a cadeira quente foi introduzido [11] .

qualificações Sprint

Na2.021 temporada, qualificação Sprint é introduzido em três Grand Prix, um formato de qualificação em que todos os drivers de uma corrida de 100 km em vez do melhor tempo. Estas qualificações atribuir pontos de Campeonato do Mundo para os três primeiros na linha de chegada (3 com o primeiro, 2 para o segundo e 1 para o terceiro) e determinar a grelha de partida para a corrida de domingo. O grid de largada da qualificação Sprint em vez disso é determinado pelas qualificações realizadas na sexta-feira com o formato clássico com Q1, Q2 e Q3. O vencedor da qualificação sprint, para fins estatísticos, é concedido a pole position. [12]

parque fechado

Desde 2003, além da introdução do colo seco na fase de qualificação, o parque fechado foi estabelecido.

Após pesagem no final de cada sessão de qualificação, gratuitamente ou oficial, as equipes são obrigadas a parar os carros em uma seção específica do pit lane, escolhido pela FIA, e conhecido como "parco fermé" (Parque Fechado em francês ); onde a partir daquele momento ninguém pode trabalhar no carro (apenas substituições de componentes menores, como velas, amortecedores, freios, cubos e assim por diante), exceto para manutenção de rotina, até que seja liberado a partir do parque para a corrida do próximo manhã.

Se uma equipe, por qualquer motivo, deve substituir o motor entre o parque fechado e o início do grid, o carro e motorista são movidos para baixo por 10 ou mais posições, cinco se a caixa de velocidades é substituído; se, pelo contrário, são feitas alterações ao chassis ou ajustes à suspensão considerados significativos pela Federação, o carro eo motorista vai começar a partir do pit lane.

Aquecimento

Outra mudança regulatória em 2003 e 2004 estações é a eliminação do warm-up. Até 2002, nas manhãs de domingo normalmente às 9h30, houve uma sessão de treinos livres de meia hora, chamado warm-up, que foi usado para aquecer os carros, testar as configurações de corrida e gravar os tempos-aquecimento. Estes também foram referidos como treinos livres 4, ou mesmo quinta sessão prática.

Concorrência

O início de uma prova de Fórmula 1 é geralmente considerado o momento mais fascinante de corrida, e em alguns aspectos, também o mais arriscados.

A corrida de Fórmula 1 real é sempre realizada no domingo à tarde, geralmente às 3:10 pm, hora local (a partir de2018 ), além da de Singapura a partir de 2008, que tem lugar às 8:00 pm, hora local, Sakhir a partir de 2014 às 18: 00 e Abu Dhabi a partir de 2009 a partir das 17:00. [13]

A duração da prova não pode exceder duas horas e a partir de 2012 em caso de chuva todo o evento não pode exceder quatro horas. No caso em que não é possível terminar a corrida antes do fim do prazo, a bandeira quadriculada será mostrada no final da volta seguinte àquele durante o qual a contagem regressiva de duas horas terminou, sem em qualquer caso superior o número de voltas programadas no início.. Se a corrida for suspensa , a contagem regressiva é interrompida, mas é reiniciada no reinício.

procedimento de partida

Após o procedimento para a liberação dos carros a partir de regime no Parque Fechado, a cerimônia do hino da nação que hospeda a corrida desempenho ocorre. Este é sempre realizada ao vivo e, em alguns casos (acima de tudo, oUnited States Grand Prix ), também é cantada. O pit lane abre 30 minutos antes do início da corrida e os carros podem ir para a pista com os motoristas que podem conduzir à sua vontade no circuito. A única "obrigação" que eles têm é a atrasar a sua entrada no grid de largada, tanto quanto possível (nesse caso, eles terão que ficar parado), re-entrar no pit lane tantas vezes quantas quiserem. Na prática, este sistema realmente substitui o antigo sessão de warm up na manhã de domingo. A partir deste intervalo de tempo as 10 luzes começam entrar em ação, posicionado acima da linha de chegada.

Os dez começando luzes da corrida de Fórmula Um: as cinco luzes vermelhas, depois de acender-se um a um, sair todos juntos para o início, enquanto as duas luzes verdes venha para o lap-aquecimento e as três luzes alaranjadas são sempre piscando a de flash

Em qualquer caso, os condutores devem estar em seus carros e no lugar que lhes é atribuído no grid 15 minutos antes do início da corrida (em 14:55, em geral, com 5 luzes vermelhas no), quando a única luz na saída do pit lane de verde para vermelho. Se um carro permanecem dentro do pit lane por qualquer motivo, após 15 minutos, o motorista deve começar a partir daí. Uma vez que todos os carros se instalaram no grid, a mecânica pode sair para a pista para colocar os toques finais em e os motoristas podem sair do cockpit.

10 minutos do início da corrida (4 luzes) no grid de largada única mecânicos, equipe e raça diretores e os motoristas devem permanecer. A equipe mantém os pneus aquecidos até o último momento em suportes especiais (os chamados "trens de pneus") fora do carro, mas eles devem ser fixados ao carro 5 minutos antes (às 15:05 em geral) (3 luzes) partida. Por esta altura os pilotos devem ter todos voltaram ao seu cockpit.

Dois minutos antes do início (duas luzes) os motores estão ligados e um minuto antes (1 luz) todo o pessoal deve estar fora da pista e também pode ocupar o espaço verde em frente das arquibancadas.

Um conjunto de pneus colocados nos suportes: você pode ver o pneu aquecimento tampas, que deve ser fixado com o carro pelo menos cinco minutos antes da partida

Duas luzes verdes vêm em que significam o início da volta de apresentação, também chamado de volta de formação ou de colo de parada, volta de reconhecimento ou lap-aquecimento, durante o qual os carros devem viajar à velocidade controlada do pit lane na forma da regulamentação (ou seja, não a mais do que 60/80/100/120 km / h), mantendo a mesma ordem e sem ultrapassagem uns aos outros, o que é permitido em motociclismo. No início desta volta, se um motorista permanece estacionário na sua posição no grid e o resto dos carros passar por ele, o motorista começa a partir do pit lane, auxiliado por seus mecânicos que se movem seu carro no pit lane. Os carros fazer uma volta da pista, geralmente em ziguezague de lado a lado para aquecer os pneus e no final eles reformar o grid de largada.

Para os interesses estratégicos ou devido a muitas penalidades, as equipes às vezes pode optar por iniciar a partir do pit lane, saindo depois de todos os carros cruzaram a linha de chegada e um sinal verde especial colocado em sua saída, fazendo uso de novos componentes, mas usando o mesmo pneus como na qualificação.

O início de pé é anunciada por cinco sinais vermelhos, controlados pelo diretor de prova, adotada na campanha de 1996 e até 2000, com luzes de halogéneo, e de 2001 a hoje, com luzes LED. Estas luzes iluminam um por um, da esquerda para a direita, em intervalos de um segundo cada, e desligar simultaneamente depois de um intervalo que pode variar de um mínimo de quatro e máximo de sete segundos. Quando todas as luzes estão fora, a corrida pode começar. No passado, a luz vermelha veio, em seguida, o verde após um intervalo variável entre 4 e 7 segundos. Se este procedimento fosse interrompida por qualquer razão (geralmente um carro parado no grid quando o piloto sinaliza o problema com um clássico balançando dos braços), quando todas as cinco luzes vermelhas estão ligados, as luzes laranja intermitente.. Depois de alguns segundos, as luzes vermelhas e laranja desligar e as duas luzes verdes ligar novamente para a repetição do procedimento, este tempo de duração variável, dependendo da gravidade do problema encontrado, e o início de uma nova volta de treinamento com a corrida encurtada por uma volta. Finalmente, se um carro se move fora da grade durante o encerramento simultâneo das luzes vermelhas, sofrerá uma penalidade para ser servido durante a corrida.

Duração, a distância e o carro de segurança

Ícone da lupa mgx2.svg Mesmo assunto em detalhes: Carro de segurança .

A Fórmula 1 carro de segurança é um carro especial que entra na pista em situações que são arriscados para a segurança dos motoristas, como um acidente ou condições meteorológicas proibitivos. Atualmente é fornecido pela Mercedes-Benz entre os Mercedes-AMG gama. Desde 2000, o piloto oficial do carro tem sido Bernd Mayländer .

O número de voltas a serem accionados deve ser o mínimo para se atingir a distância total de 305 km, com a única excepção de o GP da Mónaco , onde 260 km deve ser excedido para 78 voltas mantidos inalterados a partir do original 100 voltas completadas até 1967 (este distância foi uma exceção para todo o período em que pelo menos 500 km teve que ser coberto no Grand Prix). Em termos de tempo, a duração máxima é de duas horas, enquanto que a partir de 2012, o evento global (por conseguinte também incluindo quaisquer suspensões) não deve ser superior a quatro. Se ocorrer um acidente, com os carros ocupando uma parte da pista criando potenciais perigos, as bandeiras amarelas e, quando não for possível, o carro de segurança regime entrar em ação. Corridas de F1 são interrompidos com a bandeira vermelha, essencialmente, em dois casos: um em que há problemas de visibilidade ou aderência devido à chuva ou neblina, que de acidentes graves que causaram a presença de excesso de detritos na pista, danos a barreiras ou ferido; No entanto, enquanto esta prática foi comum no passado, hoje é muito mais raro, graças à introdução do carro de segurança que permite que os carros não parada enquanto as condições de corrida são restauradas depois de um acidente.

Carro de segurança virtual

O acidente dramático de Jules Bianchi , em 2014. Grande Prêmio do Japão , levou à introdução, a partir de2015 , um novo regime que garanta maior segurança no caso de perigos marcados com bandeiras amarelas duplas, mas para as quais a intervenção da segurança não é necessário . de carro; nesta fase, os condutores devem cobrir a seção da pista em causa dentro de um prazo estabelecido pela direcção de corrida, o início eo fim da seção correspondem aos pontos onde os painéis luminosos estão instalados. Antes da introdução deste sistema não havia uma obrigação geral de desaceleração, o que no entanto poderia levar a penalidades somente se naquele setor passaram mais rápido do que a última volta, sem bandeiras amarelas exibido.

O pit stop

Vista de um poço de paragem Fórmula 1: a operação envolve a mudança de pneus e (se permitido) reabastecimento, mas também pode ser utilizado para alterações de perfil de arco ou de outras pequenas reparações

Drivers normalmente fazem uma ou mais pit stops, em uma média ou dois, para trocar os pneus ou para fazer reparos no carro quando necessário. Historicamente, o reabastecimento foi introduzido em 1982 , proibidos de 1984 , reintroduziu novamente em 1994 e proibido no final da temporada de 2009 ; enquanto a mudança de pneus foi proibida na temporada de 2005 somente. Se houvesse duas proibições, os pilotos de Fórmula 1 nunca ir para os boxes durante a corrida, exceto para a aposentadoria devido a problemas técnicos.

A duração do pit stop varia de acordo com a conformação da estrada de acesso aos boxes, mas, em média, entre a entrada ea troca de pneus, é entre 20 e 25 segundos.

Durante o pit stop, o tempo de parada, referiu-se à distância normal dos outros carros, tornou-se ao longo do tempo uma estratégia crucial e saliente: se de fato um carro seguido outro, mas foi incapaz de ultrapassar, o motorista pode decidir antecipar ou retardar o pit stop (o chamado rebaixo ou sobrecorte) esperando para retomar a corrida por encontrar a pista livre e mostrando toda a sua capacidade de definir os mais rápidos tempos de viagem e ultrapassando o carro na frente enquanto ele também está envolvido no pit stop.

Os carros viajar uma média de 2 a 4 km por litro de combustível, dependendo dos circuitos. Durante um reabastecimento, os estábulos (mas também para os espectadores através de sobreposições) também foram notificados sobre a quantidade de combustível reabastecido e uma estimativa do número de voltas o carro vai ter que correr após essa operação. Durante a entrada para a pista do poço, uma linha branca indica o início do regime de velocidade controlada e o controlador é necessário para inserir este limitador uma vez que a linha foi cruzada, e é claro que isso também tem de ser feito durante a volta de reconhecimento. No pit lane do limite de velocidade, previamente ausente, está estruturado da seguinte forma:

  • 60 km / h (em todos os circuitos da cidade a partir de 2000 a continuar, mesmo com o limite em circuitos normais a 100 km / h entre 2009 a 2013)
  • 80 km / h (em um único teste, nas 1994-1995 estações, no teste e raça 1996-1999 em circuitos de rua, de 2000 a 2009 em todos os circuitos (excluindo os cidadãos) de teste e corrida, e novamente a partir de 2014 todos os circuitos, menos os cidadãos. prática e raça)
  • 100 km / h (na prática e raça, todos os circuitos, de 2009 a 2013, (circuitos de rua: 60 km / h)
  • 120 kmh (na corrida 1994-1999 (1994 e 1995 apenas na corrida, 1996-1999 também na prática) em todos os circuitos, excluindo os cidadãos, com um limite de 80 km / h)
Uma bomba especial para reabastecimento rápido durante a corrida, uma operação permitida na Fórmula 1 no período de dois anos 1982-1983 e novamente 1994-2009

Depois de ter parado, você vai encontrar uma outra linha branca na saída do pit lane; o piloto, depois de cruzar essa linha, pode ir a uma velocidade normal. Na saída do pit lane é também um sinal de trânsito que obriga os motoristas a parar quando as luzes vermelhas estão acesas. O não cumprimento das indicações dadas por essas luzes vermelhas resultaria nos mordomos sendo desclassificado da corrida. Este semáforo, primeiro com lâmpadas incandescentes, em seguida, com LEDs, é composto por:

  • 2 luzes vermelhas piscando intermitentemente ou de forma constante: eles forçam o piloto a parar;
  • 1 luz verde constante: indica ao motorista que ele pode sair do pit lane;
  • 3 luzes azuis: eles sinalizam ao motorista que outros carros estão chegando no acabamento reto, geralmente acompanhada de uma bandeira azul.

Além disso, na primeira parte da pista imediatamente após a saída do poço de pista, uma outra linha branca contínua é colocada sobre o asfalto que corre paralela à pista, semelhante ao sinal de paragem asfaltada. O controlador é necessário para não tocar ou atravessar esta linha com os pneus, especialmente para evitar qualquer passeios irregulares na pista (cortes de estrada e imprecisões tais como a danificar os outros concorrentes). Se ele fez, ele iria sofrer uma penalidade para ser servido durante a corrida, por exemplo através de uma unidade e pela primeira vez um stop and go.

Cerimónia do pódio, conferência de imprensa e verificações finais

No final da corrida, o primeiro, segundo e terceiro classificado, depois de ter completado a volta de honra , juntamente com os outros no circuito onde eles correm [14], estacionar os carros em uma determinada seção do parque fechado marcado no asfalto pelos números 1, 2 e 3. a prática, comum até a temporada de 2005, de reunir mecânicos e gerentes da equipe perto da última volta, no painel de controle do pit lane para cumprimentar o piloto vencedor, não é mais permitido desde que o temporada 2006. Em vez disso, é na seção especial do parque fechado, onde, dividido por uma barreira, os pilotos entrar nas celebrações rituais e parabéns.

Eles são, então, convocado para o pódio, que é sempre elevada e com uma reminiscência forma que de um hexágono [15] , onde eles subir os degraus que ocupam o lugar reservado para eles e começando com a ouvir os dois hinos nacionais de forma abreviada e gravado em disco., a da nacionalidade do piloto vencedor e que a nacionalidade da equipe vencedora, com exceção de alguns casos de vencedores mono-nacional [16] , enquanto as bandeiras dos motoristas de origem aparecem eletronicamente (a partir de 2013, desde antes e em Montecarlo até 2016 se levantam manualmente). No final, três representantes oficiais do governo , da nação anfitriã Automobile Club e do patrocinador da corrida (também personalidades passadas ou convidados especiais, ou até mesmo ex-personalidades F1) entregar os troféus reservados para o primeiro, segundo e terceiro lugar para o motoristas. e troféu de Construtores ao representante da equipe vencedora, que no Monte Carlo GP é o oposto, até a corrida de 2016, com um pódio que consiste nas etapas de arquibancada. No final no pódio os drivers comemorar juntos com seus mecânicos e o aglomerado na pista com uma garrafa de champanhe ; a única exceção à regra é o Bahrein e Abu Dhabi Grand Prix, onde esta é substituída por água de rosas por motivos religiosos. A partir do Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2012 , entrevistas com pilotos no pódio também foram introduzidas, conduzido por um ex-motorista ou outra personalidade ligada à Fórmula 1 circo. A partir de 2018 sejam realizadas imediatamente após a chegada, assim que os motoristas sair dos carros.

Os três pilotos finalmente ir para a sala de conferência onde a conferência de imprensa oficial é realizada e não responder a mais de duas ou três perguntas cada um em Inglês e em sua língua nativa (australianos e britânicos têm mais perguntas, porque a sua língua materna é o Inglês.). Todos os outros motoristas estacionar o seu automóvel no parque fechado e pode responder a perguntas dos jornalistas na parte de trás do paddock e perto dos estábulos somente após a conferência de imprensa oficial. Mecânica, designers e diretores técnicos não estão sujeitos a este tipo de restrição e pode ser entrevistado imediatamente após a corrida. Il direttore tecnico responsabile della scuderia [17] invece può indire una conferenza stampa ufficiale almeno un'ora dopo la fine della corsa.

A gara conclusa, gli specializzati della FIA eseguono i controlli sulle vetture in parco chiuso, esaminando eventuali irregolarità, e danno il via libera alle vetture regolari e la squalifica a quelle irregolari (solitamente e raramente).

Sistema di punteggio

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Sistema di punteggio della Formula 1 .

Il Campionato mondiale piloti e quello dei costruttori vengono decisi da un particolare sistema di punteggio, variato numerose volte nel corso degli anni. L'ultima modifica, se si esclude la presenza dei doppi punti all'ultima gara nel solo2014 , è avvenuta nel2019 , con l'introduzione di un punto addizionale al pilota che effettua il giro più veloce in gara, come già avvenuto dal1950 al1959 , ma solo se esso è classificato nei primi 10, ovvero a punti.

Ecco il sistema di punteggio attuale, in vigore dal 2019:

Posizione 10º Giro veloce
Punti 25 18 15 12 10 8 6 4 2 1 1

Tutti i piloti che hanno percorso almeno il 90% della distanza percorsa dal vincitore vengono classificati, ma se giunti oltre la decima posizione non ricevono nessun punto.

Se la gara, per qualche ragione, viene sospesa e non più ripartita prima di raggiungere il 75% della distanza totale (calcolata al rilevamento dell'ultimo passaggio sul traguardo) il punteggio viene dimezzato. Nel caso, invece, in cui la gara venga sospesa e non venga fatta ripartire quando il leader ha completato meno di due giri, non vengono attribuiti punti.

I punti vengono suddivisi ugualmente tra piloti e costruttori; per questi ultimi viene effettuata una sommatoria se i due piloti di una scuderia si classificano entrambi a punti e al termine della stagione, chi totalizza più punti viene dichiarato vincitore dei due campionati annuali piloti e costruttori.

Se due o più piloti o squadre ottengono lo stesso punteggio alla fine della stagione, viene dichiarato vincitore il pilota/la squadra che ha vinto più gran premi e nel caso di uguale numero di corse vinte tra due o più piloti/squadre, vince chi ha ottenuto il maggior numero di secondi posti e, in caso di ulteriore parità, di terzi posti, quarti, e così via. Nel caso non emerga un vincitore, la FIA decreterà il campione secondo un criterio appropriato da essa scelto (circostanza davvero rara).

Bandiere

Magnifying glass icon mgx2.svg Lo stesso argomento in dettaglio: Commissario di gara § Bandiere .

I commissari di gara sono muniti di un set di bandiere per far conoscere le loro decisioni ai piloti, posizionati in numerosi punti del circuito durante ogni corsa. Negli ultimi anni vengono utilizzati anche sistemi luminosi che forniscono informazioni ai piloti riproducendo le stesse bandiere digitalmente, adottati dalla stagione 2008. Ogni bandiera ha un significato diverso per ogni colore, la cui gradazione è specificata dalla FIA.

F1 yellow flag.svg F1 green flag.svg F1 red flag.svg F1 light blue flag.svg F1 white flag.svg Auto Racing Black.svg F1 chequered flag.svg F1 black and white diagonal flag.svg F1 black flag with orange circle.svg F1 yellow flag with red stripes.svg
Gialla Verde Rossa Blu Bianca Nera A scacchi Bianca e nera Nera e arancio Gialla e rossa

Luci di segnalazione

A partire dallastagione 2007 , oltre le consuete segnalazioni con le bandiere da parte dei commissari di pista, le vetture sono dotate di segnali interni posizionati sul volante, di colore giallo, rosso e blu. Lo scopo è quello di fornire maggiori e tempestive informazioni a quei piloti che non hanno avuto il tempo di vedere i segnali delle condizioni sulla pista. Le luci devono essere a LED ciascuna con un diametro minimo di 5 mm e posizionate nella visuale ottimale per il pilota.

Per dare alle squadre di soccorso una indicazione immediata della severità dell'incidente ogni vettura dovrà essere munita di una luce di emergenza direttamente connessa con un registratore di dati della FIA. La luce deve accendersi verso l'alto e mettersi nella parte superiore della cella di sopravvivenza a non più di 150 mm tra la linea centrale della vettura e la parte anteriore di apertura della cabina di guida e vicino all'interruttore neutro che deve essere azionato soltanto dal commissario di pista.

Penalità

Le penalità possono essere imposte al pilota per numerose scorrettezze, inclusa la partenza prematura, viaggiare senza il limitatore inserito nella pit lane , causare un incidente, ostruire la pista volutamente, o ignorare le bandiere di tutti i colori. Esistono vari tipi di penalità quando un pilota incorre nella violazione delle regole:

  • La reprimenda è un richiamo ufficiale: se si arriva alla terza nel campionato e almeno due sono per condotte alla guida scatta la retrocessione di 10 posizioni in griglia.
  • La penalità del drive-through (letteralmente "guida attraverso"), prevista dal2002 , richiede al pilota di entrare nella pit lane , viaggiare dentro la corsia ovviamente a velocità limitata, e uscire senza fermarsi ai box . La penalità può compromettere o meno la prestazione del pilota a cui è inflitta. Il primo a subirla fu Juan Pablo Montoya, causato da un incidente con Michael Schumacher durante il Gran Premio della Malesia di tale anno.
  • La penalità dello stop and go moderna , introdotta nel2014 consiste nel non svolgere operazioni sulla monoposto da parte dei meccanici, al rientro ai box del pilota, prima dello scadere di cinque o dieci secondi, a seconda della penalità. Qualora la monoposto non dovesse fermarsi ai box , a penalità inflitta, detti secondi si sommano al tempo con il quale il pilota ha concluso la competizione.
  • Lo stop and go classico, usato da molto più tempo, consiste in un pit stop forzato di 10 secondi durante il quale non si può fare alcuna operazione sull'auto, accensione del motore esclusa se esso si spegne. Molti sono i piloti che hanno subito questa lunga penalità, tra questi Michael Schumacher, che ne subì 5 (3 alla guida della Benetton e 2 dalla Ferrari).

Per il drive through e il "vecchio" stop and go in pilota ha tre giri di tempo per scontare la punizione ricevuta; se non rientra nella pit lane entro i tre giri, riceve la bandiera nera. Se subisce queste penalità negli ultimi cinque giri della corsa, non dovrà rientrare nella pit lane , tuttavia gli verranno aggiunti rispettivamente 20 e 30 secondi sul suo tempo totale di gara.

  • La retrocessione in griglia , di un numero variabile di posizioni, solitamente 3, 5, 10, 20 e fondo griglia, che può riferirsi anche al GP successivo a quello dell'infrazione, viene comminata per vari tipi di scorrettezze e violazioni tecniche (ad esempio per il cambio non consentito del motore/eccessivo cambio oltre il numero stabilito stagionale è di 10 posizioni).
  • L'uso della bandiera nera prevede la squalifica del pilota (ma anche di entrambi i piloti se l'irregolarità viene dal team) dalla gara. Il risultato eventualmente ottenuto non conterà per il campionato.
  • Se la bandiera nera non è considerata sufficiente per i danni che il pilota ha commesso, egli può essere escluso anche da diverse gare successive all'evento dove è stata rilevata l'infrazione (da 1 a 3 e +).
  • La punizione più estrema (usata per qualsiasi messa in serio pericolo della vita di un altro pilota) è la totale esclusione dal Campionato del Mondo Piloti di quell'anno e anche il ritiro della Superlicenza FIA necessaria per gareggiare in Formula 1. Quest'ultima forte penalità è valida ovviamente anche per le Scuderie. Per queste ultime due punizioni il pilota ei rappresentanti delle scuderie incriminate vengono convocati direttamente nella sede della FIA, a Parigi .

Dal 2014 è stato introdotto un sistema di punti (detto "patente a punti") che si accumulano a ogni infrazione. Se un pilota arriva a 12, viene escluso da un GP e vengono aggiunti ulteriori 5 punti al conteggio.

Appeal mondiale

Malgrado la Formula 1 rappresenti attualmente il punto più alto delle corse, per termini di budget e abilità dei piloti, i gran premi sono stati spesso accusati dagli osservatori di essere poco appetibili a livello di spettacolo, paragonati con quelli delle categorie meno prestigiose. Le differenze nell'abilità del pilota vengono eguagliate in comparazione alle differenti velocità delle vetture, ei sorpassi su pista avvengono molto di rado per le diverse aerodinamiche, influenzate in modo decisivo dalla parte anteriore (che rende possibile un sorpasso soltanto in situazione di alto rischio e raramente portato a termine, su un'automobile molto veloce che viaggia a velocità lenta).

Lo sport è meno noto negli Stati Uniti , che prediligono le loro categorie casalinghe di gare per monoposto scoperte (la IndyCar Series ) e la più popolare e antica categoria di gare per vetture coperte, la NASCAR , ma in termini di finanziamenti e di audience globale mondiale televisiva la Formula 1 è più grande delle tre sopra citate, a eccezione del GP tenuto a Indianapolis, e recentemente ad Austin. Per lastagione 1999 le valutazioni sul preventivo di spesa per un top-team come la Ferrari erano stimate attorno ai 240 milioni di dollari, mentre la Minardi si attestava sui 50 milioni.

Per quanto riguarda l' audience televisiva, in tempi recenti e con dati attendibili, il Gran Premio del Canada 2005 venne visto da 53 milioni di telespettatori risultando essere il secondo evento sportivo più visto di quell'anno, dietro soltanto la finale della UEFA Champions League dell'anno di calcio. Le 18 gare dellastagione 2006 sono state viste complessivamente da 154 milioni di telespettatori; la diretta dell'ultima gara stagionale, il Gran Premio del Brasile 2006 , è stata vista da 83 milioni di telespettatori. Secondo le cifre ufficiali fornite dalla Formula One Management , la media dei telespettatori che assistono al singolo evento si aggira attorno ai 58 milioni. Caso a parte sono l' Italia e la Spagna , dove la F1 ha perso spettatori a vantaggio del motomondiale , poco seguito nel resto del mondo, ma popolare in queste nazioni, al livello della F1. Poi, grazie alla nuova tecnologia della Rai e di TELECINCO, gli spettatori tornano a seguirla per intero, pre e post gara inclusi.

Note

  1. ^ a b c d e f g h i j k l Claudio Ferretti e Augusto Frasca, Enciclopedia dello sport , Garzanti Libri , 2008, p. 1670.
  2. ^ Marco Perugini, F1 2018, regolamento tutto nuovo. , su lautomobile.aci.it , 21 febbraio 2018.
  3. ^ Luca De Franceschi, GP Canada 2018, conferenza giovedì: ecco le parole dei protagonisti , su f1world.it , 7 giugno 2018. URL consultato il 29 giugno 2018 (archiviato dall' url originale il 29 giugno 2018) .
  4. ^ GP del Bahrain 2018: l'analisi tecnica delle prove libere del venerdì , su sport.sky.it , 6 aprile 2018.
  5. ^ Ridotta la durata delle prove libere del venerdì , su formulapassion.it , 30 dicembre 2020.
  6. ^ Stefano Zaino, Il Motore unico, ecco la vera novità , su repubblica.it , 2004. URL consultato il 2 maggio 2018 .
  7. ^ Cristiano Sponton, Formula 1 GP d'Australia 2018, l'analisi delle prove libere , su sport.sky.it , 23 marzo 2018.
  8. ^ Niccolò Franchini, Formula 1, il regolamento di prove e qualifiche , su sports.bwin.it , 18 maggio 2017. URL consultato il 30 giugno 2018 (archiviato dall' url originale il 30 giugno 2018) .
  9. ^ ( EN ) Dan Thorn, Hans Heyer wasn't going to let the regulations stop him from racing in a Formula 1 Grand Prix. , su wtf1.com , 16 marzo 2017.
  10. ^ Nestore Morosini e Giancarlo Falletti, «Che divertimento battere Senna» , su archiviostorico.corriere.it , Corriere della Sera , 15 marzo 1993, p. 39. URL consultato il 29 ottobre 2015 .
  11. ^ F1 | Qualifiche: la FIA approva ufficialmente la "sedia rovente" , su FormulaPassion.it . URL consultato il 19 marzo 2016 .
  12. ^ ( EN ) Sprint Qualifying to debut at three Grands Prix in 2021 following unanimous agreement from teams , su formula1.com , 26 aprile 2021. URL consultato il 26 aprile 2021 .
  13. ^ Fino al 1983 il Gran Premio del Sudafrica e il Gran Premio di Gran Bretagna rappresentavano l'unica eccezione alla domenica, poiché si tenevano al sabato pomeriggio. Con il termine dell'era delle gare di Formula 1 non valide per il campionato, dal 1984 tutte le corse si tengono alla domenica. Uno dei non pochi esempi di orario diverso era il Gran Premio d'Olanda sul circuito di Zandvoort , disputato fino al 1985, che iniziava alle 13:00, come oggi la corsa di motociclismo omonima ad Assen ; o ancora quello di Monaco alle 15:30 o quello d' Italia alle 15:00.
  14. ^ L'unica eccezione è rappresentata dal Gran Premio del Belgio a Spa , dove il giro d'onore non si percorre e le vetture vengono fermate dai commissari prima della discesa dell' Eau Rouge . Un'altra eccezione era rappresentata dal circuito del Nürburgring fino al 1976 , quando un giro di 22,395 km si percorreva in poco più di 7 minuti, cifra improponibile per la Formula 1 attuale. Lì le vetture venivano bloccate sul classico secondo rettilineo adiacente ai box che seguiva la curva iniziale a 180°, oggi smantellato e sostituito dal circuito tuttora esistente.
  15. ^ Con l'unica eccezione del Gran Premio d'Italia dove, dopo i lavori di ristrutturazione avvenuti tra il 2000 e il 2001 , è di forma circolare e posto direttamente di lato a fianco del rettilineo principale.
  16. ^ TheMarches09, National anthem of Great Britain , 3 marzo 2013. URL consultato il 15 aprile 2017 .
  17. ^ Ad esempio per la Ferrari, fino al 2006, era Jean Todt , sostituito dal 2007 da Luca Baldisseri in seguito alla promozione di ruolo del francese.

Voci correlate

Collegamenti esterni

Formula 1 Portale Formula 1 : accedi alle voci di Wikipedia che trattano di Formula 1